Mulher cristã paquistanesa é estuprada e ameaçada por invasores muçulmanos

Pela manhã, Mushtaq imediatamente comunicou o crime à polícia, mas os homens muçulmanos que atacaram ela vieram de famílias ricas, por isso, as autoridades estavam hesitantes em tomar medidas contra eles.

fonte: Guiame, com informações do site Christian Headlines

Atualizado: Terça-feira, 26 Abril de 2016 as 2:11

O exército com o qual o marido de Mushtaq serve não ofereceu muita proteção para sua família. (Foto: Reprodução).
O exército com o qual o marido de Mushtaq serve não ofereceu muita proteção para sua família. (Foto: Reprodução).

Uma mulher cristã do Paquistão foi alvo de extremistas muçulmanos por causa de sua fé. Os homens supostamente invadiu sua casa, estupraram e a ameaçou. O site The Christian Post relatou que a mulher estava em casa com suas filhas de dois anos de idade, no momento do ataque. Seu marido foi afastado por estar servindo no exército.

"Os homens me trataram como um animal, me dizendo que eu era uma cristã sem valor, mas sei que meu Deus é um grande Deus. Quando eu gritei, eles me disseram que eles sabiam que o meu marido estava ausente e que eu estava desprotegida. Eles ameaçaram matar minha filha se eu não cumprir com o que eles estavam pedindo", disse a vítima de 30 anos chamada Asia Mushtaq do distrito de Toba Tak Singh.

"Eles disseram que as mulheres cristãs são todas devassas e que iria voltar para repetir o estupro para que eu nunca diga nada a ninguém. Eu me sinto tão impura agora, mas sei que não fiz nada de errado. Eu quero que esses homens sejam punidos e espero que a lei me proteja", disse.

Pela manhã, Mushtaq imediatamente comunicou o crime à polícia, de acordo com a Associação Cristã britânico paquistanês (BPCA). Mas os homens muçulmanos que atacaram ela vieram de famílias ricas, por isso, as autoridades governamentais estavam hesitantes em tomar medidas contra eles.

"Outra mulher que se viu como um alvo dos caprichos dos estupradores brutais muçulmanos no Paquistão, em uma sociedade que tem como alvo sua comunidade mais vulnerável, os cristãos. Além disso, desta vez um soldado, cujo único desejo era servir e proteger seu país, descobriu que a maioria de seu país não se sente da mesma maneira sobre ele", disse Wilson Chowdhry, presidente da BPCA.

O exército com o qual o marido de Mushtaq serve não ofereceu muita proteção para sua família. A perseguição aos cristãos no Paquistão tem sido escalada e os cristãos muitas vezes são ameaçados se eles relatarem os ataques à polícia, que muitas vezes são seduzidas pela maioria muçulmana no país.

veja também