MENU

O céu não é o limite

O céu não é o limite

Atualizado: Terça-feira, 3 Novembro de 2009 as 12

A Bíblia Sagrada sempre esteve a frente dos cientistas, uma de nossas mais recentes descobertas científicas, a clonagem e a manipulação genética, já é fato antigo nos relatos bíblicos. Afinal, todos sabem que Eva foi feita a partir de uma combinação genética de Adão. Mas muitas pessoas insistem em dizer que a Bíblia é um livro antiquado e moralista, quando na verdade a Bíblia é atualíssima em suas revelações. Uma das mais recentes tem a ver com a discussão da existência de vida extraterrestre.

Desde os tempos mais remotos, mestres da antiguidade, tanto na Suméria, como no Egito, na China, no México ou em qualquer outra civilização antiga, eram bastante versados na localização e nas órbitas das estrelas visíveis. Eles as tinham contado, catalogado e agrupado, declarando que o número total era de quase 2 mil estrelas!

Mas a Sagrada Escritura estava muito à frente destes antigos cientistas. De acordo com a Bíblia, as estrelas são tantas quanto os grãos da areia na praia (Gênesis 22:17) e simplesmente não podem ser contadas! A imensidão do espaço celestial foi - e continua sendo - totalmente incompreensível para o homem. "Porque assim como os céus são mais altos do que a terra, assim são os meus caminhos mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos mais altos do que os vossos pensarnentos" (Isaías 55:9).

A origem e o propósito das estrelas não deixavam mais perplexos os observadores da antiguidade do que os nossos astrônomos modernos. Naturalmente não há falta de teorias, e novas teorias estão sendo desenvolvidas com bastante frequência, com o propósito de explicar a origem e a evolução e a razão do universo ser como é. Algumas perguntas inquietantes na cabeça de muitos são: Por que o Universo sendo tão imenso, Deus não habitaria outros planetas como o nosso? Por que há tipos tão diferentes de estrelas e galáxias e fenômenos interestelares? Por que os outros planetas mais próximos são estéreis? Qual é o propósito dos pulsares e quasares? E assim por diante.

São muitas as perguntas e poucas as respostas, mas sabemos que a maioria das estrelas são úteis para dar luz, para a navegação e para a cronologia. São uma fonte de beleza e inspiração para a humanidade. Além disso, cada nova descoberta nos céus estelar aumenta o nosso espanto diante da imensidão do poder e da variedade do Criador. E assim como o salmista refletimos: "Os céus proclamam a glória de Deus e o firmamento anuncia as obras das suas mãos" (Salmo 19:1).

Os entusiastas do assunto se aprofundam ainda mais na especulação de vida em outros planetas ou a origem do fenômeno OVNI. O grande questionamento está no fato de pensar se a vida foi especificamente criada para a Terra, e a terra para a vida? Até onde podemos observar, não existem nem mesmo planetas em outra parte equipados para sustentar vida biológica. E mesmo se existisse, quando a estrela mais próxima se encontra a quatro anos-luz de distância, não há possibilidade racional de algum dia sermos capazes de nos comunicar com tais hipotéticos seres do espaço de tais hipotéticos planetas.

Por mais espantoso que possa parecer, o homem está inescapavelmente confinado a apenas um pequenino ponto no vasto universo. Mas isso não negaria a possibilidade de vida (não podemos relacionar a ideia de seres viventes apenas à condição biológica) e diferentes energias em outros rincões do universo criado.

Desde a mitologia antiga, as estrelas e os seres angelicais permeiam os acontecimentos históricos e o imaginário coletivo. Seres angelicais podem possuir uma relação com este cosmo físico e real. Contudo, são seres espirituais, não físicos e, portanto, não estão restritos a forças gravitacionais e eletromagnéticas que controlam os corpos formados por elementos químicos.

Portanto, há um exército de estrelas incontáveis nos céus e também um incontável exército angélico. Este parece que habita aquele e estão, portanto, intimamente relacionados, tanto nas Escrituras, como na mitologia.

Mas apenas os anjos podem alcançar as estrelas, por que Deus colocou tão estranha fascinação e anseio pelo céu no coração do homem?

Saiba mais em breve.

A Deus toda a Glória

Pr. Bruno dos Santos

Pr. Bruno dos Santos é português, 35 anos, teólogo e professor nas áreas de Novo Testamento e Teologia Sistemática. Escritor e Conferencista nas áreas de liderança e vida cristã. Colunista do Portal Guia-me. Exerce sua atividade pastoral na ONG Conexão Vida, na Zona Leste da Cidade de São Paulo, e é casado com Silvia Regina, tem três filhos: Lucas, Laís e Ana Luiza.

Site Recomendado:

www.conexaovidaonline.blogspot.com

veja também