Líderes cristãos comentam sobre o filme "Deus Não Está Morto 2" em pré-estreia de Fortaleza

“Eu me senti super inspirada e influenciada a gritar para o mundo o que a gente vive e acredita", disse a líder do departamento de jovens da Comunidade Cristã Videira Sul, Debora Cortez.

fonte: Guiame, Karlos Aires

Atualizado: Terça-feira, 29 Março de 2016 as 2:53

Jovens da Comunidade Cristã Videira de Fortaleza. (Foto: Karlos Aires/Portal Guiame)
Jovens da Comunidade Cristã Videira de Fortaleza. (Foto: Karlos Aires/Portal Guiame)

O filme “Deus Não Está Morto 2” está em fase de pré-estreia com sessões exclusivas para imprensa e convidados em várias cidades do Brasil. Na última segunda-feira (28) foi a vez de Fortaleza (CE) receber a visita de Ygor Siqueira (360 WayUp), o responsável por trazer o longa.

Em parceria com a California Filmes, a 360 WayUp que já trouxe filmes como “Você Acredita?”, “Quarto de Guerra” e o mais recente “Ressurreição” está promovendo a produção americana com líderes e pastores cristãos, além da presença da imprensa local.

Antes de começar o filme, Ygor comenta sobre o cinema como forma de estratégia para ganhar vidas para Jesus. “No dia 7 de abril o filme estreia nos cinemas do Brasil. Ele não trás uma bandeira denominacional, por isso você pode usar esse filme como uma ferramenta estratégica para o seu ministério. Para que você possa usar essa ferramenta que é o cinema para alcançar aquela pessoa que nunca pisaria numa igreja ou nunca pisaria numa célula ou realmente está totalmente afastado”, disse.

“O cinema tem o potencial que muitas vezes outro veículo não tem. A partir do momento que a pessoa senta, ela desconecta de tudo e ela está totalmente aberta para receber uma mensagem, seja ela positiva ou negativa. E a nossa missão é colocar cada vez mais, filmes como este no cinema”, ressaltou.

Um filme emocionante

O empresário Everton Silva, responsável pela feira cristã Expoevangélica também se colocou sobre a produção em entrevista exclusiva para o Portal Guiame. “O filme é muito emocionante, baseado em histórias verdadeiras. Eu diria que todo crente deveria ou assistir esse filme ou comprar o DVD para ter em casa. Porque é um filme para assistir várias vezes e não cansa, além de você poder mostrar para uma pessoa que não é crente”, comentou.

“Um filme desse trás uma emoção muito forte na gente, sobre irmãos nossos que passaram por momentos difíceis, mas que não perderam a sua fé, deram a volta por cima e declararam que Deus não está morto. Os Estados Unidos é o berço do evangelho, país considerado cristão. Na janela 10/40, onde o evangelho é totalmente fechado, Deus tem usado pessoas para chegar até lá e evangelizar. Deus tem levantado uma geração de jovens para dar sequencia ao trabalho de pastores que vão passando, cada um no seu tempo, na sua geração e no seu propósito”, disse.

Evolução

Ronald Nascimento do blog Renovo, onde escreve suas impressões sobre filmes, ressaltou que se sente feliz em ver sua fé na tela de cinema. “É importante a gente vê a nossa fé sendo proclamada ali na tela, isso não tem preço. Essa é uma grande produção com um marketing tão grande. Isso é um sonho que eu tinha lá atrás quando só conseguia ver os filmes em fita VHS na igreja. Eu sonhava com o dia em que o cinema cristão iria lotar uma sala de cinema, com momento de oração, inclusive. De ver o reino sendo proclamado, inclusive através da sétima arte. Isso ai é maior do que qualquer gosto de um crítico venha a ter contra o filme”.

Sobre o longa, o blogueiro comentou: “Tem cenas maravilhosas, como a cena do coral que canta na porta da professora. É uma cena que contagia o cinema e toca a alma de qualquer espectador. ‘Deus não está morto’ merece ser visto e apreciado por todo cristão. É um filme que mostra uma realidade que a gente tem vivido, enquanto as leis e instituições questionam a nossa fé, muitas vezes a gente fica calado, sem reagir. O que é mais interessante é que o filme está sendo lançado no Brasil logo após a Páscoa, onde a gente acabou de anunciar a Ressurreição de Jesus Cristo”, pontuou.

"Temos mais para fazer"

Já a líder do departamento de jovens da Comunidade Cristã Videira Sul, Debora Cortez, 25, comentou que se sentiu influenciada a fazer mais em seu ministério. “Eu me senti super inspirada e influenciada a gritar para o mundo o que a gente vive e acredita. Sim, faz sentido, sim, vale a pena todo sacrifício. A gente vive por algo muito maior que a gente. Me senti muito impactada a ir mais longe nesse sentido de falar de Jesus”.

“Eu vejo que a gente já tem feito uma parte do propósito pelo qual fomos chamados por Deus, mas existe muito mais pra gente fazer e com certeza a gente se unindo como corpo, como jovens dessa geração, vamos ser sem dúvida nenhuma, a que mais vai pregar, porque sim, a sociedade vai precisar de Jesus muito mais que a de hoje. Então eu acredito que a gente pode fazer muito mais”, revelou.

veja também