Em Fortaleza, Marcha pela Vida foca adoção como solução para evitar o aborto

O evento aconteceu na tarde do último domingo, 23/11, e contou com a participação de artistas.

fonte: guiame.com.br

Atualizado: Segunda-feira, 24 Novembro de 2014 as 8:41

Em Fortaleza, Marcha pela Vida foca adoção como solução para evitar o abortoNo último domingo, 23/11, Fortaleza recebeu a 5ª edição da Marcha pela Vida Contra o Aborto. Desta vez, a adoção foi o tema de destaque no evento, sendo apresentado como uma solução para que o aborto seja evitado.

Segundo a organização do evento, esta edição de 2014 contou com a parceria da ONG Acalanto, que ajudou a reforçar a ideia de que as famílias / mães que por alguma razão não ficarão com a criança podem entregar o bebê para adoção.

O trecho percorrido pelos manifestantes foi do Aterro da Praia de Iracema até a chamada "Praça dos Estressados".

Tendo abraçado a causa da luta contra o aborto, a cantora e compositora Elba Ramalho participou do evento.

A marcha também contou com a participação do músico Chico Pessoa. O cantor testemunhou que sua vida é fruto de uma decisão que sua mãe tomou, vencendo o preconceito e preferindo não abortar, quando descobriu que estava grávida.

"Sou filho de uma mulher que não era mulher legítima, filho fora do casamento, minha mãe poderia ter abortado por morar em uma cidade pequena, cheia de preconceitos", contou o cantor.

Contextualização
Aborto tem sido um tema frequentemente debatido entre cristãos, feministas e até ativistas LGBTT.

Exemplo disto é o deputado federal Jean Wyllys (PSOL) que representa o movimento LGBTT na Câmara Federal e lançou uma campanha pró-aborto na semana passada.

"É fundamental que deixemos a hipocrisia de lado e passemos a tratar o aborto como o que ele é de fato: um caso de saúde pública e não de valor, princípio ou religião", disse o parlamentar em uma postagem nas redes sociais.

Porém a psicóloga cristã Marisa Lobo buscou responder a esta campanha, alertando que a prática do aborto não é contraceptiva, mas consiste no assassinato de bebês.

"Quando eu vi esta campanha do Jean Wyllys, o maior militante contra a vida, que quer legalizar drogas e não está nem aí para as questões humanitárias, eu me revoltei. Além disso, alguns artistas também têm aderido à campanha 'Precisamos Falar Sobre o Aborto'. Na verdade, nós precisamos falar sobre os assasinatos de bebês, porque fetos são bebês, são seres humanos", alertou.

A psicóloga lançou na última sexta-feira, uma campanha nas mídias sociais, convocando os internautas a postarem fotos com cartazes de repúdio ao aborto. Clique aqui para saber mais.

Com informações do G1 / www.guiame.com.br 

veja também