O recomeço do Brasil

Minhas expectativas estão apontando para uma nova nação, um novo governo, debaixo das bênçãos protetoras do Eterno.

Fonte: Guiame, Joel EngelAtualizado: sexta-feira, 23 de novembro de 2018 20:25
É preciso varrer essa podridão e ungir o novo governo. Limpar a casa e estabelecer um novo tempo de reconstrução. (Foto: Reprodução)
É preciso varrer essa podridão e ungir o novo governo. Limpar a casa e estabelecer um novo tempo de reconstrução. (Foto: Reprodução)

Olha, ponho-te neste dia sobre as nações, e sobre os reinos, para arrancares, e para derrubares, e para destruíres, e para arruinares; e também para edificares e para plantares. Jeremias 1:10

A minha história com o Brasil começa em 1989, quando, durante um sonho, Deus me mostrou os rumos que o país estava tomando. Até aquele dia, eu vivia nos montes orando e me consagrando para o ministério, não me envolvia com assuntos políticos. Por não assistir a noticiários, eu nem sabia o que se passava no campo político.

Naquele tempo, Deus me mandou libertar uma certa pessoa possuída por espíritos malignos, que já estava à beira da loucura, ao ponto de ser internada em um hospital psiquiátrico.

Eu expulsava os demônios, mas eles voltavam. Isso aconteceu por muito tempo, então decidi ir para o monte e jejuar por dias.

Neste retiro eu tive um sonho onde Deus me mostrou o que estava por trás daquela possessão:

No sonho eu vi o comunismo dominando o Brasil e meu filho fugindo de soldados comunistas. Por outro ângulo, vi o Lula, ainda candidato ao governo, em um palanque e atrás dele estavam os comunistas. Uma imagem nítida do domínio que estava prestes a vir sobre a nossa nação. Esses revolucionários possuem um projeto, com uma agenda muito bem definida, que consiste em dominar uma nação em 30 anos. Fazendo a contagem de tempo, de quando eu tive essa visão (1989) até o ano que vem, quando o novo governo assumirá, esse período estaria completo. Lembro-me de que, no sonho eu clamava ao Senhor, sem entender por que o nosso país seria entregue ao comunismo. Comecei a perguntar ao Senhor onde foi que nós erramos, o que poderíamos fazer para impedir?

Em resposta, o Senhor primeiramente me mostrou o quanto o PT trabalhava em prol da construção de um reino. Apesar de existir um principado maligno por trás deles, é o esforço humano que ergue essa construção. Eles se esforçam indo de casa em casa, recrutando pessoas; ofertam 30% do que ganham ao governo, pela causa que acreditam e defendem. Já na Igreja, poucos são dizimistas fiéis, muitos negociam ou barganham os 10%. É discrepante! Quanto ao evangelismo, a Igreja tem deixado de ir de casa em casa, para ganhar almas para o Reino de Deus. Assim, quem trabalha mais, ganha mais, conquista mais.

Naquele tempo, os evangélicos atingiam uma porcentagem mínima da população brasileira; eram raros os que oravam como hoje, não se ouvia falar na visão do Tabernáculo de Davi, muito menos em Igreja 24 horas.

O Senhor me mostrou quer teríamos que trabalhar muito ensinando a Igreja a agir como um exército, aprendendo sobre Batalha espiritual, conquista de territórios e Atos Proféticos.

Essa era a nossa culpa, como membros do corpo de Cristo: negligenciar a Ordem de Cristo na Grande Comissão (Mt 28:18-20). Além disso, os líderes não preparam os membros para a batalha espiritual deixando o inimigo entrar e dominar nossa terra.

Estávamos brincando de ser Igreja, ao invés de conquistarmos a nação. Deus me mostrou que a vitória só viria quando a igreja conhecesse a verdade espiritual que estava por trás desta ideologia e se unisse para lutar contra este mal. A vitória viria através da união da Igreja, uma vez que ela assumisse verdadeiramente o seu papel. Disso dependeria a derrota do trono do inimigo, para empossarmos um governo temente ao Eterno. Deveríamos como líderes treinar os membros de nossa igreja para deixar se serem meninos e desempenhar o  ministério (Ef 4:11 -16).

Atendi ao chamado do Pai e fundamos a Escola Profética, onde começamos a levantar um exército para interceder pelo Brasil. Assim, surgiu o Projeto Tabernáculo de Davi com oração 24/7 e depois a Rota do Fogo

Visão de Deus para o Brasil.

Deus projetou o Brasil para ser uma nação abençoada. O Brasil tem a cara do Céu, com todo tipo de raças. O Brasil nasceu para ser um celeiro de missionários e levar o evangelho à todas nações! O Brasileiro tem a vocação para incendiar o mundo pelo poder do Espírito Santo.

Nossos filhos serão como Eliseu ou João Batista, que irão receber a unção de Elias, preparando o caminho para a volta de Jesus.

