Esposa do Pr. Saeed Abedini critica Obama por negociação com Irã: "O silêncio diante do mal é o mal em si mesmo"

Naghmeh Abedini questionou o significado da atitude do governo dos EUA em manter negociações com um país que ainda detém um cidadão norte-americano como prisioneiro, por motivos de perseguição religiosa.

fonte: Guiame, com informações do Christian Post

Atualizado: Segunda-feira, 2 Março de 2015 as 12:09

Nagmeh Abedini fala sobre liberdade religiosa durante um discurso na Conferência de Ação Política Conservadora, um encontro anual dos conservadores de todo o país, próximo a Washington, DC
Nagmeh Abedini fala sobre liberdade religiosa durante um discurso na Conferência de Ação Política Conservadora, um encontro anual dos conservadores de todo o país, próximo a Washington, DC

As negociações do governo Obama com Irã a respeito de sua capacidade nuclear parecem não incluir a questão da liberdade religiosa em sua pauta. O fato foi criticado por Naghmeh Abedini (esposa do Pr. Saeed Abedi, preso no por autoridades iranianas desde 2012).

Naghmeh questionou o significado da atitude do governo dos EUA em manter negociações com um país que mantém um cidadão norte-americano como prisioneiro, por motivos de perseguição religiosa.

"Que tipo de mensagem estamos enviando para o mundo quando nós continuamos a negociar com o Irã, que ainda abusa de um dos nossos, um pastor americano?" perguntou ela. "Qual é a nossa mensagem para o mundo sobre questões de liberdade religiosa?".

Parafraseando Dietrich Bonhoeffer, um pastor alemão que morreu nas mãos dos nazistas por declarar sua fé cristã, ela acrescentou, "o silêncio diante do mal é o mal em si mesmo".

Abedini proferiu estas palavras durante um discurso na Conferência de Ação Política Conservadora, um encontro anual dos conservadores de todo o país, próximo a Washington, DC.

"Eu estou orgulhosa de ver meu marido levantando-se para defender sua fé cristã em face do mal", disse ela. "Assim como ele se levanta por sua fé, nós, como seu país, estaríamos nos levantando por ele? Eu estou com o coração partido que continuemos a negociar com o Irã enquanto eles estão mantendo um dos nossos, um pastor americano, em cativeiro."

Naghmeh Abedini afirmou que mesmo com os diversos espancamentos sofridos por seu marido na prisão, ele não vai negar sua fé.

"Ele levantou-se por a sua fé, porque ele acredita que Jesus Cristo é o filho de Deus, e ele veio a esta Terra e morreu na cruz e pagou por nossos pecados. Ele conheceu a verdade ainda quando era um muçulmano e descobriu o amor de Deus. Isso transformou sua vida para sempre. Ele queria dar a sua vida pelos os órfãos e pela mensagem de esperança", contou.

"Durante muitos anos Saeed clamou, chorando, de joelhos por avivamento nos Estados Unidos", acrescentou.

Ela também citou a Bíblia e lembrou que uma nação pode se redimir quando volta seus olhos para Deus.

"A Bíblia diz que, quando nos voltamos nossos olhos para Deus, quando nos arrependemos, buscar a Deus, Ele vai sarar a nossa terra. A responsabilidade é de Deus em sarar a nossa terra, a nossa responsabilidade é busca-Lo. Esta grande nação é abençoada por causa da nossa fundação em Jesus Cristo. A minha oração junto a Saeed, é que voltemos nossos olhos para Jesus, que nos arrependamos das maneiras como nos voltamos para outras coisas. Eu oro pela a cura da nossa nação e gostaria de voltar ao nosso valor fundamental da liberdade religiosa", declarou.

Recentemente, Obama também foi criticado por dar declarações sobre o islamismo e soar como um defensor desta religião.

 

 

veja também