MENU

Fragilidade Emocional

Enfrentamos situações que podem exigir determinados posicionamentos que muitas vezes não estamos preparados para assumir.

fonte: Guiame, Darci Lourenção

Atualizado: Quinta-feira, 28 Novembro de 2019 as 4:34

(Foto: Pexels)
(Foto: Pexels)

Todos os seres humanos já experimentaram, em algum momento da vida, questões emocionais que o fizeram se sentir abatidos, deprimidos, eufóricos, debilitados... Não somos super-homens nem mulheres maravilha. Somos pessoas que enfrentam, a cada dia, dezenas de situações que podem exigir determinados posicionamentos que muitas vezes não estamos preparados para assumir.

De outro lado, também nos deparamos com aqueles que interagem conosco e que passam por algum tipo de desafio emocional. Como devemos tratá-los? Rotulando suas dores de “frescura”, chamando-os de “fracos”, ou olhando para nós mesmos e reconhecendo que somos iguais?

Jesus entendia perfeitamente quando alguém estava passando por conflitos, demonstrando suas fragilidades emocionais, e respeitava essa condição. Sabendo disso, podemos recorrer a Ele para que nos oriente em relação ao comportamento que devemos ter e que exige de nós uma atitude acertada.

O Pai não é mudo, e fala e diz exatamente o que temos de fazer. Sua voz pode não ser audível, mas ela é compreendida. Basta estarmos sensíveis a ela. Desejarmos ouvir. Prontos para qualquer que seja a direção que receberemos (e não a que esperamos que seja).

Precisamos aprender a resistir e a suportar as debilidades do outro. Assim como as nossas próprias. Mas não ficarmos em estado de apatia, de julgamento ou crítica.

E fazemos isso emocionalmente quando não damos vazão à vontade de chutar o pau da barraca, entende?

Quando o emocional não é compreendido ou tratado, ele transborda para o nosso corpo (soma). Já ouvi de uma paciente: “Meu corpo tá cheio de pereba, minha pressão tá alta. O médico disse que é emocional, estresse alto...”. Eu respondi: “Simmm. É muito provável que seja emocional. Você está somatizando.”

Veja: isso é muito comum. Refletimos em nosso corpo as fragilidades emocionais. Então, precisamos, sempre, nos esvaziar das indignações que continuam promovendo “indigestões emocionais”.

Muitas dessas “doenças” estão atreladas a uma dificuldade que temos: a de perdoar. Nesse caso, o perdão é a solução.

Quando não perdoamos vamos abrindo pequenas pochetes, que se não removidas, logo se transformam em mochilas, que viram enormes fardos.

A falta de perdão pode funcionar como um agente de contaminação, tipo furúnculos, proliferação de células, um caminho da emoção para o corpo.

Mas a fragilidade emocional pode ser tratada. Há dois caminhos concomitantes a serem tomados: o natural, com a ajuda de um profissional – psicólogo ou terapeuta – e o espiritual, buscando o socorro bem presente de Deus.

Jesus nos ensina: "Venham a mim, todos os que estão cansados e sobrecarregados, e eu darei descanso a vocês. Tomem sobre vocês o meu jugo e aprendam de mim, pois sou manso e humilde de coração, e vocês encontrarão descanso para as suas almas. Pois o meu jugo é suave e o meu fardo é leve". (Mateus 11:28-30)

Lembre-se: O Pai ama você!

Por Darci Lourenção, psicóloga, pastora, coach, escritora e conferencista. Foi Deã e Professora de Aconselhamento Cristão. Autora dos livros “Na intimidade há cura”, “A equação do amor” e “Viva sem compulsão”.

* O conteúdo do texto acima é de colaboração voluntária, seu teor é de total responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a opinião do Portal Guiame.

veja também