A origem da palavra “Brasil” vem de Brasa (fogo). O nome vem de um judeu chamado Barsilai, que levava pão para o rei Davi, quando ele estava fugindo.

O Brasil tem a vocação de ajudar e abençoar Israel

Apesar do projeto Deus ser maravilhoso, nossa nação afundava cada vez mais na corrupção, ideologia de gênero, entre tantos problemas.

Depois de muitos anos orando, Deus começou a dar estratégias para seus profetas se moverem em Atos Proféticos pela redenção da Nação.

Em 2009, Deus me direcionou a começar a Rota do Fogo pelo Brasil, ofertando, levantando altares de oração e fazendo Atos Proféticos pela nação.

A palavra que Deus me deu foi Ez 20:45 -47: O Senhor acenderá um Fogo do sul até o norte, mostrando que o avivamento aconteceria quase simultaneamente, em todos os estados, de um momento para o outro.

Grito de Jubileu

Em 2009 atravessamos a nação, proclamando que o Manto de Elias estava vindo sobre o Brasil, para destronar o espírito de Jezabel e ungindo a próxima geração (Elias Eliseu) trazendo um avivamento para nossa pátria (a situação do Brasil era semelhante aos dias de Elias, quando Jezabel instituiu o culto a baal).

Ao chegar em Roraima, nosso Deus me deu um sonho e me mandou pregar para o governador, desafiando à entregar o Estado para Jesus, dobrar os joelhos e confessar o Senhor publicamente. “Quando ele dobrar os joelhos, a chuva virá”, disse o Senhor.

O Governador aceitou o desafio e me ofereceu um helicóptero para subir o monte Roraima e fazer o Ato Profético.

A ordem de Deus foi para que subíssemos o Monte em Roraima, proclamássemos o jubileu e liberássemos o manto de Elias. Tudo isso deveria acontecer no dia da Expiação, em Israel. Na hora em que o Shofar soasse na Terra Santa, eu deveria tocar o Shofar no monte Roraima. 

Em 2009, exatamente no dia da expiação, subimos a Serra Raposa do Sol, onde moram os índios Ingaricós, tocamos o Shofar e ofertamos a  primeira oferta simbolizando o Cordeiro pela redenção da nação. Naquele Ato Profético, os índios dobraram seus joelhos na terra, perdoaram os brancos pelos 40 anos de guerra e entregaram suas vidas e a propriedade para Jesus.

 No sonho, Deus me falava que daquele monte, Ele derramaria sua bênção sobre o Brasil. O toque do Shofar anunciaria o início ao Jubileu em nossa nação e o manto de Elias cobriria o Brasil, para que a próxima geração recebesse o dobro, assim como aconteceu com Eliseu.

Como resultado da Unção de Elias, viria as chuvas e a conversão de governantes que entregariam seus governos nas mãos de Deus.

No momento que o governador dobrou seus joelhos caiu uma chuva torrencial sobre ele e as 30 mil pessoas presentes. Depois veio a maior chuva no Estado nos últimos 40 anos.

Oferta em Brasília

Depois, o Senhor me mandou descer à Brasília e no ponto Zero da Nação, nós ofertamos o primeiro cordeiro na capital. Depois da oferta simbolizando o cordeiro, entramos no Vale do Amanhecer e fizemos o primeiro ato profético, a fim de derrubar esse principado que sustentava o PT no poder. Foi violento! O Senhor me disse que quando chegássemos a mil cordeiros, nós poderíamos decretar a queda daquele governo. Isso aconteceu em Santa Maria, durante a Escola Profética, em 2016: proclamamos a queda do governo e poucos meses depois, Dilma caiu.

Levantamos grupos de oração 24/7 em muitas igrejas do Brasil, para continuar intercedendo pela derrota de Jezabel, levantar e ungir um novo governo.

Geração de Eliseu

Durante as eleições deste ano, Deus me mostrou um pouco mais de sua agenda na Bíblia, aplicada nos dias de hoje.

Deus manda Elias ungir Reis (Israel e Síria ) e ungir também Eliseu. Eliseu representa esta geração, que vai receber o manto de Elias e vai ungir “governo”.

Em 2° Reis, Eliseu chama seu moço e manda ungir um capitão chamado Jeú.

Jeú cumpre a profecia que Deus deu à Elias matando Jezabel que torna-se alimento dos cães.

Isto também aconteceu no Brasil: Deus ungiu um capitão que é contra a ideologia de gênero, que nada mais é do que Jezabel aliciando crianças para no futuro, adorarem a baal.

Este é o quadro que Deus me mostrou do Brasil: Deus unge nossos filhos como ungiu Eliseu e Ele unge o governo para recomeçar a restauração da nação.

