Como vencer a Ansiedade?

Famílias, objetivos e carreiras são abalados e postos em risco, quando a situação se agrava.

Fonte: Guiame, Magali e Sergio LeotoAtualizado: terça-feira, 4 de janeiro de 2022 17:24
(Foto: Engin Akyurt / Pixabay)
(Foto: Engin Akyurt / Pixabay)

“Tenho um grave problema com a ansiedade! Faço o propósito de confiar em Deus, para encontrar a pessoa certa para casar-se, mas não consigo! Acabo me desesperando e escolhendo pessoas erradas, tendo namoros desastrosos! O que eu faço para vencer esta ansiedade?”.

Resposta: A Bíblia é sábia, quando nos diz: “Lançando sobre Deus toda a vossa ansiedade, pois Ele tem cuidado de vós” (1Pedro 5:7). Mas a dificuldade com ansiedade, acontece com muita gente! Pessoas ao redor do mundo todo, sofrem deste mal. Famílias, objetivos e carreiras são abalados e postos em risco, quando a situação se agrava. Muitos psicólogos têm definido a ansiedade como “um dos piores males” dos últimos tempos. Embora não seja tão fatal como o câncer, a AIDS etc., a ansiedade tem se tornado a base para muitos outros problemas, que se refletem no corpo e na mente.

Certamente existe um nível saudável de ansiedade, que é manifestado quando estamos positivamente motivados, para realizar um projeto ou algo que desejamos. Não é esta a ansiedade que nos preocupa, mas sim aquela que pode causar danos físicos, emocionais ou precipitar escolhas erradas.

A ansiedade é uma reação da pessoa que se sente desamparada diante de um problema e fica “maquinando” em sua mente, como sair desta dificuldade. Já fez o que estava ao seu alcance, tentou obter solução de diversas maneiras e não conseguiu modificar a situação. Há uma frustração, pelo fato de não conseguir resolver a questão, que no momento está fora do seu controle. Surge um sentimento íntimo de apreensão, mal-estar, preocupação, angústia e medo, provocando até insônias.

Existem alguns reflexos, na vida espiritual da pessoa. Muitas vezes esta ansiedade é o resultado de pensarmos (consciente ou inconscientemente), que “Deus não é maior que o meu problema”. Assim, aos olhos de quem está extremamente ansioso, o seu problema cresce, tornando-se imenso, e a possibilidade de Deus resolver a questão diminui.

O diabo pode facilmente aproveitar-se dessa situação de ansiedade, para injetar (como se fosse a mordida de uma serpente), duas ideias venenosas: 1) Deus não me ama – é comum a pessoa pensar: “Se Ele me amasse, eu não estaria assim!”; 2) Dependa apenas de si mesmo – a sugestão de Satanás é que “Deus o abandonou! Agora você está só! Vire-se por si mesmo, pois deste problema, nem o Criador pode livrá-lo!”.

Existe orientação bíblica? Sim! Jesus e Paulo citam a mesma frase: “NÃO ANDEIS ANSIOSOS”! Para isto, eles nos dão alguns conselhos, nas respectivas passagens.

Jesus nos dá quatro conselhos em Mateus 6:25-34:

O primeiro é: Reconheçam que sozinhos, vocês não podem mudar nada em suas vidas (v.27 – “Quem de vocês, por mais que se preocupe, pode acrescentar uma hora que seja à sua vida?”). É pela graça de Deus que fazemos progressos e por Sua interferência é que vem nosso livramento, nos maus momentos.

O segundo conselho: Entendam que Deus sabe o que necessitamos (v.32b – “mas o Pai celestial sabe que vocês precisam delas”). Por incrível que possa parecer, o Senhor não perdeu o controle da situação.

O terceiro conselho: Busquem em 1o lugar o Reino de Deus e a Sua Justiça (v.33 – “Busquem pois, em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas”). Implica em buscar MAIS de Cristo em seu viver. É não abaixar o nível do testemunho, só porque a situação está difícil.

O quarto conselho é: Resolvam inicialmente os problemas do dia de hoje (v.34 – “Portanto, não se preocupem com o amanhã, pois o amanhã trará as suas próprias preocupações. Basta a cada dia o seu próprio mal”). Este é um princípio fundamental em administração. Se tentarmos resolver vários problemas de uma só vez, aumenta a possibilidade de ficarmos ainda mais ansiosos, e de não solucionarmos estas questões.

O apóstolo Paulo, nos dá três conselhos em Filipenses 4:6-9:

O primeiro: Levem os problemas diante de Deus (v.6 – “Não andem ansiosos por coisa alguma, mas em tudo, pela oração e súplicas, e com ações de graças, apresentem seus pedidos a Deus”). São indicadas três maneiras de levarmos os problemas a Deus: ORAÇÃO – conversa constante e persistente (Lucas 18:1); SÚPLICAS – senso de urgência e necessidade. Talvez seja um momento para a prática de jejum (Ester 4:16; 2Samuel 12:16; Mateus 17:21); AÇÕES DE GRAÇAS – confiança antecipada no que Deus ainda vai fazer. RESULTADO: v.7 – “E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará o coração e as mentes de vocês em Cristo Jesus”.

O segundo conselho de Paulo é: Ocupar a mente com boas coisas (v.8 – “Finalmente irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é respeitável, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se alguma virtude há e se algum louvor existe, seja isso o que ocupe o vosso pensamento”). Há um ditado que diz: “mente vazia é oficina do diabo”. Paulo aconselha a procurarmos tudo que seja “verdadeiro, respeitável, justo, puro, amável, de boa fama, com virtude e louvor”, para preencher o nosso pensamento.

O terceiro conselho: Praticar o que aprendemos de homens fiéis a Cristo (v.9a – “O que também aprendestes, e recebestes, e ouvistes, e vistes em mim, isso praticai”). Nos momentos de ansiedade, Paulo aconselha que lembremos de homens fiéis que, com suas palavras e testemunhos de vida, são hoje um bom exemplo de como agirmos em meio às lutas. RESULTADO:  v.9b – “e o Deus da Paz estará convosco”. Lembre-se que a tradução do nome EMANUEL é “Deus conosco”. Se no v.7 existe a certeza de que a PAZ DE DEUS irá guardar as nossas mentes e corações, no v.9b há a garantia de que o próprio DEUS DA PAZ, estará conosco e não nos abandonará. Esta é a resposta do Senhor às duas ideias mentirosas de Satanás: Deus nos ama sim! Ele não nos abandonou, e não nos abandonará!

*Texto extraído do Livro: “Histórias de Amor com Um Toque Divino”, de Sergio e Magali Leoto

Por Sergio Leoto (pastor) e Magali Leoto (psicóloga) escritores, palestrantes e trabalham junto às famílias, através do ministério “Fortalecendo a Família”, desde 1990.

* O conteúdo do texto acima é de colaboração voluntária, seu teor é de total responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a opinião do Portal Guiame.

Leia o artigo anterior: O orgulho pode ser um veneno para o seu relacionamento

Siga-nos

Mais do Guiame

O Guiame utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência acordo com a nossa Politica de privacidade e, ao continuar navegando você concorda com essas condições