Cristãos paquistaneses oram por proteção, temendo novos ataques terroristas na Páscoa

Desde 2015, a Páscoa tem sido uma época de grande temor entre os cristãos paquistaneses, devido aos ataques terroristas que aconteceram durante a festividade dos últimos 2 anos.

fonte: Guiame, com informações da CBN News

Atualizado: Sábado, 15 Abril de 2017 as 2:38

Cristãos paquistaneses protestam contra a intolerância religiosa, após um ataque terrorista suicida em 2015. (Foto: Reuters)
Cristãos paquistaneses protestam contra a intolerância religiosa, após um ataque terrorista suicida em 2015. (Foto: Reuters)

Enquanto os paquistaneses se lembram da trágica matança do domingo de Páscoa de 2016, os cristãos do país estão orando para que Deus os proteja de outro ato de terrorismo nestes dias de festividades.

Na última Páscoa, um grupo afiliado talibã paquistanês, Jamaat-ul-Ahrar (JA), reivindicou a responsabilidade pelo atentado suicida de 27 de março de 2016 em um popular parque da cidade de Lahore. Muitos cristãos estavam entre as 69 pessoas mortas.

Naquele dia, um terrorista do grupo detonou seu colete com explosivos, por volta das 18h30 (horário local) no parque de Gulshan-e-Iqbal, porque viu que muitos cristãos continuaram suas celebrações, após assistirem aos cultos de páscoa em suas igrejas.

Muitas mulheres e crianças foram mortas no ataque. Mais de 340 pessoas ficaram feridas.

Foi a segunda vez em menos de um ano que o grupo terrorista islâmico marcou a comunidade cristã minoritária como alvo em um domingo de Páscoa. Em março de 2015, os terroristas detonaram bombas em duas igrejas de Lahore. Naquele primeiro ataque, 14 pessoas foram mortas e mais de 70 ficaram feridas.

Wasib Mant, de dezesseis anos, foi um dos cristãos mortos durante o ataque de 27 de março de 2016, na Páscoa.

Os membros de sua família dizem que ele adorava estudar matemática e inglês e planejava para se tornar PhD em engenharia.

"Eu amava meu filho. Ele não fez nada contra ninguém. Eles o mataram porque sabiam que ele era cristão, mas nós os perdoamos no amor de Cristo", disse Zabida, mãe de Wasib.

Outro adolescente cristão de 16 anos, Sharoun Patra também acabou morrendo no ataque do ano passado. A CBN News conversou com os pais do rapaz.

"Meu filho Sharoun foi o mais obediente dos meus filhos, sempre pensei que ele seria o único a cuidar de mim quando eu envelhecesse", contou o pai, acrescentando que também entende a importância de perdoar as pessoas que lhe tiraram seu filho. "Nós conhecemos o Evangelho e sabemos que Jesus os perdoa. Devemos também perdoar aqueles que fizeram isso".

O irmão de Sharoun, Irfan, de 18 anos, sobreviveu ao ataque, mas estilhaços quentes da explosão rasgaram suas costas e seu estômago, prejudicando os nervos em torno de seu intestino. Apesar de ainda sofrer com os graves danos do ataque, o rapaz se mostra grato por estar vivo.

"Deus me poupou para que eu possa servir a Ele. Eu quero ser um missionário", explicou Irfan.

Grupos muçulmanos paquistaneses como Jamaat-ul-Ahrar prometeram mais ataques contra os cristãos nos próximos dias.

Lembrando os trágicos ataques terroristas de feriados passados, as igrejas do Paquistão estão em alerta e aumentaram a segurança para esta Páscoa.

E eles estão pedindo aos cristãos em todo o mundo que se juntem a eles enquanto, oram pela proteção de Deus.

veja também