Cristãos protestam contra plano de demolição de igrejas no Paquistão

Segundo autoridades do país, os templos serão demolidos para dar lugar a uma linha de trem, na região de Lahore.

fonte: Guiame, com informações do Christian Today

Atualizado: Quinta-feira, 5 Maio de 2016 as 10:05

Cristãos paquistaneses reivindicam mais proteção após ataque suicida, ocorrido no domingo de páscoa deste ano. (Foto: Tribune.uk)
Cristãos paquistaneses reivindicam mais proteção após ataque suicida, ocorrido no domingo de páscoa deste ano. (Foto: Tribune.uk)

Quatro igrejas estão marcadas para serem demolidas, dando lugar a uma linha de trem em Lahore, Paquistão. Porém ativistas apontam que este plano "menospreza os cristãos".

Manifestações aconteceram em frente à Alta Corte de Lahore na última terça-feira (3), com cristãos insistindo que eles não iriam permitir que os seus locais de culto fossem destruídos.

Eles gritavam frases e palavras de ordem, como "nós não desistiremos de uma polegada de nossos lugares santos" e "queremos os nossos direitos".

Os quatro templos possivelmente afetadas pela decisão em Lahore são da Igreja Catedral, Igreja Naulakha, Igreja de St. Andrew e da Igreja Bohar Wala.

"Não há descanso e um problema após o outro parecem perseguir os cristãos paquistaneses", disse Nasir Saeed, diretor da organização interdenominacional humanitária 'CLAAS', no Reino Unido.

No domingo de Páscoa um atentado suicida em um parque de Lahore matou 72 pessoas. Foi o ataque mais letal, ocorrido no Paquistão desde o massacre de 134 crianças em uma escola militar, na região de Peshawar, em Dezembro de 2014.

"Os cristãos que ainda estão de luto depois do ataque Domingo de Páscoa e ainda estão tentando lidar com esse trauma, são agora confrontados com a questão da demolição de quatro igrejas históricas em Lahore... a província onde os cristãos mais sofrem", disse Saeed.

"Essas igrejas estão localizadas em áreas muito caras, cobiçadas por políticos e islamitas. Eles não conseguem aceitar que os cristãos tenham essas propriedades... de modo que tentam usar qualquer desculpa para pegar as terras e menosprezar os cristãos".

Saeed criticou o que muitos cristãos paquistaneses avaliam como o "fracasso do governo em proteger as minorias religiosas".

"O Governo não deve brincar com os sentimentos religiosos cristãos e deve evitar mais opressões recaiam sobre a minoria cristã do Paquistão", disse ele.

Um novo relatório divulgado na última segunda-feira (2) pela Comissão Internacional para a Liberdade Religiosa dos Estados Unidos ('USCIRF') constatou que o governo paquistanês no ano passado "continuou a cometer e tolerar violações sistemáticas, contínuas e flagrantes da liberdade religiosa".

A 'USCIRF' recomendou que o Paquistão seja designado como um "país de preocupação particular" pelo Estados Unidos desde 2002 e seu novo relatório está condenando novamente as falhas do Paquistão com relação à preservação dos direitos humanos, como a liberdade religiosa.

"Durante anos, o governo paquistanês não foi capaz de proteger os cidadãos, minoria e maioria de forma igualitária. A violência é sectária motivada pela religião", disse.

"As autoridades paquistanesas também não conseguiram trazer consistentemente os responsáveis ​​pelos atos de violência à justiça ou tomar medidas contra os atores sociais que incitam estas práticas".

veja também