MENU

Consumidor já paga até R$ 3 por litro de gasolina em São Paulo

Consumidor já paga até R$ 3 por litro de gasolina em São Paulo

Atualizado: Sexta-feira, 29 Abril de 2011 as 9:40

Ao contrário das previsões, os preços da gasolina e do etanol na cidade de São Paulo continuam a subir este mês e são os mais altos desde maio de 2004, último dado disponível, segundo levantamento de preços feito em 1.047 postos pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).   Este mês paga-se, em média, R$ 2,67 pelo litro de gasolina e R$ 2,19 pelo etanol em São Paulo, alta de 4,49% e 8,7% em relação a março, respectivamente. Mas é possível encontrar gasolina a mais de R$ 3 em pelo menos três postos da cidade, na região da Barra Funda e no Jardim América, segundo levantamento da ANP na semana passada. Já o preço mais baixo era encontrado na Casa Verde, a R$ 2,37.    Tanto para quem escolhe o etanol como para quem prefere a gasolina, no entanto, algumas dicas podem ajudar a economizar combustível.

Segundo José Roberto de Campos, chefe da divisão de motores e veículos do centro de pesquisas do Instituto Mauá de Tecnologia, utilizar menos o ar condicionado, por exemplo, é uma das atitudes recomendadas para poupar energia e dinheiro. Ligar o ar condicionado com as janelas semiabertas também não é indicado. "Qualquer equipamento elétrico consome mais combustível", afirma.

Deixar os pneus na pressão indicada no manual do veículo, além de fazer a manutenção preventiva, é essencial para evitar desperdícios. No semáforo ou nos congestionamentos, não vale a pena desligar o carro, a não ser que o veículo vá ficar parado por mais de dois minutos.

Campos aponta ainda que é melhor utilizar a marcha mais alta possível, com rotação de até 2,5 mil giros. "Claro que você não vai ter tanta agilidade, mas normalmente quanto menor a rotação do motor, maior a economia".

A impaciência no trânsito, de acordo com Campos, é também vilã da economia. Acelerar muito faz com que os freios sejam mais utilizados, o que provoca maior gasto de energia. "É preciso manter o acelerador mais constante possível", aconselha.

Em maio de 2004, pagava-se R$ 1,86 pela gasolina e R$ 0,79 pelo etanol. Desde então, a gasolina subiu 43% e o etanol, 177%. Nos últimos 12 meses, o aumento foi de 9,6 % e 48%. Isso porque este ano, além do fator sazonal da entressafra da cana-de-açúcar, distribuidoras e usinas de etanol citam fatores climáticos excepcionais, como chuvas intensas, que prejudicaram a plantação e reduziram a oferta.

Por outro lado, a demanda pelo combustível vem crescendo, assim como a venda de automóveis e o aumento de renda da população. Porém, os investimentos no setor não são suficientes para atendê-la, de acordo com o economista Thiago Curado, da Tendências Consultoria. Para completar, o açúcar teve forte valorização em 2010, o que levou produtores a optarem pelo açúcar, mais rentável. Como a gasolina é composta por 25% de etanol, também sofre com o aumento.          

veja também