“As crianças celebram porque continuam tendo comida”, diz pastor sobre aldeia no Malawi

O Portal Guiame mostra a realidade de uma aldeia remota na África sendo transformada através de projeto missionário.

fonte: Guiame, Luana Novaes

Atualizado: Quarta-feira, 6 Novembro de 2019 as 11:54

Crianças acompanhadas do pastor Marcos Corrêa, diretor do Guiame e coordenador do Projeto Umodzi. (Foto: Guiame)
Crianças acompanhadas do pastor Marcos Corrêa, diretor do Guiame e coordenador do Projeto Umodzi. (Foto: Guiame)

Missionários foram recebidos nesta terça-feira (5) em clima de festa pelas crianças da aldeia de Hatone, na província de Chikwawa, na região sul do Malawi.

Através do Projeto Umodzi, em parceria com a Missão Mãos Estendidas (MME), 102 crianças e adolescentes receberam novos uniformes, materiais escolares, kits de higiene pessoal e outros itens.

Desde o início do projeto, as crianças e adolescentes passaram a receber alimento diariamente. Para eles, esse é um dos grandes motivos de celebração. 

“Várias regiões da África, como a aldeia de Hatone, dependem 100% daquilo que conseguimos contribuir. Toda vez que eles nos veem, eles celebram porque continuam tendo comida; porque a comida é escassa nesses lugares”, explica o pastor Marcos Corrêa, diretor do Guiame e coordenador do Projeto Umodzi.

De acordo com Marcos, as crianças e adolescentes tomam café da manhã e almoçam na Umodzi School, de segunda a sábado. “Para a grande maioria deles, as refeições na escola são a única alimentação que eles têm”, observa. 

Marcos disse ainda que o pastor Elias Caetano, presidente da MME, separou essa aldeia para o Projeto Umodzi porque, em Hatone, “o índice de orfandade é muito grande”.


Crianças acompanhadas dos pastores Marcos Corrêa, Elias Caetano e Valmir. (Foto: Guiame)

Os alunos da Umodzi School levam “muito a sério o ensino, tanto intelectual quanto da Palavra de Deus”, relatou Marcos. Com o aumento do número de estudantes atendidos pelo projeto, ele também falou sobre a necessidade de ampliar a estrutura.

O plano é construir mais duas salas de alvenaria e aumentar o número de carteiras para comportar os novos alunos. A sala construídas de barro e palha serão transformadas em refeitório. “Vemos claramente que está muito diferente da primeira vez”, celebra Marcos.

Para doações e mais informações sobre o projeto Umodzi, entre em contato com o coordenador Marcos Corrêa:

WhatsApp: +55 11 96170-9559
E-mail: [email protected]


O Projeto Umodzi tem parceria com a a Missão Mãos Estendidas (MME) e o Portal Guiame. (Foto: Guiame)

veja também