 Hoje podemos celebrar a chegada de um novo governo, fruto da união da Igreja, que entrou na guerra e venceu o espírito maligno que dominava o Brasil.

Foram precisos 30 longos anos para a Igreja amadurecer, mas aconteceu!

Hoje, em Brasília, Deus reuniu Apóstolos,  através do CAB -  Conselho Apostólico Brasileiro, e eu fui convidado para fazer parte deste conselho e participar desse momento histórico do país. Neste conselho estão  os generais de Deus que estão guerreando há décadas por tudo isto que estamos vendo hoje. Agradeço a Deus por poder me encontrar com os generais de Deus de nossa nação.

Fazem parte do Conselho Apostólico Brasileiro: Valnice Milhomens, Jesher Cardoso, Arles Marques, Sinomar Fernandes, Márcio Valadão, Neuza Itioka, Paulo Tércio, Dawidh Alves, Alexandre Nunes, Francisco Nicolau, Ebenézer Nunes, Hudson Medeiros, Luis Scultori e Paulo de Tarso.

Homens e mulheres que pagam um preço para verem a nação redimida aos pés do Senhor Jesus Dentre os quais está o trabalho da Dra. Neuza Itioka pioneiras em treinar a igreja nesta Batalha espiritual. Tive a grande alegria de poder estar ao lado desta grande mulher de Deus considerada por todos como uma mãe espiritual em nossa nação.

Estiveram presentes nestes dias proféticos, na capital do Brasil, líderes proféticos e apostólicos de diferentes regiões da nação. Tive a honra de compartilhar deste tempo ao lado de Arles Marques, Joaquim José, Paulo de Tarso, Renan Santiago,  Davi Pereira, Eunice Pereira, Sandro Carvalho, Ricardo Marciano, Ricardo Wagner, Paulo Sousa, Joel Engels, Luiz Scultori, Vinícius Sassaki, Cássia Sassaki; Amauri Levindo, Gisela Guth, Noeme Torres, Sinomar Silveira, Alberto Pires, Samuel Brum, Kleber Pinheiro, Hudson Medeiros, Joseir Garrido, Eder Gregório, Ozenir Correia, Marta Awane, Neuza Itioka, Francisco Nicolau e Paulo Tércio.

Ao contemplar os céus de Brasília, penso o que seria desta nação, se os comunistas tivessem conseguido o que planejaram.

Minhas expectativas estão apontando para uma nova nação, um novo governo, debaixo das bênçãos protetoras do Eterno.

Minha oração é  pela nação, por um novo tempo para o Brasil e pela nova geração jubilar, que verá a volta do Senhor Jesus. Pelos Eliseus que virão depois, pois no momento em que Jezabel e Baal foram destronados, os nossos filhos foram ungidos. O manto de Elias descerá.

Chuva Profética

Todas as vezes em que viemos à Brasília realizar atos proféticos, Deus mandou chuva e não foi diferente desta vez. Antes de sair para a reunião do CAB, uma grande nuvem pairou sobre o hotel e a chuva veio, mais uma vez.

Tudo está preparado. É preciso varrer essa podridão e ungir o novo governo. Limpar a casa e estabelecer um novo tempo de reconstrução. Estamos preparando a casa para o novo governo entrar.

Entramos no palácio do governo, no Senado, na Câmara Dos deputados, no STF  e em muitos outros lugares, para fazermos uma série de atos proféticos, preparando o caminho para o novo governo.

Deus me prometeu 3 mantos: o primeiro, um manto ministerial, apostólico e profético. Com esse manto, nós iremos ungir o novo governo; Segundo, um manto do governo cristão, do justo para governar o Brasil; e, por último, uma moeda forte e prosperidade, trazendo avivamento. Exportaremos missionários para todo o mundo, onde o evangelho será pregado.

O Brasil será do Senhor Jesus

Chegou o tempo de estabelecermos o governo de Cristo nessa nação. A Igreja apostólica será legitimada. Escolas Proféticas serão levantadas como muralhas ao redor da nação, o Tabernáculo de Davi será erguido, levantado. Vai se cumprir a palavra escrita em Jeremias para o Brasil, que declara “Esses são os planos que eu tenho para ti, pensamentos de paz e não de mal, para vos dar o fim que desejastes”. É isso que Deus tem para o nosso país e para os nossos filhos. Neste recomeço a nação precisa de toda a igreja participando com orações e ações apoiando o novo governo para que seja bem sucedido.

Conto com as orações de todos os nossos queridos, em nome de Jesus.

 

Por Joel Engel, pastor, líder do Ministério Engel, em Santa Maria (RS) e fundador do Projeto Daniel, que ajuda crianças órfãs em países da África.

* O conteúdo do texto acima é de total responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a opinião do Portal Guiame.

Siga-nos

Mais do Guiame

O Guiame utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência acordo com a nossa Politica de privacidade e, ao continuar navegando você concorda com essas condições