MENU

A música cristã em festival secular

Durante o festival 'Coachella', Justin Bieber liderou um momento de louvor, surpreendendo a muitos.

fonte: Guiame, Fernanda Thomaz

Atualizado: Segunda-feira, 23 Abril de 2018 as 12:06

Ter música cristã no festival de música e arte “Coachella” deve ser motivo de glorificar à Deus e não de se escandalizar. Oremos por cantores cristãos cheios do Espírito Santo nos palcos do Lollapalooza, Tomorrowland e Rock in Rio para serem “voz profética” em nossa geração.

A música cristã tem ganhado cada vez mais espaço em eventos seculares no Brasil e no mundo, tanto que a próxima “Virada Cultural” em São Paulo terá um palco exclusivo para música gospel.

Iniciativas como esta, de incentivo a música cristã, abrem espaço para o que aconteceu e foi registrado recentemente em um vídeo no qual o cantor Justin Bieber aparece liderando a adoração em um palco organizado pela Igreja Churchome dentro do badalado festival de música e arte “Coachella” - um evento secular realizado anualmente na cidade de Indio na Califórnia e que recebe artistas e público do mundo todo.

A bíblia nos orienta a ter paciência com os “domésticos na fé”. Justin está no seu processo de conhecer a Deus e ter experiências com Ele, tanto que cancelou uma turnê mundial para se dedicar a sua vida espiritual e a conhecer Jesus. Acredito que este já é um bom indício da sua genuína vontade de mudança e transformação pessoal.

Durante o festival “Coachella” uma das canções entoadas por ele no momento de adoração, foi justamente sobre o impressionante e ousado amor de Deus pelos perdidos, a “Reckless love” de Cory Asbury que diz: “Traz luz para as sombras, escala as montanhas, derruba muralhas, destroi as mentiras só pra me encontrar!”

Este tipo de letra gera um grande impacto na vida de jovens não cristãos. Ouvir sobre o amor de Deus sob a ótica da graça e não da condenação gera um sentimento de acolhimento e isso pode ter gerado uma sementinha nos corações aflitos presentes no evento.

A música cristã precisa estar em todos os festivais de música do mundo. O nosso chamado é “Ide” e não “vinde”, precisamos estar, onde estão os perdidos. O bom pastor deixa as 99 ovelhas e vai atrás da perdida.

Muitos de nós, corpo de cristo, está nos púlpitos e bancos das igrejas, cantando e engordando ovelhas, enquanto existem muitas perdidas morrendo de fome, precisando do pão da vida. Jesus está voltando! As profecias bíblicas estão se cumprindo, estamos provavelmente, na última colheita, e o que estamos fazendo com o nosso chamado?

Lembro de uma experiência de evangelismo em que entregamos uma carta de próprio punho falando do amor de Deus para uma menina na porta de uma balada, e nas palavras dela, estava “toda errada” com um copo de bebida numa mão e cigarro na outra e ela disse impressionada com o amor de Deus pela vida dela: “É sério que Deus veio falar comigo aqui no rolê?! Cara eu tô toda errada, isso não faz sentido...” e começou a chorar.

Oremos por cantores cristãos cheios do Espírito Santo nos palcos do Lollapalooza, Tomorrowland e Rock in Rio para serem “voz profética” nas nações. Não se trata de se assentar na roda dos escarnecedores, a questão é evangelismo e salvação de vidas. O povo está morrendo e nós cristãos estamos nos digladiando e discutindo se é pecado ou não ouvir música secular.

“Deus não mede o nosso sucesso ou fracasso, mas a nossa vontade de se voltar para ele, pois o amor de Deus nos persegue”, até na balada ou no festival de música, então que possamos evangelizar dentro e fora de grandes eventos seculares com nossos dons e talentos ou mesmo com as nossas orações.

Ouça algumas versões da música “Reckless love” de Cory Asbury que Justin cantou no festival e seja impactado pelo ousado amor de Deus:

 

veja também