MENU

Obediência a Deus: delícias e dramas

Obedecer ao Senhor não nos dá a certeza de termos apenas momentos tranquilos.

fonte: Guiame, Magali e Sergio Leoto

Atualizado: Quarta-feira, 18 Setembro de 2019 as 4:50

(Foto: Ravi Pinisetti/Unsplash)
(Foto: Ravi Pinisetti/Unsplash)

Paulo, na passagem de Atos 16, tentou (juntamente com sua equipe) pregar o evangelho em duas regiões (Ásia e Bitínia) e foi impedido pelo Espírito Santo (v. 6-7). Certamente a pergunta que veio à sua mente foi: “Para onde Deus quer nos levar?” Chegando a Trôade, Paulo tem a visão mostrando que o Senhor queria que fossem para a Macedônia.

“Paulo teve uma visão, na qual um homem estava em pé e lhe suplicava: ‘Passe à Macedônia e ajude-nos’. (…) O carcereiro perguntou: ‘Que devo fazer para ser salvo?’ E eles responderam: ‘Creia no Senhor Jesus e serão salvos, você e os de sua casa’. E pregaram a palavra de Deus, a ele e a todos de sua casa. (…) e com todos os de sua casa, alegrou-se muito por haverem crido em Deus”. (At 16:9, 30-32 e 34).

Muitas pessoas, hoje em dia, poderiam dizer: “Se Deus mostrou em visão o local onde deveriam ir, certamente será um caminho de bênçãos e sem problemas! É só obedecer ao Senhor e ver a prosperidade acontecer, desfrutando das maravilhas do ministério! Vai dar tudo certo! Só bênção, meu irmão!”.

Nem sempre é tão simples assim…! Obedecer ao Senhor, não nos dá a certeza de termos apenas momentos tranquilos, suaves, onde tudo dá certo, por sermos “filhos do Rei”. Obedecer ao Senhor repetidas vezes, nos leva a enfrentar MUITOS problemas. A diferença é que temos a convicção de estar no lugar CERTO, onde Deus queria que estivéssemos (o que é simplesmente MARAVILHOSO)! Assim sendo, poderemos contar com Sua ajuda “sobrenatural”, quando ELE (e não nós) achar que é o momento de uma “divina intervenção”.

Voltando ao caso de Paulo: ele obedeceu a Deus e foi à Macedônia. Pregou o Evangelho e como consequência foi, juntamente com Silas, difamado, quase linchado, arrastado pela multidão, despido, severamente açoitado pelas autoridades e jogado na parte mais deprimente da prisão, com os pés presos ao tronco. Como vocês podem ver, o ministério deles aos olhos humanos, não foi exatamente o que chamaríamos de um “sucesso popular”.

Mas Paulo e Silas, com hematomas por todos os lados, rostos irreconhecíveis, olhos roxos e inchados – CANTAVAM E ORAVAM AO SENHOR! Todos os outros presos ouviam e certamente achavam: “estes caras são MALUCOS MESMO!” Louvavam e adoravam a Deus, mesmo naquela situação horrível! Este “culto de todo o coração” prestado ao Senhor, foi seguido de uma “divina intervenção”: um terremoto que abriu todas as cadeias da prisão.

Após o terremoto, o carcereiro (pensando que os presos haviam fugido e que ele seria punido como o responsável), quase tira sua própria vida, quando foi impedido por Paulo: “Não faça isso – estamos todos aqui”. Consciente de que acontecera um milagre, este carcereiro abre seu coração a Deus e se converte a Jesus. Leva Paulo e Silas à sua casa e seus parentes também se convertem. Estas foram algumas das MUITAS vidas que o Evangelho alcançou, através de Paulo e Silas em terras macedônicas (“Passe à Macedônia e ajude-nos”).

Lembre-se que NÓS também podemos ser usados por Deus na vida de outros, em muitas situações. Somos “missionários” e “embaixadores” do Reino de Deus (2Co 5:20), anunciando que o Evangelho pode transformar vidas e situações, por mais complicadas que sejam.

Apenas não esqueçamos de uma coisa: OBEDECER a Deus tem momentos maravilhosos e inesquecíveis – mas não nos isenta dos momentos de tensão e dificuldades. Assim, aprendamos com Paulo e Silas na prisão: “Cantemos, Louvemos, Adoremos e Oremos” em qualquer situação, pois quando o Senhor achar que é o momento apropriado, OS MILAGRES SURGIRÃO!

Por Sergio Leoto (pastor) e Magali Leoto (psicóloga) escritores, palestrantes e trabalham junto às famílias, através do ministério “Fortalecendo a Família”, desde 1990.

* O conteúdo do texto acima é de colaboração voluntária, seu teor é de total responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a opinião do Portal Guiame.

 

veja também