MENU

Universidade de Londrina (PR) cancela aulas por causa da nova gripe

Universidade de Londrina (PR) cancela aulas por causa da nova gripe

Atualizado: Quinta-feira, 25 Junho de 2009 as 12

A Universidade Estadual de Londrina (UEL) decidiu suspender as aulas e todas as atividades administrativas nesta quinta-feira, dia 25 de junho, até a próxima segunda-feira, dia 29, por causa dos casos da nova gripe.

A decisão foi tomada durante reunião de emergência, frente ao fato de que uma estudante universitária da Universidade Estadual Paulista (Unesp), que contraiu a nova gripe e que teve contato direto com servidores e estudantes da UEL, em 16 de junho. Segundo nota, a partir desta quinta-feira só vão funcionar os serviços de emergência fundamentais como Hospital Veterinário (HV) e de Clínicas (HC).

Também por causa da doença, o campus da Unesp em Assis (SP) teve as aulas suspensas até o fim desta semana. A medida foi tomada após a confirmação do segundo caso da nova gripe na cidade. Uma estudante de biologia e outra de psicologia da universidade foram infectadas.

De acordo com Wilmar Marçal, reitor da UEL, justificou a medida como preventiva, para evitar problemas posteriores. Segundo ele, a atividade acadêmica preconiza reuniões em locais fechados, o que facilita a difusão do vírus.

Ainda segundo o documento, as autoridades sanitárias informaram que 25 pessoas do Centro de Ciências Agrárias (CCA) e do setor de Anatomia da UEL estão afastados das atividades por dez dias. Estes pacientes são monitorados pelas autoridades sanitárias, sendo que uma paciente, servidora técnica-administrativa, está internada apresentando os sintomas da doença.

A administração da universidade apurou que a estudante da Unesp circulou pelo Restaurante Universitário e Biblioteca Central, locais de grande concentração de pessoas. A estudante também teve aulas no Laboratório de Anatomia e ainda manteve contato com estudantes das áreas agrárias. Todos os casos estão sendo monitorados pela Vigilância Sanitária, que tomou as providências, visando o bloqueio da cadeia epidemiológica de transmissão do vírus A-H1N1.

Caso grave

Uma jovem de 14 anos está internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Universitário de Santa Maria, no Rio Grande do Sul, com diagnóstico da nova gripe. Ela é moradora de São Gabriel (RS), cidade que está em situação de emergência desde segunda-feira, dia 22 de junho, após contrair doença em uma viagem para a Argentina. Aulas e eventos estão proibidos no município e nem missa pode ser rezada.

Em nota, o hospital confirmou o caso da paciente vinda de São Gabriel. Segundo o documento, o quadro clínico indica pneumonia viral primária, com significativa gravidade. No entanto, de acordo com os médicos, a paciente apresenta melhora gradual e progressiva nas últimas 36 horas.

O Núcleo de Vigilância Epidemiológica Hospitalar aguarda resultados de outros sete casos de suspeita da nova gripe. Quatro deles tiveram material coletado há dois dias, com possível resultado para a próxima sexta-feira, 26 de junho.

Na manhã desta quinta-feira, dia 25, foram coletadas amostras de outros três pacientes, um deles de Santa Maria (RS) e outros dois de Jaguari (RS). O resultado está previsto para a próxima segunda-feira (29).

Ainda segundo a nota do hospital, em Santa Maria, a situação é de tranquilidade, uma vez que não existem casos locais confirmados. Não há necessidade de uso de máscaras na comunidade. A orientação é apenas para medidas higiênicas e ventilação de ambientes própria para prevenção de qualquer doença viral respiratória.

Fronteiras

Nos estados da Região Sul, a maior preocupação com relação à nova gripe é com as fronteiras. A vigilância foi intensificada no Paraná por causa da confirmação de cinco casos da doença. Em Uruguaiana, cidade gaúcha que faz fronteira com a Argentina, a Polícia Federal e Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) fiscalizam os veículos.

"A nenhum viajante que ingressar no país será concedida autorização sem antes ter parecer sanitário", diz Adriana Pahim, da Anvisa.

Na Argentina já há 1.294 casos da nova gripe e 18 pessoas morreram. Na fronteira do Uruguai, em Santana do Livramento (RS), a Anvisa foi autorizada a montar um posto em Rivera, no país vizinho, mas a livre circulação de pessoas que fazem compras na cidade dificulta o controle.

Situação de emergência

Em São Gabriel, a cerca de 300 quilômetros da fronteira com a Argentina, os moradores estão evitando lugares públicos. Nos bancos, por exemplo, o movimento caiu. E quem tem que atender os clientes trabalha de máscara. Tem sido assim em supermercados, lojas, postos de gasolina e restaurantes.

Uma adolescente que esteve na Argentina contraiu a gripe e está internada em estado grave, em Santa Maria. O médico que fez o diagnóstico diz que o caso dela não é comum. "Sabemos que a gripe A é menos letal que uma influenza normal. No caso dessa menina provavelmente ela acabou tendo uma diminuição da imunidade e uma bactéria levou a um quadro de pneumonia. É uma situação extrema, mas um caso isolado. Não é assim que se comporta essa gripe", diz Nilson Pereira, pneumologista.

veja também