MENU

Maior felicidade

Maior felicidade

Atualizado: Quarta-feira, 12 Janeiro de 2011 as 4:37

Jesus ensinou que "há maior felicidade em dar do que em receber" (Atos 20.35). E não é difícil compreender suas razões. A experiência de dar nos aproxima de Deus e nos assemelha ao seu Filho Jesus, pois Deus é amor, e a expressão do amor é a dádiva: Deus amou o mundo e deu seu Filho (João 3.16). Jesus aprendeu com seu Pai: "como o Pai me amou, assim eu vos amei"(João 15.9), e sabia que não era possível amar sem dar: "ninguém tem maior amor do que aquele que dá a sua vida pelos seus amigos"(João 15.13), e por isso fez a opção pelo amor e pela doação: "eu dou a minha vida; ninguém a tira de mim, mas eu a dou por espontânea vontade" (João 10.17,18).

A contribuição e a doação dos discípulos de Jesus promovem justiça e suprem necessidades de tantos à margem dos bens mínimos implicados na vida com dignidade, pois a fartura de uns supre a falta de outros, de modo que "quem tinha recolhido muito não teve demais, e não faltou a quem tinha recolhido pouco" (2Coríntios 8.14,15).

A experiência de dar nos torna cooperadores de Deus, pois assim como Jesus Cristo deu a vida por nós, também devemos dar a vida pelos irmãos (1João 3.16). A cadeia da vida iniciada no ato voluntário de Deus ao criar, seguida pelo ato voluntário de Jesus Cristo ao encarnar para morrer e ressuscitar, deve ser continuada pelos que se renderam ao amor de Jesus, que os comissiona: "Assim como o Pai me enviou, eu os envio" (João 20.21). A contribuição de cada discípulo de Jesus resulta em gratidão a Deus e glória ao seu nome: "a generosidade resulta em ação de graças a Deus", "transborda em muitas expressões de gratidão a Deus", e por meio do serviço dos doadores "muitos louvarão a Deus" (2Coríntios 9.11-13).

Os discípulos de Jesus consideram a oportunidade de contribuir um privilégio concedido pela graça de Deus, e de tal maneira são solidários ao coração de Deus em seu espírito de amor e dádiva que, mesmo em meio às severas dificuldades e extrema pobreza, "transbordam em pródiga generosidade". O que doam não lhes é arrancado, pois a si mesmos já se entregaram em oferta a Deus, pois aprenderam que nunca deu, quem deu do seu, sem dar de si (2Coríntios 8.1-5).

Neste domingo, quando encerramos nossa campanha de Natal, Presente que Serve, damos graças a Deus pelo privilégio que nos concede de experimentar um pouco do seu coração amoroso e doador, contribuindo para a promoção da justiça e da paz, abençoando pessoas e ajudando cada uma delas a olhar para o céu com gratidão e louvor, reconhecendo que Deus jamais delas se esqueceu. A campanha terminou, mas o caminho do amor e da doação se estende por toda a vida. Agradecemos a Deus o mistério da graça, que nos possibilita estar do lado que experimenta a maior felicidade: a graça de dar, contribuir, repartir, compartilhar e doar, com alegria e generosidade sem medida. Respondemos a essa graça, não apenas repartindo o que temos e o que somos, mas agindo de maneira digna e responsável, para que a felicidade de dar se estenda a muitos, até que os pobres não os tenhamos mais por perto, naquele dia quando o reino de Deus derramará sobre todos nós o seu shalom: abundância de tudo para todos, e a terra se encha do conhecimento da glória de Deus como as águas cobrem o mar.

Ed René Kivitz   é mestre em Ciências da Religião pela Universidade Metodista de São Paulo, escritor, conferencista e pastor da Igreja Batista de Água Branca, na Zona Oeste de São Paulo, tendo obras e pastorais publicados neste site:   www.ibab.com.br   .   

veja também