"Jesus me trouxe de volta à vida", diz ex-muçulmano, descendente de Maomé

Com ligação genealógica direta ao profeta Maomé, o paquistanês Ali Syed Hasnain Shah relata em seu novo livro, porque ele abandonou uma das mais prestigiadas famílias islâmicas de seu país e como Jesus o livrou da morte, após ser atacado por extremistas muçulmanos.

fonte: Guiame, com informações do Christian Post

Atualizado: Quinta-feira, 31 Março de 2016 as 11:10

Ali Syed Hasnain Shah. (Foto: Zondervan)
Ali Syed Hasnain Shah. (Foto: Zondervan)

Um descendente paquistanês do profeta islâmico Maomé, que quase foi esfaqueado até a morte por muçulmanos radicais, lançou um novo livro que detalha os riscos provenientes do extremismo religioso e como ele escapou dos ataques deferidos contra ele. Segundo seus relatos, sem a ajuda de Jesus Cristo, ele não teria sobrevivido aos mortais golpes de faca.

Ali Syed Hasnain Shah (nome fictício usado por motivos de segurança), que vem de uma família xiita proeminente com ligação genealógica direta a Maomé, detalha em seu novo livro "O Preço: Minha Vida em Uma Lista de Ataques Terroristas", como ele deixou de ser um membro de uma das mais prestigiadas famílias islâmicas em Lahore para tornar-se um 'infiel' (cristão) sendo forçados a se mudar de cidade para cidade, tentando escapar da ira dos radicais 'Wahabi', que procuravam matá-lo.

Tudo começou quando Ali foi enviado em uma viagem a Oxford, Inglaterra, em 2007, com 15 anos de idade, para visitar tia Gulshan, que estava doente e idosa.

Dias depois de chegar ao Reino Unido, Ali fez um comentário sobre os cristãos e foi aconselhado pelo assistente de sua tia que seria melhor ele ter cuidado com a maneira como ele falava sobre os cristãos e 'apóstatas' e foi informado que sua tia havia deixado o islamismo e se convertido ao cristianismo há muitos anos.

Apesar da dificuldade de acreditar que sua tia 'desonraria' sua prestigiosa família xiita, tornando-se uma cristã, Ali finalmente soube que ela havia escrito um livro sobre sua conversão. Ele conseguiu uma cópia e decidiu ler o testemunho, buscando entender por que sua abandonou a tradição muçulmana.

Depois de ler o livro, o rapaz ainda tinha dificuldades para compreender por que ela se tornara uma cristã. Então ele decidiu participar de um culto na igreja de Gulshan um dia, para que ele pudesse aprender mais sobre a fé cristã.

Durante o culto na igreja, o pastor perguntou aos fiéis: "Quem quer ver Jesus?".

Embora Ali fosse um muçulmano, ele se sentiu compelido a atender ao convite do pastor e foi até a frente da igreja para que ele pudesse finalmente começar a ver Jesus na esperança de entender o que sua tia viu nEle.

"Eu queria ver Jesus. Ele era o enigma no centro de tudo isso, a razão pela qual tia Gulshan virou as costas para sua família, seu patrimônio e sua religião", escreveu Ali. "Ele foi a razão de tudo isso e ali estava: um homem me oferecendo a chance de vê-lo por mim mesmo".

O pastor orou por Ali e disse-lhe para fechar os olhos. Enquanto o homem orava, Ali disse que sentiu um calor vindo da mão do pastor e uma luz por trás de suas pálpebras que ficava cada vez mais brilhante. Ali disse que suas pernas amoleceram e ele sentiu como se suas forças fossem sugadas.

"Meu filho", Ali recordou uma voz chamando por ele. "Você queria me ver. Eu estou aqui. Obedeça-me. Eu perdoarei os seus pecados e te darei a vida eterna".

Naquela noite, Ali voltou para a casa de sua tia e o sono lhe veio rapidamente. Naquela noite, Ali disse Jesus apareceu para ele em um sonho.

"Não tenha medo", Ali se lembra de Jesus dizendo a ele no sonho. "Eu vou proteger você".


