Garoto de 4 anos é internado com sinais de tortura e polícia suspeita de magia negra

Segundo a delegada, quando a criança chegou ao hospital, graves lesões foram constatadas e uma das orelhas do garoto estava deformada. Além disso, os ferimentos nos olhos comprometeram a visão da criança e as unhas dos pés haviam sido arrancadas.

fonte: Guiame, com informações do G1

Atualizado: Quarta-feira, 24 Fevereiro de 2016 as 1:44

Na última terça-feira (23), um garoto de 4 anos e 8 meses foi internado na Santa Casa de Campo Grande (MS), com sinais de tortura. Ferimentos nos olhos, queimaduras, um dos braços quebrados e vários outros hematomas foram confirmados pelos médicos.

Responsável pelo caso inicialmente na Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário (Depac) do Centro da cidade, a delegada Priscilla Anuda Quarti relatou que os ferimentos eram sinais de tortura e agora a polícia investiga a possibilidade de que a criança tenha sido usada em rituais de magia negra.

Os ferimentos teriam sido causados pelos tios da criança (um casal) e um primo. Os tios do garoto já estão presos, mas o primo ainda não foi encontrado.

Segundo a delegada, quando a criança chegou ao hospital, graves lesões foram constatadas e uma das orelhas do garoto estava deformada. Além disso, os ferimentos nos olhos comprometeram a visão da criança e as unhas dos pés haviam sido arrancadas.

Segundo informações obtidas até o momento por meio de investigações, o menino morava com a tia e o marido dela. Não há detalhes sobre os pais da criança.

Como o garoto já chegou a morar em um abrigo, antes de morar com os tios, recebia constantamente visitas de assistentes sociais e psicólogos na casa dos tios. Ao perceberem que o garoto estava ferido, os profissionais o encaminharam para atendimento médico.


Crianças e magia negra
O caso deste garoto de MS que não teve o seu nome revelado talvez venha a se assemelhar ao de diversas outras crianças que sofrem com torturas e envolvimento em rituais de magia negra. Um exemplo que ficou nacionalmente conhecido foi o do enteado do ex-ajudante de pedreiro, Roberto Carlos Magalhães, que aconteceu em dezembro de 2009 e ganhou grande projeção na mídia.

Com apenas dois anos de idade na época, o garoto foi teve mais de 30 agulhas encontradas dentro de seu corpo. Os objetos foram introduzidos pouco a pouco, durante rituais dos quais o Roberto participava, envolvendo a criança.

Procurado pela equipe do Portal Guiame, o missionário e escritor Daniel Mastral explicou em uma entrevista exclusiva, que o uso de crianças em rituais de magia negra tem razões específicas.

"Quando se fala em rituais, estamos nos reportando a algo rigoroso, isento de falhas. Como era no Velho Testamento no contexto do Tabernáculo. Tudo tem um significado, uma ordem, e um momento para realizar o rito, que tem como objetivo abrir um canal com as entidades (neste caso das agulhas no menino), e receber delas algum benefício", afirmou.

"Usar crianças remonta a história. Pois é símbolo de pureza, de inocência. O que por sua vez faz referência a Cristo, que embora, sendo sacrificado na fase adulta, preservava a pureza de uma criança. Com não há adultos, por assim dizer, 'puros', é mais comum usarem as vidas de crianças. Este é o principal pilar que sustenta o uso de crianças em rituais de Magia Negra".

Para conferir esta entrevista completa, clique aqui.

veja também