MENU

O amor vence as lutas e as fraquezas

Quando as lutas chegam ficamos desesperados e, muitas vezes, não sabemos o que fazer.

fonte: Guiame, Darci Lourenção

Atualizado: Sexta-feira, 18 Setembro de 2020 as 12:49

(Foto: Unsplash)
(Foto: Unsplash)

A história da humanidade é marcada por lutas. E foram essas lutas que geraram as conquistas, as vitórias e forjaram o ser humano a ser resiliente em cada batalha que se impunha. É assim que funciona. Sem guerra não há vitória. Sabemos disso. Ouvimos isso. Falamos isso.

No entanto, quando as lutas chegam ficamos desesperados e, muitas vezes, não sabemos o que fazer. Veja: num primeiro momento, essas atitudes são normais, afinal, não somos máquinas, insensíveis, frios... Somos gente. Então, quando as adversidades chegam, elas nos assustam e até nos paralisam. Mas isso precisa ser algo momentâneo. Devemos nos esforçar para reagir, e o mais rápido possível.

O salmista Davi disse:

“Tristezas de morte me cercaram, e torrentes de impiedade me assombraram. Tristezas do inferno me cingiram, laços de morte me surpreenderam. Na angústia invoquei ao Senhor, e clamei ao meu Deus; desde o seu templo ouviu a minha voz, aos seus ouvidos chegou o meu clamor perante a sua face.” (Salmos 18:4-6).

Viu a reação de Davi? Em meio ao cerco e ao assombro, ele achou forças para “invocar” a Deus! E é sobre isso que quero falar.

Existem dois tipos de reações fundamentais que precisamos ter na hora da luta:

1. Voltar-se para Deus: Você pode orar, ler a Bíblia, buscar consolo em ajudas espirituais. Uma coisa é certa: Ele ouvirá sua voz! Pode ser que Deus te fale qual o próximo passo a tomar, tão logo você o busque. Ou não tão rápido. Mas Ele falará. Pelos meios mais diversos, basta estarmos atentos e sensíveis a esta comunicação. Não é incomum Deus falar. Só precisamos discernir essa voz. E depois de reconhecê-la, seguir o que nos foi orientado.

2. Procurar ajuda humana. Sim! Existem pessoas da sua convivência que podem te dar um bom conselho, te contar um testemunho de vitória, te encaminhar para uma ajuda médica ou psicológica, se for o caso. Deus nos deu amigos mais chegados que irmãos. E eles devem ser acionados por nós. Pode ser alguém da sua casa, da igreja, um amigo confiável. Muitas pessoas sentem vergonha de pedir ajuda, uma certa humilhação, mas saiba que os humilhados são exaltados.

A vida precisa ser vivida e suas batalhas vencidas. Ninguém está isento de sentir dor, tristeza, decepção, frustração, de passar pela enfermidade, pela traição... Mas, para todo o tipo de aflição, existe tratamento e possível cura. Não se pode desistir! Desanimar. Deixar o barco sem direção...

Olha o que Jesus disse: “Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo.” (João 16:33)

Jesus usou a palavra “venci”. Ou seja, as aflições são um tipo de luta pela qual todos, sem exceção, passam neste mundo. O objetivo de Jesus ao declarar esta palavra foi levar a “paz” para o aflito. Então, no meio das lutas e do desespero saiba que Deus tem descanso para você. Além disso, ele tem o “bom ânimo” que pode te impulsionar a andar.

O amor de Jesus nos ajuda a vencer o período de luta e os momentos de fraqueza. Portanto, não afaste seu amor da Cruz. O amor sobrevive a tudo. Não desista. Mas entregue-se ao Amor que salva, cura e te faz vencer as lutas.

O Pai ama você! Ame-o também!

Por Darci Lourenção, psicóloga, pastora, coach, escritora e conferencista. Foi Deã e Professora de Aconselhamento Cristão. Autora dos livros “Na intimidade há cura”, “A equação do amor” e “Viva sem compulsão”.

* O conteúdo do texto acima é de colaboração voluntária, seu teor é de total responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a opinião do Portal Guiame.

Leia o artigo anterior: Setembro Amarelo: Sua vida é preciosa

veja também