Muçulmano que morreu após salvar cristãos de terroristas é homenageado no Quênia

Salah Farah se recusou a permitir que os terroristas separassem passageiros cristãos dos islâmicos durante o ataque a um ônibus.

fonte: Guiame, com informações de Christian Today

Atualizado: Sexta-feira, 1 Abril de 2016 as 12:20

Salah Farah arriscou sua vida ao proteger cristãos. (Foto: Jill Craig / VOA)
Salah Farah arriscou sua vida ao proteger cristãos. (Foto: Jill Craig / VOA)

Salah Farah, um professor muçulmano que arriscou sua vida ao proteger cristãos de morrerem nas mãos do grupo terrorista Al-Shabaab, no Quênia, recebeu um dos maiores prêmios do país por seu ato de coragem.

Farah, que morreu por causa dos ferimentos sofridos no ataque, foi homenageado com o “Order of The Great Warrior” (“Ordem do Grande Guerreiro”, em tradução livre), conforme anúncio feito pelo presidente do Quênia, Uhuru Kenyatta, nesta quinta-feira (30).

Kenyatta disse que se orgulhou por Farah ter "se recusado a ser dividido pelo terrorismo", e disse que o prêmio estava sendo entregue para homenagear "seu ato de coragem".

Farah, que era vice-diretor de uma escola primária em Mandera, estava em um ônibus com 60 passageiros quando foram parados por militantes da Al-Shabaab, em dezembro do ano passado.

Ele foi um dos muçulmanos que se recusaram a permitir que os terroristas separasse  os passageiros cristãos dos islâmicos, dizendo: "mate a todos nós, ou os deixem sozinhos".

"Somos irmãos. É apenas a religião que nos difere, então peço aos meus irmãos muçulmanos que cuidem dos cristãos, e que os cristãos também cuidem de nós... e deixe que um ajude ao outro", disse ele.

Al-Shabaab é um grupo terrorista ativo no nordeste do Quênia, onde a população muçulmana é mais concentrada.

veja também