MENU

Mãe de Jonathan e Rebeca Nemer está acordada e livre da Covid-19: “O milagre começou”

Há cerca de um mês, Sara Nemer foi transferida da UTI de Covid-19 para a UTI branca, a fim de continuar o tratamento.

fonte: Guiame

Atualizado: Terça-feira, 15 Junho de 2021 as 7:05

Sara Nemer superou a Covid-19, superbactéria e dois choques sépticos e está em reabilitação. (Foto: Reprodução/Instagram)
Sara Nemer superou a Covid-19, superbactéria e dois choques sépticos e está em reabilitação. (Foto: Reprodução/Instagram)

Depois que se espalhou erroneamente a informação de que Sara Nemer havia recebido alta da UTI, o humorista Jonathan Nemer esclareceu que sua mãe permanece internada na unidade de terapia intensiva.

“Saiu notícia que minha mãe teve alta da UTI. Não teve não. O povo pega um negócio que eu nem falei, já tira conclusão. Ela está ainda em estado grave, agora é a fase de reabilitação, ainda está com o ventilador mecânico”, disse Jonathan Nemer nos stories do Instagram.

Conforme noticiado pelo Guiame, Jonathan informou no domingo (13) que Sara está acordada, lúcida e fazendo reabilitação pulmonar para fazer o desmame do ventilador mecânico.

Há cerca de um mês, ela foi transferida da UTI de Covid-19 para a UTI branca, a fim de continuar o tratamento. “Não tem infecção, não tem Covid, está na UTI branca — a UTI branca é a UTI não Covid. A UTI Covid é geralmente a área roxa”, explicou Jonathan.

O humorista lembrou que o fato de Sara Nemer não ter mais o coronavírus não significa que ela tenha saído da gravidade. “Afeta muita coisa, tem muitas consequências, muitos desdobramentos”, disse. “Está melhor do que estava, mas está longe de uma saída”.

Jonathan esclareceu que Sara ainda tem uma necessidade considerável de oxigênio e está realizando fisioterapia pulmonar. “Ainda há risco”, observou.

Histórico

Sara Nemer foi internada com Covid-19 no Hospital Unimar no dia 9 de abril e precisou ser transferida para a UTI dois dias depois, após desenvolver pneumonia. No dia 16 de abril, a situação se agravou e Sara precisou ser intubada. 

Em 15 de maio, Jonathan informou que a mãe havia contraído uma superbactéria na UTI e que, segundo os médicos, ela teria 72 horas para responder ao tratamento com antibióticos. Passados alguns dias, Sara respondeu a medicação e a infecção foi controlada.

Mas, no dia 21 de maio, seu pulmão teve um grave comprometimento e sua saturação de oxigênio ficou muito baixa. A equipe médica informou a família que o quadro de Sara era irreversível. 

veja também