MENU

Líder do Brasileirão, geração atual tem promessa de vida longa no Flu

Líder do Brasileirão, geração atual tem promessa de vida longa no Flu

Atualizado: Terça-feira, 24 Agosto de 2010 as 8:27

Caminho aberto para o título do Brasileirão e muito mais. Se em 1960, quando escreveu o Soneto da Felicidade, o poeta Vinícius de Moraes eternizou a frase “que seja eterno enquanto dure”, o Fluminense deseja também tornar quase infinito o momento feliz da equipe. Líder do Brasileirão, o Tricolor é o time da moda no Brasil, e a torcida sonha que a lua-de-mel com a vitória seja eterna ao menos enquanto durarem os contratos dos jogadores que colocaram o clube novamente como protagonista do futebol nacional. E neste quesito, o horizonte é empolgante. Clube que mais investiu em contratações na temporada, o Flu se preocupou em se cercar de cuidados para que sua equipe “galáctica” não seja passageira e, na mesma medida que os salários milionários chamam a atenção, os contratos longos dão a segurança de um trabalho a longo prazo. Dos 32 jogadores do elenco, apenas quatro têm o vínculo encerrado no fim de 2010: Washington, Cássio, Ricardo Berna e Equi Gonzalez.

Mais aproveitado do quarteto, o Coração Valente pode até mesmo ser colocado fora deste grupo se levado em conta a cláusula de renovação automática por mais uma temporada que pode ser exercida no próximo dia 31 de dezembro. O novo acordo o colocaria em igualdade de condições do restante dos titulares da equipe, todos com contrato, no mínimo, até o fim de 2011.

A grande maioria, porém, está presa ao Flu por períodos mais longos, e quem não está, casos de Fernando Henrique e Darío Conca, já negocia ou será procurado em breve para discutir as ampliações dos contratos.

- É lógico que vamos procurar o Conca para renovar. Não teria lógica contratar jogadores e não mantê-lo – disse o vice-presidente de futebol, Alcides Antunes, após entrevista em que o argentino cobrou reconhecimento

  Cobrança que, por sinal, está diretamente ligada às chegadas de Deco e Belletti, que assinaram por dois anos, e a renovação de Fred. Estrela maior da companhia, o atacante ampliou em um ano e cinco meses o contrato que iria até março de 2014, sendo tricolor até o fim de julho de 2015.

Obviamente, os contratos não garantem a permanência dos atletas nas Laranjeiras. Entretanto, multas rescisórias com valores sigilosos foram estipuladas com este intuito. Para tirar qualquer um dos “galácticos” do Tricolor, será necessário pagar valores tão altos quanto os salários astronômicos – cifras estas que terão como destino o clube, e não o patrocinador, responsável pelas contratações mais impactantes.

Juras de amor eterno

A julgar pelo discurso dos atletas, a possibilidade de desmanche da equipe é remota. Se os mais velhos, como Deco (32 anos) e Belletti (34), já levantaram a possibilidade de terem os contratos atuais como os últimos das carreiras, outros fizeram juras de amor eterno.

- Hoje não me vejo saindo do Fluminense. Enquanto tiver condições de jogar futebol, será aqui – garantiu Fred.

E o atacante não é o único exemplo. Emerson disse estar à disposição para prorrogar a qualquer momento o contrato que vai até 31 de dezembro de 2012 por “mais cinco anos” e Fernando Henrique já disse que “se deixarem joga a vida inteira no Tricolor”.

No comando de tantos jogadores renomados está um treinador com a “garantia” de ter a tão sonhada “tranquilidade para trabalhar”. Contratado inicialmente para dirigir a equipe até o fim deste ano, Muricy Ramalho renovou dias antes de receber o convite para assumir a Seleção Brasileira por mais duas temporadas.

Além de garantias contratuais, ele recebeu também a promessa pública de toda a cúpula do futebol de que não será demitido antes do fim de 2012, em entrevista na ocasião da não liberação do profissional para a equipe nacional.

- O Muricy vai continuar no clube cumprindo o contrato como deve ser. Pessoas do nível dele são necessárias no futebol – afirmou o presidente Roberto Horcades com o apoio do presidente do patrocinador, Celso Barros, e do vice de futebol, Alcides Antunes.

No papel, o líder do Brasileirão tem time para mais dois anos. Resta saber se a licença poética para usar a frase de Vinícius de Moraes garantirá eternidade enquanto durarem os contratos ou os bons resultados.

Confira a situação contratual do restante do elenco:

Cássio – 31/12/2010

Digão – 31/12/2012

Carlinhos – 16/05/2013

Dieguinho – 31/06/2012

Gerson – 21/04/2012

Klever – 31/12/2014

Ricardo Berna – 31/12/2010

Rafael – 31/02/2014

Fernando Bob – 31/07/2013

Thiaguinho – 31/12/2011

Valencia – 16/08/2012

Equi Gonzalez – 27/12/2010

Marquinho – 31/12/2011

Rafael Augusto – 31/03/2013

Tartá – 24/08/2012

Willians – 31/12/2014

Rodriguinho – 05/05/2013

Wellington Silva – 05/01/2012

veja também