O ponto da virada

O ponto da virada

Fonte: Atualizado: sábado, 31 de maio de 2014 10:15

Todas as vezes que a igreja abriu mão de sua vocação para viver as disciplinas espirituais, a crise se estabeleceu. As narrativas bíblicas, assim como os eventos que pontuam a história da igreja até este momento, confirmam. A tentação em se fazer alianças com os poderosos da mídia e da política, é uma tentação que caminha lado a lado com o povo de Deus, insinuando, seduzindo, provocando.

Um dos símbolos da época da Guerra Fria, dado o seu desfecho, traz esperança para este momento quando a nação respira eleições. Durante 28 anos o Muro de Berlim isolou a ex-Alemanha Oriental, que vivia debaixo do comunismo. A mídia, evidentemente, focava sempre as condições políticas e humanitárias. Existe, no entanto, uma história não contada, pelo menos não divulgada. Lá, na antiga Alemanha Oriental, país com maioria protestante, por mais de quarenta anos, respeitando os limites impostos, os cristãos não cessavam de interceder e orar por mudanças. Suas orações, para este nosso mundo, eram silenciosas, já no celeste, o barulho das suas orações jamais passaram desapercebidos.

Sempre que o povo alemão olha para trás, o dia 9 de outubro de 1989 é visto como o die Wende, ou seja, o ponto da virada. Foi em Leipzig, que quatro igrejas protestantes sempre as segundas-feiras, às 5h da tarde, vinham realizando desde 1982 reuniões de oração em favor da paz e da liberdade. Inicialmente, estas reuniões contavam com uma dezena de devotos cristãos. No entanto, foi crescendo, acabando por atrair todo tipo de cidadão. Reunir-se somente nos templos já não era possível. Foi então que começaram as marchas pacíficas de protesto. No início, pequenas, mas suficientes para continuar atraindo mais e mais pessoas.

Assim, na noite de 9 de outubro de 1989, o dia que é lembrado como o ponto da virada, milhares de cristãos se reuniram para uma grande caminhada. A apreensão era grande, pois os militares, também aos milhares, foram designados para impedir, mas inexplicavelmente não impediram, não inibiram, não atiraram. Naquela noite, 70 mil pessoas marcharam pelas ruas de Leipzig. Na semana seguinte, 120 mil, na seguinte, 500 mil! Até que chegou o dia 9 de novembro de 1989, naquela noite quase um milhão de pessoas marchou pacificamente em Berlim Oriental e, à meia-noite, aconteceu! Aconteceu aquilo que parecia impossível. Brechas impensáveis começaram a se romper e o muro começou a ser derrubado.

Sobre a afirmação de ser esta uma história não contada, Bud Bultman, produtor da CNN, escreveu: "Nós da imprensa olhávamos espantados enquanto os muros do totalitarismo vieram abaixo com estrondo. Mas na pressa de cobrir os eventos cataclísmicos, a história por trás da história foi negligenciada. Nós direcionamos as câmeras para as centenas de milhares de pessoas orando pela liberdade, velas votivas na mão, e ainda assim perdemos a dimensão transcendente, o caráter explicitamente espiritual e religioso da história. Olhamos diretamente para isso e não conseguimos enxergá-lo".

Hoje, muitos historiadores, políticos e líderes na Alemanha, admitem que as décadas de oração persistente foi o que tornou possível tantas mudanças naquela parte do globo. A história do povo de Deus continuará a ser uma história não contada pela mídia oficial. Os escândalos dos neo-pentecostais, dos pentecostais, dos liberais, dos tradicionais e dos históricos, são apenas uma pequena parte da história. A grande e boa parte, com fé meu coração insiste em crer, está sendo escrita pelas lágrimas das orações do povo de Deus em todo o mundo. Lágrimas cansadas de opressão, corrupção e injustiça. Lágrimas que serão enxugadas no novo mundo, prometeu o Santo.

O ponto da virada para um país começou com um pequeno grupo de oração, por que não poderia começar para sua família? Para sua igreja? Para sua nação? Orar faz bem a alma, acalma, produz esperança. Mas não só. Orar move montanhas e muros. A sociedade está gemendo, aguardando a manifestação dos filhos de Deus. Mudanças radicais podem acontecer sem lançar mãos de armas, conchavos e redução de valores, elas acontecem sempre que o povo do livro decide voltar à sua vocação que aponta para a espiritualidade que adora somente a Deus, depende somente dEle e se submete somente a Ele.

Impérios nasceram, floresceram e morreram. Poderosos da política, da arte e dos negócios idem. Quanto aos poderes atuais, não se deixe impressionar, também terão seu fim. Mas aquele grupo de oração que começou com 12 homens e um líder lá na Galiléia, não parou de crescer, influenciar, mudar e redimir a história. O ponto da virada foi na cruz com a morte daquele líder. O momento de todos os muros que são levantados contra o cristianismo caírem, está chegando. Aquele líder, o Senhor Jesus, três dias depois ressuscitou, é Senhor da história e está voltando. Não cometa o erro tão bem identificado pelo produtor da CNN, ao contrário, enxergue a história que para a mídia não interessa contar, mas é a única que interessa para transpor o muro, o rio, o mar e o ar rumo a nova Jerusalém.

Edmilson Ferreira Mendes   é teólogo. Atua profissionalmente há mais de 20 anos na área de Propaganda e Marketing. Voluntariamente, exerce o pastorado há mais de dez anos. Além de conferencista e preletor em vários eventos, também é escritor, autor de quatro livros: "Adolescência Virtual", "Por que esta geração não acorda?", "Caminhos" e "Aliança".

Contatos com o pastor Edmilson Mendes:

www.mostreatitude.com.br  

[email protected]

Siga-nos

Mais do Guiame

O Guiame utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência acordo com a nossa Politica de privacidade e, ao continuar navegando você concorda com essas condições