MENU

Reabilitando a mulher de Jó

O mais grave é que um erro de tradução está contido no Livro que é tido como “regra de fé e prática” de milhões de pessoas no mundo inteiro!

fonte: Guiame, Mário Moreno

Atualizado: Terça-feira, 19 Novembro de 2019 as 9:19

(Foto: Thinkstock)
(Foto: Thinkstock)

Durante toda a nossa existência como crentes no Ungido Ieshua temos ouvido falar sobre a mulher “louca” de Lob. Mas será que isso é verdadeiro? Vamos analisar agora alguns dos fatos.

Em primeiro lugar vamos considerar nossas traduções de algumas das Bíblias no Brasil. Sobre esta passagem elas dizem:

“Então sua mulher lhe disse: Ainda reténs a tua sinceridade? Amaldiçoa a Deus, e morre. Porém ele lhe disse: Como fala qualquer doida, falas tu; receberemos o bem de Deus, e não receberíamos o mal? Em tudo isto não pecou Jó com os seus lábios” Jo 2:9-10. [ACF – Português Corrigia e Fiel].

“Então sua mulher lhe disse: Você ainda mantém a sua integridade? Amaldiçoe a Elohim, e morra. Ele respondeu: Você fala como uma insensata. Aceitaremos o bem dado por Elohim, e não o mal? Em tudo isto Jó não pecou com os seus lábios” Jo 2:9-10. [A Rocha: A Bíblia que conduz às escolhas corretas].

“Então sua mulher lhe disse: Ainda reténs a tua integridade? Amaldiçoa a Elohim, e morre. Porém ele lhe disse: Falas como qualquer doida, temos recebido o bem de Elohim, e não receberíamos também o mal? Em tudo isto não pecou Jó com os seus lábios” Jo 2:9-10. [A Bíblia Vida Nova].

“A esposa de Jó revoltada exclamou: Você ainda vai tentar ser muito religioso, mesmo depois de tudo o que Elohim nos fez? O melhor que você tem a fazer é amaldiçoar a Elohim e morrer! Mas Jó respondeu: O que você está falando é loucura completa. Já recebemos tantas coisas boas de Elohim, por que não receber também o sofrimento e a dor?E mesmo diante de mais este sofrimento terrível Jó não disse uma palavra má contra Deus” Jo 2:9-10. [A Bíblia Viva - Paráfrase].

“E a sua mulher lhe disse: Ainda tu perseveras na tua simplicidade? Louva a Elohim, e morre. Jó lhe respondeu: Falaste como uma das mulheres tolas. Se nós temos recebido os bens da mão de Elohim, por que não receberemos também os males? Em todas estas coisas não pecou Jó com os seus lábios” Jo 2:9-10. [Bíblia Sagrada – Edição Barsa - 1969].

Em todas estas versões há algo em comum e todas elas apontam basicamente para a mesma questão: a mulher de Iob errou!

Nos mais diversos círculos teológicos vimos e continuamos vendo sempre uma mesma postura naquilo que diz respeito à esta mulher: ela foi sempre “enquadrada” como aquela que teve uma postura estúpida e que desonrou ao seu marido falando com ele de uma forma tola. Depois deste episódio em que ela diz estas palavras, não há mais menção de sua pessoa no restante do livro. Para muitos teólogos isto é um indício de que ou ela havia morrido ou Iob se separara dela.

Tais aspectos quando analisados fazem com que os pregadores e estudiosos das Escrituras então tomem uma posição: a de falarem e escreverem condenando a conduta daquela mulher e por isso mesmo ela deve ter ou morrido ou merecido ser deixada por seu marido, que era um homem Justo! Esta é a opinião da esmagadora maioria dos líderes, teólogos e escritores em todo o mundo.

Mas, há algo de errado aqui...

O que estaria errado se o texto diz literalmente estas palavras?

O erro está na Tradução da Bíblia. E há algo mais que impressiona, pois algumas Bíblias mais antigas ainda diziam: “De acordo com os melhores manuscritos (ou originais) em hebraico e grego”.

Porém os tradutores, por não serem judeus e não conhecerem a tradição judaica a fundo erraram de uma forma muito grave, pois ao fazerem isso comprometeram a integridade de uma pessoa – que neste caso já está morta – e também induziram milhões de pessoas a diversos erros, entre eles:

- declaração de que aquela mulher era uma “louca”;

- usar a figura daquela mulher como um “exemplo a não ser seguido”;

- pressupor que aquela mulher morreu ou foi abandonada por causa destas palavras;

- denegrir a imagem da mulher de uma forma geral, pois esta mulher foi tida por “tola” então a maioria delas deve ser assim;

- etc...

Então percebemos o que um erro pode causar na vida de outras pessoas, o que é muito sério. O mais grave neste caso é que este erro está contido no Livro que é tido como “regra de fé e prática” de milhões de pessoas no mundo inteiro!

Bem, mas qual é a verdade nisso tudo? Qual seria a correta tradução destes dois termos que vieram a “condenar” de forma tão grande a mulher de Iob?

