50 razões para não assistir ao filme Cinquenta Tons de Cinza

Muitos acreditam hoje, mesmo dentro da igreja, que a perversão sexual, quando concebida entre os pares, é válida. E aí está o problema! O filme normatiza a cultura pornográfica no meio social

Fonte: Guiame, Bruno dos SantosAtualizado: quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015 12:10
Cinquenta Tons de Cinza
Cinquenta Tons de Cinza

Cinquenta Tons de Cinza é o título do livro homônimo do filme que está sendo exibido em cinemas de todo o mundo. Basicamente é a história de uma virgem inocente chamada Anastasia Steele e um influente e poderoso (e emocionalmente doente) homem de negócios chamado Christian Grey. A tentativa de temas como estes, é mostrar a “normalidade" de uma relação de interesses, baseada em taras, sadomasoquismo, tesão descontrolado, e o prazer de ter o que se quiser com dinheiro e com sexo. O filme fala de tudo, menos de paixão ou amor, é um pornô soft, que relativiza a liberdade sexual, onde vale tudo pela excitação e individualismo.

O problema de filmes como este, é que o mal só precisa de um pequeno espaço para instalar sua “cunha" e abrir uma fenda enorme no caráter das pessoas. O ciclo da auto-gratificação e luxúria é um poderoso estimulante para vender a tese de que vale tudo para satisfazer seu desejo sexual mais sórdido. E este tipo de comportamento machuca as pessoas que dele se valem, emocionalmente, fisicamente e espiritualmente.

Muitos acreditam hoje, mesmo dentro da igreja, que a perversão sexual, quando concebida entre os pares, é válida. E aí está o problema! O filme normatiza a cultura pornográfica no meio social, e é uma grande ferramenta de generalização do divórcio, adultério e abuso sexual, temas que agridem diretamente o núcleo familiar convencional. Por isso, proponho 50 boas razões cristãs para não assistir ao filme 50 Tons de Cinza. Vamos à lista:

É um filme pornô disfarçado de romance.

É um filme que descrimina a mulher como objeto sexual.

É um filme produzido para a imoralidade sexual.

É um filme que torna o outro um objeto de satisfação.

É um filme contrário ao conceito bíblico de relacionamento.

É um filme que gera referências distorcidas entre os jovens.

É um filme que retrata um relacionamento abusivo.

É um filme feito para pessoas sexualmente inseguras.

É um filme que desrespeita a dignidade humana.

É um filme que "coisifica" o sexo.

É um filme que normatiza comportamentos abusivos.

É um filme incentiva o adultério.

É um filme que fantasia o verdadeiro extrato social.

É um filme que ensina que humilhação é algo erótico e bom.

É um filme que estimula o controle e a ameaça entre o casal.

É um filme que aborda a cultura do estupro.

É um filme que trata a virgindade como algo errado.

É um filme que carrega uma mensagem tóxica para os casais.

É um filme que afeta os padrões normais de sanidade sexual.

É um filme que promove a violência contra a mulher.

É um filme que incentiva valores invertidos.

É um filme que confunde amor com obsessão.

É um filme que incentiva a relação de favores e interesses pessoais.

É um filme feito com a intenção de promover a luxúria.

É um filme produzido para uma sociedade sexualmente doente.

É um filme que carrega inúmeras mensagens subliminares.

É um filme que incentiva a cultura machista.

É um filme que ignora completamente o matrimônio.

É um filme que não se preocupa com os limites do prazer.

É um filme com uma história improvável e fútil.

É um filme que trata o sadomasoquismo como normal.

É um filme inapropriado para uma relação sadia.

É um filme que promove a relação sexual entre desconhecidos.

É um filme que não evidencia cuidado com doenças sexualmente transmissíveis.

É um filme que mistura psicologia barata e taras sexuais.

É um filme que incentiva a corrupção sexual e relações ilícitas.

É um filme que abranda a idéia de "escravos sexuais”.

É um filme que estigmatiza a mulher pura como sendo no fundo uma “sem vergonha”.

É um filme que envolve danos emocionais profundos.

É um filme que foge do ideal bíblico de sexualidade.

É um filme que se deleita na pornografia travestida de paixão.

É um filme que cria e populariza mitos emocionais.

É um filme que despreza os sentimentos do outro.

É um filme que ensina que o dinheiro é razão de uma relação.

É um filme que possui conteúdo sexual impróprio para menores.

É um filme que ajuda o mercado milionário da pornografia.

É um filme de exploração sexual e de auto-gratificação.

É um filme que exalta a dormência sexual e a falta de verdadeira intimidade.

É um filme que revela o coração imoral da nossa geração.

É um filme que celebra o pecado.

 

Siga-nos

Mais do Guiame