Ateus removem versículo de material escolar e pais protestam: “Nosso Deus é maior”

A escola foi forçada a remover de seu site uma mensagem bíblica, por causa de uma denúncia de uma organização ateísta.

fonte: Guiame, com informações de World Religion News

Atualizado: Segunda-feira, 2 Maio de 2016 as 11:49

Os pais dos alunos iniciaram uma campanha de camisetas com a frase “Nosso Deus é Maior”, em protesto contra a retirada do versículo do site do colégio. (Foto: Reprodução/Larry Rosenberg)
Os pais dos alunos iniciaram uma campanha de camisetas com a frase “Nosso Deus é Maior”, em protesto contra a retirada do versículo do site do colégio. (Foto: Reprodução/Larry Rosenberg)

Há poucos dias, o site do colégio norte-americano Troup Independent School District exibia a frase: "Quando Golias começou a vir na direção de Davi, este correu para a linha de batalha para enfrentá-lo”.

A escola foi forçada a remover a mensagem, retirada do trecho bíblico de 1 Samuel 17:48, por causa de uma denúncia da organização ateísta Freedom From Religion Foundation (FFRF). De acordo com a reclamação, a frase violava a Constituição Federal por promover uma religião em detrimento das outras.

No entanto, a remoção do versículo não foi bem vista pelos pais dos estudantes cristãos. Eles iniciaram uma campanha de camisetas com a frase “Nosso Deus é Maior” para protestar contra a retirada do trecho bíblico do site do colégio.

Os pais esclarecem que não é contra a escola que eles estão protestando, e sim pela escola. De acordo com Brittany Taylor, uma das mães envolvidas na campanha, os pais entendem que a gestão escolar está de mãos atadas.

Outra mãe, Cindy Carnes, disse que ao contrário da gestão da escola, os pais e filhos têm o direito de exercer a liberdade de adorar e louvar ativamente o seu Senhor.

Oposição à liberdade

FFRF é uma organização norte-americana que tem como principal foco promover a separação entre o Estado e a igreja. Este não é o primeiro caso em que o grupo ateísta se une para atacar a liberdade religiosa dentro das escolas.

Depois de se opor à distribuição de exemplares da Bíblia Sagrada nas escolas, realizada pelo grupo Gideões Internacionais, a FFRF quis distribuir uma literatura satanista aos estudantes.

Em uma carta enviada no dia 3 de março ao distrito escolar, Andrew Seidel, da FFRF, solicitou que o grupo ateu distribuísse não apenas literaturas de livre-pensamento, mas também um livro satânico para colorir — fornecido pelo Templo Satânico — que combate a "mensagem de condenação eterna dos Gideões para quem não acredita em Deus".

veja também