Jovem cristão é sequestrado por extremistas islâmicos: "Fui espancado várias vezes"

Outro jovem também seria levado durante o sequestro, mas ao saber que ele era muçulmano, o sequestrador o abandonou.

fonte: Guiame, com informações do Portas Abertas

Atualizado: Terça-feira, 26 Abril de 2016 as 9:21

Depois desse incidente, os pais não querem mais levar seus filhos para a escola. (Foto: Reprodução).
Depois desse incidente, os pais não querem mais levar seus filhos para a escola. (Foto: Reprodução).

Logo no começo de abril, um jovem cristão que foi sequestrado na região do Alto Egito só foi liberto quando foi realizado o pagamento de um resgate de grande valor. O garoto de 13 anos, Anthonius Farag, foi levado à força da escola no início da manhã do dia 5 de abril, na aldeia de Mansheyyit Manbal, a 230 km ao sul do Cairo.

Segundo informações, outro jovem também seria levado durante o sequestro, mas ao saber que ele era muçulmano, o sequestrador o abandonou. "Esse não é o único caso de sequestro de cristãos, há pelo menos mais de 70 semelhantes, entre sequestros, extorsões e violência, no período de 2011 a 2014. Recentemente, há muitos outros casos de sequestros, desde crianças até idosos", comentou um dos analistas de perseguição.

Um comerciante que não foi identificado por motivos de segurança informou mais detalhes do ocorrido. “Um carro parou em frente ao meu comércio, que fica perto da escola e um dos quatro indivíduos se aproximou de mim, alegando que estava procurando combustível clandestino (mercado negro). Eu disse que não poderia ajudar e voltei ao trabalho. Depois de pouco tempo, ouvi tiros vindos da escola. Eles atiraram para o ar para assustar as pessoas e dispersá-las. Nessa ocasião, sequestraram o menino", relatou.

A cidade de Mansheyyit Manbal é predominantemente cristã, com cerca de 12 mil habitantes ela tem fama por ser uma região onde moram pessoas ricas. "Meu filho Kyrellos estava junto com Anthonius. Ele disse que o sequestrador perguntou seus nomes, que claramente os identifica como cristãos. Em seguida, agarrou os dois com violência, mas meu filho conseguiu escapar, enquanto os outros meninos começaram a gritar", disse Eid Yonan.

Imadiatamente o pai do jovem sequestrado, Nawwar Farag, ligou para a polícia, pedindo ajuda, mas nenhuma providencia foi tomada. "Parece que os policiais não vêm nenhum mal nesse tipo de incidente, eles não fazem nada", disse o pai que recebeu uma ligação dos sequestradores somente três dias depois, com a exigência de um resgate de 2 milhões de libras egípcias, o equivalente a 225 mil dólares.

"Eles ainda diziam: ‘a polícia não vai ajudar você’. Negociamos e chegamos a um valor de 300 mil libras (34 mil dólares)", disse o pai. Para uma melhor compreensão de valores, essa quantia é o equivalente a 300 salários de um trabalhador agrícola e era tudo o que Farag havia juntado ao longo da vida. Após o pagamento, Anthonius foi deixado numa estrada deserta no dia 17 de abril e teve que andar até uma vila para pedir socorro. "Fiquei preso num quarto escuro, fui espancado várias vezes e tive que responder muitas perguntas sobre a vida financeira do meu pai", disse o jovem que agora está a salvo em sua casa.

Depois desse incidente, a situação ficou bem mais complicada agora, pois os pais não querem mais levar seus filhos para a escola. Vários outros pais já estão sendo ameaçados e o número de queixas nas delegacias aumenta a cada dia. Crimes cometidos contra os cristãos cresce em algumas regiões do Egito, que é o 22º país da atual Classificação da Perseguição Religiosa.

"Sabe-se que há um grupo de muçulmanos extremistas agindo por trás dos sequestros desde março do ano passado e eles estão rodeando as escolas onde há mais cristãos. As autoridades estão cientes, mas até agora não houve a iniciativa de aumentar a segurança nesses locais. Quando há casos de cristãos que são mortos, a polícia não aparece nem mesmo para a retirada dos corpos", conclui o analista. “Em suas orações, interceda pelos cristãos egípcios”, é o pedido do site do Ministério Portas Abertas para todos os cristãos.

veja também