Em meio a perseguição na Ásia, pastor faz evento de avivamento para mais de mil líderes

Kong Hee disse que ele e sua esposa, Sun Ho, tiveram "seus espíritos profundamente agitados durante todo o fim de semana", e argumentou que o projeto tem sido uma busca pelo avivamento.

fonte: Guiame, com informações do Christian Post

Atualizado: Quarta-feira, 22 Junho de 2016 as 11:56

Pastores chineses tem enfrentado a força da repressão do Partido Comunista. (Foto: Reprodução).
Pastores chineses tem enfrentado a força da repressão do Partido Comunista. (Foto: Reprodução).

Kong Hee, o pastor da mega-igreja “City Harvest Church” em Singapura disse que realizou recentemente um evento de avivamento em massa para mais de 1.100 pastores do sudeste da Ásia, incluindo a China. O local é conhecido pela perseguição pesada do governo contra os cristãos.

O líder notou que o número de cristãos chineses continua a crescer, apesar de todas as dificuldades e tudo indica que este número deve superar os cristãos americanos nas próximas duas décadas.

"Nos dias 10 e 11 de junho a City Harvest Church realizou o segundo Seminário Global Chinês de Liderança, e desta vez com 24 horas. Mais de 1.100 pastores, obreiros e líderes da China, Taiwan, Hong Kong, Malásia e Singapura se juntaram a nós para este evento muito especial", escreveu Kong em um post no Facebook.

"Eu preguei em oito sessões, com a ajuda do meu intérprete chinês Lulu Glenn-Fu. Nossa equipe de louvor e adoração cantou em todas as sessões em mandarim, com todas as músicas compostas por eles. Estou muito orgulhoso", postou.

O pastor disse que ele e sua esposa, Sun Ho, tiveram "seus espíritos profundamente agitados durante todo o fim de semana", e argumentou que o projeto, a iniciativa tem sido uma busca pelo avivamento. "De acordo com alguns relatos, a China terá mais cristãos do que o USA em 2030. Vamos nos levantar e ser trabalhar nessa colheita abundante", acrescentou.

Pastores chineses, incluindo líderes de algumas das maiores igrejas estatais, como o pastor Gu Yuese da Igreja Chongyi de Hangzhou, enfrentaram a força da repressão do Partido Comunista contra os cristãos. Gu foi preso em janeiro por falar contra a remoção em massa de cruzes que ficam nos tetos das igrejas. A remoção foi ordenada pelo governo.

"Isso vai abalar o espírito dos líderes das igrejas sancionadas pelo governo e das congregações em toda a China. Todos estes fatores irão ter um efeito cascata", disse Bob Fu, fundador e presidente da China Aid ao site Christian Post em fevereiro desse ano. Ele acrescentou que o rápido crescimento do cristianismo na China é a principal razão por trás da repressão estatal.

"A liderança está cada vez mais preocupada com o rápido crescimento da fé cristã, sua presença pública e sua influência social", disse ele na época. "É um medo político do Partido Comunista, pelo fato do número de cristãos no país superam em muito os membros do partido", pontuou.

veja também