Pastor explica lógica do impeachment através de numerologia da Bíblia

"Os números falaram muito claros ao meu coração, porque Deus é um Deus de números”, disse o pastor Edgar Rufino, negando ter referências da cabala ou esoterismo.

fonte: Guiame

Atualizado: Quinta-feira, 12 Maio de 2016 as 3:40

A teoria do pastor foi apresentada nas redes sociais pelo blogueiro Luís Miranda, um brasileiro que vive nos Estados Unidos. (Foto: Reprodução/Youtube)
A teoria do pastor foi apresentada nas redes sociais pelo blogueiro Luís Miranda, um brasileiro que vive nos Estados Unidos. (Foto: Reprodução/Youtube)

Alguns detalhes que caracterizaram o processo de impeachment de Dilma Rousseff, atualmente afastada de seu cargo na presidência do Brasil, poderiam ter uma lógica bíblica, de acordo com o pastor Edgar Rufino.

A teoria do pastor foi apresentada nas redes sociais por Luís Miranda, um brasileiro que conquistou milhares de seguidores ao compartilhar sua vida nos Estados Unidos.

“Me chamou muita atenção a questão dos números da eleição que nós tivemos na Câmara dos Deputados. Os números falaram muito claros ao meu coração, porque Deus é um Deus de números”, disse o pastor, negando ter referências da cabala ou esoterismo.

Segundo as conclusões do pastor Rufino, a numerologia do impeachment teve a seguinte lógica: dentre os 513 deputados federais que compõem a Câmara, 511 (5+1+1=7) estiveram presentes no dia da votação. O “sim” ao impedimento foi dito por 367 deputados, o “não” foi votado por 137 parlamentares e a abstenção foi escolhida por 7 parlamentares.

“Nós sabemos que, pela Bíblia, o número 7 representa a perfeição de Deus, e eu tenho no final da votação três números 7”, explica o pastor. “Deus foi muito claro ao dizer que o Pai, o Filho e o Espírito Santo estão firmando essa decisão do plenário da Câmara”.

Depois de apresentar outras explicações numerológicas sobre o cenário político atual, Rufino alerta: “Espero que o novo presidente observe o que Deus está falando, e tenha total responsabilidade de governar uma nação que quem manda é Deus, não é partido político nenhum”.

Assista ao vídeo completo:

veja também