MENU

Um cristão pode ser cremado?

Um cristão pode ser cremado?

Atualizado: Terça-feira, 5 Abril de 2011 as 12:26

"Com o suor do seu rosto você comerá o seu pão, até que volte à terra, visto que dela foi tirado; porque você é pó e ao pó voltará". (Gn 3:19)

Um corpo usualmente vestido, mas sem nenhuma jóia, desliza dentro de um forno de tijolos em linha, semelhante ao forno de pães. O gás e o óleo do forno são aquecidos ate cerca de 1.700 graus, muito embora o que permanece no forno seja chamado de cinzas, na verdade são fragmentos de ossos. Esses ossos são colocados em um recipiente para resfriamento. Próteses e coroas dentárias, entre outras coisas, são removidos e todo o processo dura cerca de 3 horas. O resultado fica reduzido a aproximadamente 3 Kg. de fragmentos que cabem em uma caixa de sapatos. Este é todo o processo de cremação. A palavra cremação deriva do verbo latino “cremare”, seu significado retrata a "ação de queimar" ou "consumir pelo fogo". A cremação é o ato de queimar um cadáver até reduzi-lo as cinzas.

A forma como tratamos nossos mortos, parece ser mais uma questão cultural do que religiosa. "Parece" não existirem comandos bíblicos específicos e literais sobre a cremação de mortos na Bíblia. Sabemos que na maioria das culturas vigentes na Bíblia, era bastante comum os corpos serem colocados em tumbas, cavernas ou enterrados no solo, isto é, o sepultamento era a prática mais comum, mas não a única forma praticada para se dispor de um corpo.

A cremação também é uma prática antiga. Historiadores afirmam que no inicio da era cristã, o paganismo se utilizou desta prática para contradizer a idéia cristã da ressurreição do corpo. Não podemos esquecer que muitos cristãos foram queimados por ordem de César na igreja primitiva. E que o mundo romano foi iluminado com cristãos pregados em cruzes, ou transformados em tochas vivas. A própria Igreja de Roma queimou, na estaca, milhares de pessoas (cristãos bíblicos e judeus) classificadas como hereges. Estas mortes atestam a crueldade humana, mas não limitam a ação do poder de Deus.

Apesar de alguns considerarem que esta prática deva ser discernida conforme a liberdade cristã ou pela escolha da família, um estudo mais acurado na bíblia, nos mostra coisas curiosas e interessantes sobre o assunto. José é um destes casos especiais, vejamos; O corpo de José foi mantido por mais de 400 anos no Egito, e então transportado por 40 anos para ser sepultado na terra prometida. Vemos isso em Gn 50:24-25 e Êx 13:19, além de Josué 24:32. Os israelitas poderiam simplesmente terem cremado e transportado seu corpo em um recipiente, mas quiseram-lhe dar um sepultamento digno. O sepultamento parece ser a prática cristã constante, pois ele simboliza e tipifica a nossa esperança na doutrina da ressurreição. Outros exemplos disso são:

* Abraão foi sepultado (Gênesis 25:8-10)

* Sara foi sepultado (Gênesis 23:1-4)

* Raquel foi sepultado (Gênesis 35:19-20)

* Isaque foi sepultado (Gênesis 35:29)

* Jacó foi sepultado (Gênesis 49:33; 50:1-13)

* Jose foi sepultado (Gênesis 50:26)

* Josué foi sepultado (Josué 24:29-30)

* Eleazar foi sepultado (Josué 24:33)

* Samuel foi sepultado (I Samuel 25:1)

* Davi foi sepultado (I Reis 2:10)

* João Batista foi sepultado (Mateus 14:10-12)

* Ananias e Safira foram sepultados (Atos 5:5-10)

* Estevão foi sepultado (Atos 8:2)

* Jesus foi sepultado (Jo 19: 38-42)

O próprio Senhor Deus parece concordar com o sepultamento, pelo menos isto está implícito neste texto de Deuteronômio: "Assim morreu ali Moises, servo do SENHOR, na terra de Moabe, conforme a Palavra do Senhor. E o sepultou num vale, na terra de Moabe, em frente de Bete-Peor; e ninguém soube ate hoje o lugar de sua sepultura." (Dt 34:5-6).

A tradição judaica prevaleceu no cristianismo no que concerne ao assunto sobre, o quê fazer com os mortos? Aceitavam o ensino de que o corpo do cristão é o Templo do Espírito Santo e, como tal, deveria ser respeitosamente enterrado e devidamente honrado (I Cor. 3:16 e 6:19). Muitos cristãos primitivos sepultaram seus mortos num mesmo lugar, e deram a esse lugar o título de cemitério, cujo significado é "dormitório" (Mt. 27:52). O fato é que cremados ou enterrados, nada disso poderá impedir o arrebatamento do cristão (I Co 15; I Ts 4.16-17), pois todas as cinzas voltarão à vida (Ap 20.13). Como um ato criativo de Deus. Mas se puder opinar, creio que o sepultamento, seja ainda a forma mais "coerente" de tratar nossos mortos.

"Não fiquem admirados com isto, pois está chegando a hora em que todos os que estiverem nos túmulos ouvirão a sua voz" (Jo 5:28)

Bruno dos Santos   é Diretor do VidaSat Comunicações, Coordenador Geral da CIA (Coalizão das Igrejas Apostólicas) e pastor da Igreja Vida Nova em São Paulo. Escritor e Conferencista, é formado em Teologia com especializações em Novo Testamento e Liderança. Casado com Silvia Regina, é pai do Lucas, da Laís e da Ana Luiza.  

veja também