Igreja da Inglaterra prevê seu declínio nos próximos 30 anos

A estimativa foi apresentada por John Spence, diretor financeiro da congregação. De acordo com ele, o atual quadro de 18 pessoas por 1000 frequentando regularmente a igreja caiu para 10 por mil.

fonte: Guiame, com informações de The Guardian

Atualizado: Sexta-feira, 19 Fevereiro de 2016 as 12:05

O arcebispo Justin Welby durante o Sínodo Geral da Igreja da Inglaterra. (Foto: Getty Images)
O arcebispo Justin Welby durante o Sínodo Geral da Igreja da Inglaterra. (Foto: Getty Images)

A Igreja da Inglaterra, também denominada como Igreja Anglicana, espera por um duradouro declínio nos próximos 30 anos, de acordo com dados apresentados em sua assembleia geral.

Anteriormente, a igreja havia previsto que o seu declínio perduraria por cinco anos.

A estimativa foi apresentada por John Spence, diretor financeiro da congregação. De acordo com ele, o atual quadro de 18 pessoas por 1000 frequentando regularmente a igreja caiu para 10 por mil.

"Em todas as medidas de sucesso, dada a demografia da igreja, é pouco provável que veremos um aumento líquido de membros dentro dos próximos 30 anos", disse Spence. "Eu poderia ter apresentado outros fatos, mas eu acho que devemos começar nesse ponto."

Os números ilustram o desafio enfrentado por uma igreja cuja congregações estão envelhecendo, já que a geração jovem da Inglaterra rejeita, cada vez mais, a religião organizada.

Mas para a Igreja, isso não leva em conta o impacto potencial que o seu novo programa de evangelismo poderá causar nas gerações mais novas.

A campanha nacional de "evangelismo digital", promovida pela denominação, pretende alcançar cerca de um milhão de crianças, educadas em escolas da igreja. O projeto de mídia social terá também como objetivo, atingir as crianças que abandonam as escolas seculares.

A intenção da campanha é mostrar à geração "sem igreja" o que o cristianismo tem para oferecer, através de meios de comunicação com os quais eles estão familiarizados com tais como Snapchat, WhatsApp e Instagram.

Os detalhes da campanha foram revelados nesta quarta-feira (17), em uma apresentação ao Sínodo Geral, na Church House, em Westminster, pelo Cônego John Spence, que dirige o comitê de finanças do Conselho dos Arcebispos. O financiamento da campanha deve ser definido no Sínodo Geral, em York, no mês de julho.

veja também