MENU

Apple negocia locação de programas de TV com gigantes da mídia

Apple negocia locação de programas de TV com gigantes da mídia

Atualizado: Quinta-feira, 26 Agosto de 2010 as 10:28

A Apple está negociando com a News Corp., Walt Disney e outros conglomerados de mídia o aluguel de programas de TV a telespectadores por US$0,99, via iTunes, afirmaram três fontes conhecedoras do assunto.

Segundo uma das fontes da indústria, que falaram sob a condição de anonimato, diversas empresas de mídia, entre as quais NBC e CBS, não pareciam entusiasmadas com o plano porque acreditam que ele reduz o faturamento que já obtêm via iTunes.

Mas alguns analistas ponderaram que, se o acordo for confirmado, a receita propiciada pelo iTunes provavelmente reduzirá o faturamento que as redes de TV conseguem com conteúdo grátis bancado por publicidade, como o oferecido em sites como o Hulu.

Representantes da Apple, Disney, News Corp., CBS e da divisão NBC da General Electric preferiram não comentar o assunto. A Disney controla a rede de TV ABC, e a News Corp. é dona da rede Fox.

Nos Estados Unidos, os usuário já podem comprar – para assistir ilimitadas vezes – episódios de séries de sucesso como "Lost" ao preço de US$1,99 por episódio. "No momento, somos contra. Não acreditamos que seja um bom modelo de negócios. Por que cortar nosso preço?," disse uma das fontes.

iPod Touch

A Apple também está a ponto de lançar uma versão nova de seu iPod Touch, com tela de maior resolução, de acordo com a agência de notícias Bloomberg, que veiculou a notícia sobre a negociação entre a Apple e as redes.

A Fox e a ABC já oferecem episódios por meio do site de vídeo Hulu, uma joint venture com a NBC que, até recentemente, oferecia gratuitamente programas via stream; nas últimas semanas, mas começou a cobrar pelo acesso a seu conteúdo. E todas as empresas de mídia também têm acordos de conteúdo em vigor com as operadoras de TV a cabo e via satélite.

"Em certo sentido, o modelo de locação dificulta as vendas, mas é essa a direção em que o mundo está avançando," disse Tom Adams, presidente da Screen Digest.

Postado por: Thatiane de Souza

veja também