Pastor é esfaqueado após se recusar a pagar 'propina', no México

Pastor da Igreja Rios de Água Viva, Guillermo Favela foi agredido por um homem que exigiu que ele pagasse uma 'mensalidade' de 30.000 pesos (aproximadamente R$5.700) em dinheiro para garantir a "proteção da igreja".

fonte: Guiame, com informações do Christian Today

Atualizado: Quarta-feira, 1 Junho de 2016 as 1:10

Pastor Guillermo Favela é presidente da Aliança Evangélica de Tijuana. (Foto: Facebook)
Pastor Guillermo Favela é presidente da Aliança Evangélica de Tijuana. (Foto: Facebook)

Um proeminente líder cristão foi esfaqueado em Tijuana, México, provocando temores com relação à crescente intolerância religiosa no país, de acordo com a missão 'Christian Solidarity Worldwide' (CSW).

O pastor Guillermo Favela, presidente da Aliança Minsterial Evangélica de Tijuana, foi esfaqueado em uma rua perto de sua igreja, no dia 18 de maio, depois que ele se recusou a pagar uma propina.

Pastor da Igreja Rios de Água Viva, Guillermo foi agredido por um homem que exigiu que ele pagasse o valor de 30.000 pesos (aproximadamente R$5.700) por mês em dinheiro para garantir a "proteção da igreja".

O homem ameaçou cortar um dedo do pastor a cada vez que ele se recusasse, de acordo com o Dr. Carlos E. Perea Zaldivar, presidente da Aliança Evangélica do estado de Baja California (AEBC).

Quando o pastor se recusou a pagar o dinheiro, o homem esfaqueou o líder cristão no braço esquerdo antes de fugir do local do crime.

A lesão não foi grave e Favela apresentou uma queixa formal. O agressor foi detido pelas autoridades, mas já foi liberado.

Zaldivar disse à CSW o incidente "poderia ser um ataque à liberdade religiosa, motivado pela intolerância".

A AEBC divulgou uma nota oficial, condenando o ataque e exigiu uma investigação completa e o julgamento dos responsáveis.

O Governo "não deveria permitir esses tipos de abusos e deveria agir persistentemente contra esses tipos de ataques, que estão aumentando cada vez mais na nossa cidade de Tijuana", diz a carta.

"Estamos extremamente preocupados porque a governabilidade está sendo perdida e agora o setor religioso está sendo alvo de perseguição e intimidação, com a finalidade de obter mais recursos através da semeadura do medo".

A AEBC disse que irá "acompanhar de perto o trabalho das autoridades", enquanto o caso se deserola.

Durante a última década, as igrejas têm cada vez mais se tornado alvo da extorsão por parte dos grupos criminosos no México.

veja também