Difícil retorno
A fé muçulmana de Ali foi sempre colocada à prova, o que só tornaria as coisas muito difíceis para ele, uma vez que ele voltou para o Paquistão, onde os 'apóstatas' do Islã são fortemente perseguidos e muitas vezes assassinados.

Após o retorno de Ali ao Paquistão, ele ficou distante da mesquita e das orações tradicionais, que fazem parte da cultura muçulmana. Em vez de ir a uma mesquita para cumprir seus 'compromissos religiosos', Ali começou a ir para a parte superior do telhado de sua casa para orar a Jesus.

Mesmo preocupado em achar formas de esconder a sua fé cristã de sua família e da sociedade muçulmana, Ali escreveu que sentia paz e conforto quando ele ia para o telhado e orava.

Embora Ali tenha obtido sucesso em esconder sua crença em Jesus Cristo de sua família e amigos, não demorou muito até que ele cometesse o 'erro' de dizer aos seus colegas que o caminho certo para buscar o perdão está em Jesus Cristo.

Depois que o primeiro-ministro paquistanês Benazir Bhutto foi assassinado em 2007, colegas de escola de Ali estavam conversando sobre o caminho certo para sacrificar um animal, buscando a remissão de seus pecados.

Paquistaneses protestam contra a intolerância religiosa, durante velório de um cristão. (Foto: Reuters)

"Vocês estão errados", disse Ali. "Sacrificar um animal não é o caminho certo para lidar com o pecado. Eu tive um sonho quando eu estava na Inglaterra, que me mostrou a verdade. Se você quiser saber como lidar com o pecado, você tem que orar a Jesus".

No dia seguinte, após deixar a escola, um dos 'colegas' de Ali e vários primos do rapaz o atacaram. Depois Ali foi espancado no chão com pontapés e teve suas pernas e seus pés presos. Depois ele notou que um homem mais velho com uma barba e um turbante se aproximou.

"Você tentou transformar nossos jovens em kafir's [termo usado para se referir aos não muçulmanos]", disse o homem, segundo relato de Ali. "O Islã me dá o direito de matar qualquer infiel que faça isso ou fale contra o nosso amado profeta".

O homem, que Ali mais tarde descobriu que fazia parte de um grupo radical sunita 'Wahabi' em Lahore, em seguida, enfiou a mão no bolso, sacou um canivete e o esfaqueou no peito. Por pouco a faca não atingiu o coração de Ali, mas perfurou seu pulmão.

Ali não poderia lutar mais e caiu inconsciente no chão, enquanto a dor em seu peito era muito grande. Ele disse que o que aconteceu em seguida foi que ele foi abordado por Jesus.

"Você foi ferido, porque você estava me defendendo", teria dito Jesus, segundo o relato do rapaz. "Eu não vou deixar você morrer ... Eu vou te proteger".

Quando Ali voltou à consciência, ele foi informado por sua mãe que um guarda da segurança o tinha encontrado e o levou para o hospital. No entanto, os pulmões e o estômago de Ali estavam tão cheios de sangue que o médico acreditava que Ali tinha apenas 20 minutos restantes de vida.

Depois disso, Ali começou a dar sinais de que estava voltando à vida. O médico disse que ele não conseguia explicar o que aconteceu com a grande quantidade de sangue que ele não foi capaz de drenar para fora dos pulmões e do estômago.

"Lembro-me de Jesus, com a mão no meu peito e suas palavras. E eu sabia que Ele era o único que poderia me salvar", declarou Ali. "Ele era o único que tinha me protegido, assim como a sua promessa feita no meu sonho. Ele era o único que podia me trazer de volta à vida".


Testemunhos
Assim como o testemunho de Ali, diversos outros muçulmanos em todo o mundo têm relatado que Jesus está aparecendo em sonho e lhes dando conforto e paz em meio à angústia de suas crises de fé sobre o islamismo.

O ex-muçulmano Yassar (também um nome fictício, por razões de segurança) viveu uma experiência fantástica em que o próprio Jesus se revelou a ele em sonho e a partir dali sua vida se transformou.

veja também