Ser ajudadora idônea é viver o propósito de Deus

E esse papel é das mulheres de todas as etnias, em todas as épocas, de todas as classes sociais...

Fonte: Guiame, Darci LourençãoAtualizado: sexta-feira, 12 de março de 2021 15:40
 (Foto: Uhhospitals)
(Foto: Uhhospitals)

Vivemos em um tempo em que todos querem ser “o principal, o foco, a estrela” simplesmente porque acham que qualquer outra posição faz deles pessoas menos importantes. Esse tipo de pensamento precisa ser transformado em nossa mente (Romanos 12.2), porque existem situações em que desempenharemos um papel – na visão de uns – nem tão reconhecidos, mas isso não significa que será menos relevante. Nesse sentido, quero falar sobre o papel da mulher.

A mulher foi criada com um propósito específico: ser auxiliar. E esse papel é das mulheres de todas as etnias, em todas as épocas, de todas as classes sociais... Mas para muitas, ser auxiliar, ou ajudadora (como está em algumas traduções da Bíblia), é uma posição de inferioridade.

Mas digo que não é. Pelo contrário, quem ajuda é aquele que está em condições de oferecer um suporte, um apoio, uma ideia... a quem precisa de tudo isso. É quem precisa do ajudante que depende. A ajudadora é aquela cuja falta traz prejuízos. Sem a ajuda, não se consegue realizar o que precisa ou deseja. Por isso Deus disse, em Gênesis 2.18 (trechos grifados por mim):

“Não é bom que o homem esteja só; farei para ele alguém que o auxilie e lhe corresponda”.

Em outras traduções:

“Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma ajudadora idônea para ele”.

A ajudadora criada por Deus era alguém que estava faltando para o homem. Sem ela, ele estaria sozinho. E sozinho é muito mais difícil desempenhar tarefas dadas por Deus. Deus é Deus de comunidade, de casal, de dois ou mais reunidos...

Mas para entender o papel de auxiliar, a mulher precisa buscar sabedoria do alto, para que não caia no erro de muitas, de acharem que ser ajudadora é subserviência. Não é. É ocupar um papel exclusivo, e capaz de levar o outro à conquista.

Veja como buscar sabedoria:

“E, se algum de vós tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente, e o não lança em rosto, e ser-lhe-á dada. Peça-a, porém, com fé, em nada duvidando; porque o que duvida é semelhante à onda do mar, que é levada pelo vento, e lançada de uma para outra parte.” (Tiago 1:5,6 – Grifei)

Ou seja: é só pedir a Deus!

Nós, mulheres, precisamos, em todo o tempo, ter a habilidade de desenvolver as competências de auxiliar, nunca tirando o foco do propósito para o qual fomos criadas. Aliás, para ser auxiliar a mulher precisou receber mais dons. Por isso podemos nos orgulhar (no bom sentido) de dar conta de inúmeras tarefas ao mesmo tempo.

Só a maturidade nos fará cumprir o nosso papel sem nos sentirmos lesadas, diminuídas, sem valor. Precisamos de maturidade, porque só assim nós conseguimos gerenciar quando o outro se torna abusivo, quando o outro não percebe que não está respeitando. Com a maturidade, vencemos os equívocos emocionais de se subjugar, porque auxiliar não é subjugar, auxiliar é permitir que o outro cresça a partir daquilo que ele não consegue enxergar sozinho.

E mais: Deus não daria um papel insignificante para a mulher, visto que se trata de sua filha.

Que você possa receber esse entendimento e viver conforme o propósito especial que Ele te entregou.

O Pai ama você!

Por Darci Lourenção, psicóloga, pastora, coach, escritora e conferencista. Foi Deã e Professora de Aconselhamento Cristão. Autora dos livros “Na intimidade há cura”, “A equação do amor” e “Viva sem compulsão”.

* O conteúdo do texto acima é de colaboração voluntária, seu teor é de total responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a opinião do Portal Guiame.

Leia o artigo anterior: Quando estamos bem emocionalmente, produzimos frutos

Siga-nos

Mais do Guiame