MENU

O Caso Uniban pela ótica de Jesus

O Caso Uniban pela ótica de Jesus

Atualizado: Segunda-feira, 16 Novembro de 2009 as 12

Todos conhecem o famoso (e desgastado) caso da aluna da Uniban, Geisy Arruda (20 anos) que foi vítima de preconceito pelo uso de seus trajes considerados "curtos" por alguns alunos da universidade. Questionado a respeito do que pensava sobre este assunto, me lembrei das palavras do mestre: "Quem não tiver pecado que atire a primeira pedra!"

Infelizmente hoje as universidades fazem parte dos lugares onde mais se consomem drogas e sexo. Em qualquer universidade pode-se "descolar" drogas e sexo com a mesma facilidade das boates e bares do centro. A contestação desses alunos é pura demagogia, uma vez que os tais críticos da loira são os que mais alimentam a internet com pornografia e baboseiras afins.

O que fizeram com a garota foi uma exposição tão hipócrita, quanto aquela que os fariseus e mestres da lei, fizeram com a mulher pega em flagrante adultério (Jo 8:3). Ela foi apenas um instrumento da maior demonstração de hipocrisia moralista, uma vez que todos acusaram em público aquilo que suas taras desejavam escondidas no coração. Pois Jesus ao permitir que atirasse pedras "aquele" que não tivesse cometido pecado, fez cada um se auto-avaliar e todos do mais velho ao mais novo, desistiram de acusar aquela mulher.

Essa turba da Uniban, a Universidade, os críticos de plantão, sejam eles religiosos, moralistas, sociólogos ou curiosos (e eu me incluo nessa), não possuem direito algum de acusar e maltratar a garota. E mesmo que ela (como dizem alguns) estivesse provocando com um comportamento vulgar, ainda assim, isso não nos dá o direito de tratá-la com repulsa e julgá-la condenando-a por uma atitude impensada. Esse caso é prova de que a faculdade pode promover o conhecimento, mas hoje já não promove mais o caráter das pessoas.

Num país onde o presidente sobre clara apologia a ignorância (ele adora dizer que não precisou cursar uma universidade) está preocupado em manter sua imagem diante dos holofotes promovendo suas virtudes, nunca seus defeitos. A sociedade acha-se apta para julgar qualquer "desvio comportamental", e as universidades transformadas em mercados da educação, ao invés de universalizar as causas mais nobres da humanidade, amesquinham o espírito das pessoas.

Pr. Bruno dos Santos

Pr. Bruno dos Santos é português, 35 anos, teólogo e professor nas áreas de Novo Testamento e Teologia Sistemática. Escritor e Conferencista nas áreas de liderança e vida cristã. Colunista do Portal Guia-me. Exerce sua atividade pastoral na ONG Conexão Vida, na Zona Leste da Cidade de São Paulo, e é casado com Silvia Regina, tem três filhos: Lucas, Laís e Ana Luiza.

Site Recomendado:

www.conexaovidaonline.blogspot.com

veja também