Vamos a eles:

Primeiramente, no verso 9 temos a famosa frase: “..amaldiçoa a Elohim e morre”. Bem esta frase no hebraico ficaria assim: “...barak Elohim vamut” que literalmente seria “abençoa (ou bendiga) a Elohim e morra”. Mas por que seria assim? Que sentido teria esta frase para nós hoje? Devemos entender estas palavras em conexão com a tradição judaica. Quando qualquer judeu nasce as primeiras palavras que ele ouvirá serão aquelas contidas no na oração do Shema, que é dita duas vezes ao dia: “Shema Israel, Adonai Elohenu, Adonai echad. Baruch shem kevod malchuto leolam vaed” (Dt 6.4). Esta é uma das formas que temos de “bendizer ao nome do Eterno”. Uma outra é dizendo “Baruch Ha Shem” que significa “Bendito o Nome”; e ainda existe uma outra forma que está contida nas orações que os judeus fazem que sempre tem início com as palavras: “Baruch atá Ad’onai Elohênu melech haolám...” que significam “Bendito sejas tu, ó Eterno nosso D-us, Rei do Universo...” Então entendemos agora o que aquela mulher disse: ela viu o estado de saúde de seu marido e disse a ele: “Iob, antes que você morra de forma súbita, bendiga ao nome do Eterno e prepare-se para ser recolhido às moradas eternas”. Com estas palavras ela estava aconselhando seu marido a preparar-se de forma correta para o momento de sua morte.

É preciso explicarmos que a palavra “barak” significa “dar poder a alguém para ser próspero, bem-sucedido e fecundo” e esta foi a palavra dita neste texto que é totalmente diferente de duas outras palavras que significam “amaldiçoar” que são “´arar” significando “amaldiçoar” e também “qarab” com o mesmo significado. Basta uma rápida olhada para vermos que é impossível haver uma “confusão” quanto a estes termos; ou seja, ninguém pode dizer que “se enganou“ por que os termos eram “parecidos” ou porque houve um erro no entendimento da grafia deles!

Através do texto hebraico podemos afirmar que aquela mulher nunca disse a Iob que amaldiçoasse ao Eterno e morresse em consequência disso! Estas palavras nunca estiveram em seus lábios; na verdade elas foram colocadas ali e historicamente difundidas por todo o mundo graças a um erro de tradução perpetuado até os dias de hoje, graças também a falhas contínuas na “revisão’ dos textos sagrados!

Em segundo lugar, o verso 10 nos informa: “Porém ele lhe disse: Como fala qualquer doida, falas tu”. Então, na continuidade do texto acima explanado temos estas palavras, que por si só já “condenariam” de forma impiedosa aquela mulher que é chamada de “doida” (ou louca ou tola) e por isso merece de fato a condenação por sua “fala” impensada!

Isso é o que circula nos meios acadêmicos, teológicos e nas igrejas cristãs em geral, quando este assunto é abordado. Mas a verdade dos fatos é outra. A tradução literal desta frase seria: “E disse ele: falas como uma que tem falta de recato (ou de pudor)...”. Mas esta tradução está muito diferente daquilo que está escrito em nossas Bíblias. Por que isso é assim? A diferença está na tradução da palavra “nebalot” que vem da raiz hebraica “nabal” e que significa “ser insensato, tolo”. Porém o termo “nebalot” significa “falta de recato, falta de pudor” o que está de certa forma associado à tolice ou insensatez, porém num grau totalmente diferente, principalmente neste caso!

Mas por que ele disse isso desta forma? O que Iob quis dizer então para sua esposa? ele quis dizer-lhe: “Você fala como uma mulher que não tem recato (cautela, cuidado, prudência) para falar comigo, que sou alem de teu marido, sou também o sacerdote e o chefe desta casa!” Ainda segundo a tradição judaica a esposa e os filhos não poderiam dirigir-se ao pai da casa de qualquer forma. Eles deviam fazer isso de forma educada e digna, pois ao pai da casa era devido um respeito muito grande. Na realidade, a mulher de Iob dirigiu-se a ele de forma inadequada e por isso foi “repreendida” desta forma por ele.

Isso explica as palavras seguintes sobre “receber do Eterno o bem e o mal...”; pois na visão daquela mulher o sofrimento físico e também na alma que seu marido estava passando estava sendo muito intenso! É claro que como esposa dele ela o conhecia e sabia que os fatos que estavam ocorrendo em sua vida poderiam ultrapassar os limites humanos de qualquer pessoa e ele poderia não resistir e sucumbir inclusive à sua confiança no Eterno! Por isso ela dirige-se a ele desta forma; parece que havia nela o temor de que ele morresse e se perdesse eternamente...

Desta forma podemos esclarecer um pouco daquilo que ocorreu neste episódio no livro de Iob e esperamos que não somente possamos restaurar a reputação daquela mulher – que agiu de forma virtuosa, porém um pouco afoita – e possamos também entender um pouco mais sobre as Escrituras e aquilo que de tão precioso recebemos do Eterno, ou seja, a Sua Palavra, mas de forma pura e cristalina!

Que o Eterno D-us de Israel nos abençoe e que possamos colaborar para que a cada dia a Sua Palavra seja traduzida realmente de acordo com os originais em hebraico e possa restaurar o que foi perdido através dos tempos.

Baruch Há Shem!!!!!

Por Rav. Mário Moreno, fundador e líder do Ministério Profético Shema Israel e da Congregação Judaico Messiânica Shema Israel na cidade de Votorantim. Escritor, autor de diversas obras, tradutor da Brit Hadasha – Novo Testamento e conferencista atuando na área de Restauração da Noiva.

*O conteúdo do texto acima é de colaboração voluntária, seu teor é de total responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a opinião do Portal Guiame.

veja também