"Deus é Grande", diz missionário da Igreja Presbiteriana Viva, atacada no Níger

Segundo o pastor e missionário Roberto Carlos Rodrigues, da Igreja Presbiteriana Viva os dois templos da comunidade cristã por ele fundada na capital do Níger foram completamente destruídos por extremistas islâmicos.

fonte: Guia, com informações do G1

Atualizado: Quarta-feira, 21 Janeiro de 2015 as 9:25

"Deus é Grande", diz missionário da Igreja Presbiteriana Viva, atacada no NígerOs ataques a igrejas e bases missionárias no Níger têm aterrorizados cidadãos e missionários na região. O clima ainda é de bastante tensão, devido a possibilidade de novos atentados, principalmente na capital Niamey.

Segundo o pastor e missionário Roberto Carlos Rodrigues, da Igreja Presbiteriana Viva os dois templos da comunidade cristã por ele fundada na capital também foram completamente destruídos por extremistas islâmicos.

"Realmente limparam a igreja. Limparam, meteram fogo, mas é assim mesmo. Deus é grande, Deus pode fazer muito mais", disse.

O pastor é natural de Volta Redonda (RJ) e vive no país do norte da África desde 2009, quando iniciou esta congregação na capital Niamey.

Segundo ele, um dos ataques aos templos de sua igreja aconteceu pouco antes de um estudo bíblico com crianças.

Por questões de segurança, o pastor e outras 20 pessoas da igreja ficaram escondidas. O Itamaraty orientou que eles evitem sair de casa.

De Volta Redonda, o líder da Igreja Presbiteriana Viva atualizou algumas informações sobre o missionário Roberto Carlos.

"Visto que a situação acalmou, eles estão cada um nas suas casas e me parece que a embaixada do Benin e a embaixada de Burkina Faso estão tentando articular, se possível, de alguma forma uma evasão rápida, se por acaso houver necessidade", contou o pastor Djalma Barros.

Entenda a situação
Iniciados no último final de semana, na capital do Níger (Niamey), os protestos contra as mais recentes publicações do jornal francês "Charlie Hebdo" com charges do profeta Maomé, têm causado destruição e medo entre os cidadãos e missionários que atuam na região.

Até o momento, foram registrados ataques a 45 igrejas, cinco hotéis, 36 bares, um orfanato e uma escola cristã.

Entre os locais atacados também está a base missionária do Ministério Guerreiros de Deus, liderada pelo casal de missionários, Alexandre e Giovana Canhoni. Saiba mais sobre o caso, clicando aqui .

veja também