MENU

7 deveres mútuos do casamento

Quais os 7 principais deveres do casamento?

fonte: Guiame, Josué Gonçalves

Atualizado: Quarta-feira, 23 Outubro de 2019 as 3:43

(Foto: Reprodução/Amo Família)
(Foto: Reprodução/Amo Família)

7 deveres mútuos do casamento existem onde há convivência real de duas pessoas independentes e diferentes que se uniram com os mesmos propósitos e ideais. O sucesso do matrimônio, depende de busca do consenso, da boa vontade, do diálogo constante e da tolerância; é o desejo de convivência que impõe responsabilidade, para marido e mulher.

Vejamos 7 deveres mútuos do casamento:

1. Fidelidade.

Ser fiel nas múltiplas relações matrimoniais e consolidar a própria base da sociedade, a fidelidade não pode se limitar apenas ao sexo, se não é ilusória e morta, o casal deve ser fiel em tudo o que se relaciona ao matrimônio; convivência social, sexo, educação dos filhos, religião, profissão, finanças, alegrias e tristeza.

2. Afeição.

O lar deve ser uma central terapêutica de amor, o amor pode crescer ou definhar, depende dos dois, preste atenção, o amor é como um jardim, se você não cultiva, se você não rega, se você não cuida ele morre, o amor é como uma fogueira acessa, há um versículo em provérbios que diz “Sem lenha o fogo se apaga” por isso o amor precisa ser nutrido, alimentado.

3. Cooperação

Você sabe o que significa cooperar? Significa operar junto. Cooperação é o terceiro pilar significativo para o bom funcionamento da relação de casal.

O cônjuge sozinho não pode garantir o bom funcionamento do matrimônio, nenhum outro relacionamento deve separar o casal, mas sim unir, isso tem a ver com igreja, amigos, família de origem e outros relacionamentos.

Você sabe quais são as duas palavras mais poderosas na vida do casal? Alguns falariam: amor e respeito. Não!

Perdão e misericórdia? Também não. As duas palavras mais poderosas na vida de um casal é CONTA COMIGO, isso tem a ver com cooperação.

4. Tolerância.

A convivência matrimonial é o meio ideal para se aprender a flexibilidade e tolerância. É fundamental que o cônjuge aprenda a respeitar a opinião dos outros. São os pontos vista divergentes entre os cônjuges que dão validade para resolver os desafios do dia a dia as opiniões diferentes quando respeitadas, não levam ao desastre, mas sim enriquecem o que aprendi a conviver com elas.

5. Submissão.

A submissão mútua é um aspecto negligenciado na ética cristã, a luz da palavra de Deus os cônjuges devem subordinar-se um ao outro, Efésios 5.21 diz assim: “Sujeita-vos uns aos outros em amor”; eu acho muito legal quando pergunto para um casal, quem é que manda lá?

A mulher responde: eu, não ou o marido diz: eu, não. É muito legal, as vezes eu pergunto assim para alguns casais: Na sua casa quem manda? Ai então ela e ele diz: lá em casa quem manda é o amor. Sempre que o amor é quem manda, quem determina, cada um cumpre muito bem o seu papel, aí então o casal cresce de forma saudável, e sustentável.

O próximo dever mútuo no casamento é:

6. Diálogo.

Diálogo franco e sincero, o matrimônio vive do diálogo dos cônjuges, o silêncio pode se tornar uma arma terrorista que destrói o lar, o silêncio pode ser uma forma de expressar a indiferença e isso mata, o contrário de amor não é ódio é indiferença. Não deixe bloquear os canais de comunicação, a vida do casamento passa por eles, sem diálogo não há casamento saudável. Vou repetir o que eu digo sempre: O divórcio sempre é precedido pela morte do diálogo.

7. Perdão.

O perdão é a humildade para admitir erros e prontidão para confessar pecados num diálogo aberto são os elementos especificamente cristãos que enriquecem o matrimônio, e o tornam uma verdadeira escola de fé, arrependimento e perdão.

Hoje eu entendo o por que Jesus deu aquela resposta para Pedro, quando Pedro perguntou: até sete vezes eu devo perdoar meu irmão? E Jesus disse: Não Pedro, não é até sete vezes, mas setenta vezes sete, ou seja, 490 vezes por dia.

Sem perdão é impossível conviver. Casamento é para quem aprendeu a arte de perdoar, o perdão sustenta o diálogo, o diálogo sustenta a unidade e é na unidade do casal que está a força.

Deus abençoe você, Deus abençoe sua família, Deus abençoe sua casa. Lembre-se, nenhum sucesso justifica o fracasso de uma família ou de um casamento. Você nasceu para vencer!

Por Josué Gonçalves, terapeuta familiar através de seminários, encontros e congressos realizados anualmente. Autor dos livros “12 Verdades que Todo Filho gostaria que os Pais Soubessem” e “Pastor: Sua Família e Seus Desafios”.

* O conteúdo do texto acima é de total responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a opinião do Portal Guiame.

veja também