Terremoto atinge o Equador e cristãos locais clamam: "Oremos por nosso país"

Pelo menos 77 pessoas morreram e outras centenas ficaram feridas. Diversas cidades costeiras do país ainda estão sob alerta de tsunami.

fonte: Guiame, com informações do Christian Today

Atualizado: Domingo, 17 Abril de 2016 as 10:03

Terremoto no Equador matou pelo menos 77 pessoas. (Foto: RT)
Terremoto no Equador matou pelo menos 77 pessoas. (Foto: RT)

Um forte terremoto matou pelo menos 77 pessoas e feriu outras centenas, devastando cidades costeiras, além de deixar diversas famílias desabrigadas no Equador, no último sábado (16), à noite.

O terremoto de magnitude 7,8 atingiu a costa do Pacífico do Equador e foi sentido a centenas de quilômetros de distância da capital, Quito, bem como na grande cidade comercial de Guayaquil, onde escombros ficaram espalhados pelas ruas e alguns edifícios estão rachados ou parcialmente desmoronado .

Este já é considerado o pior terremoto do Equador em décadas e as autoridades disseram que o número de mortos deve subir ainda mais, enquanto as equipes de resgate se dirigem para as áreas mais atingidas.

"Foi terrível, ficamos todos assustados e ainda estamos nas ruas porque estamos preocupados com tremores secundários", disse o guarda da cidade de Guayaquil, Fernando Garcia. "Tudo está danificado".

Seis províncias declararam estado de emergência

As áreas mais afetadas incluem Pedernales, que atrai turistas com praias ladeadas de palmeiras e restaurantes tropicais, bem como Cojimies próximas.

"Há aldeias que estão totalmente devastadas", disse o prefeito de Pedernales, Gabriel Alcivar, em uma entrevista de rádio. "O que aconteceu aqui em Pedernales é catastrófica".

Ramon Solorzano, de 46 anos, um comerciante de peças de automóveis na cidade de Manta, disse que estava se preparando para deixar a cidade com sua família.

"A maioria das pessoas estão nas ruas com mochilas, indo para um lugar mais alto", disse ele, falando em voz trêmula por um áudio de WhatsApp. "As ruas estão rachadas. Não há energia elétrica".

O tremor ocorreu a abrangeu uma área de 20 km de raio e foi seguido por 55 tremores secundários.

O presidente Rafael Correa declarou estado de emergência nacional e interrompeu uma viagem para o Vaticano para coordenar os esforços de resgate.

"Tudo pode ser reconstruído, mas vidas perdidas não podem ser recuperadas, e é isso o que dói mais", ele disse ao canal de televisão estatal do Equador a partir de Roma. "A parte material é o menos importante, o fundamental é garantir a vida humana".

Partes da capital ficaram sem energia ou sem serviço de telefonia por várias horas, embora o governo da cidade tenha dito que os serviços foram rapidamente restaurado e que não houve relatos de vítimas na cidade.

O governo descreveu como o pior terremoto no país desde 1979, quando 600 pessoas foram mortas e 20.000 ficaram feridas, de acordo com o 'Serviço de Pesquisa Geológica dos Estados Unidos' (USGS).

Um alerta de tsunami foi lançado na mesma noite do terremoto e os moradores do litoral foram incentivados a procurar terrenos mais elevados, para o caso de inundações.

A produção de petróleo da nação (OPEP) não foi afetada pelo terremoto, mas a da principal refinaria de Esmeraldas, localizada perto do epicentro, tinha sido interrompida como medida de precaução.


Clamor
Um jovem músico cristão do Equador comentou no Facebook, as recentes catástrofes que atingiram o seu país e pediu a todos que orem pelas famílias sobreviventes.

"Um transformador explodiu em frente à minha igreja e uma senhora foi atingida por causa disso. Sou grato porque meu escritório não sofreu danos até agora, mas orem pelas vítimas do terremoto, que teve seu epicentro na região de Esmeraldas e Pedernales. Guayaquil também sofreu algumas baixasl. Oremos pelo nosso belo país e pelo nosso belo povo. Orem pelo Equador", disse Leonel Munoz.

Do outro lado do Pacífico, no Japão, um tremor de 7,3 de magnitude atingiu a província de Kumamoto na madrugada de sábado, matando pelo menos 32 pessoas, ferindo cerca de 1.500 e causando danos generalizados, no segundo grande terremoto a atingir a ilha de Kyushu em pouco mais de 24 horas. O primeiro, na noite de quinta-feira, matou nove pessoas.

veja também