Politizar a saúde dos filhos por birra contra o governo é insanidade moral

Nossas crianças precisam da nossa proteção, discernimento e responsabilidade para continuarem saudáveis e vivas.

Fonte: Guiame, Marisa LoboAtualizado: sexta-feira, 21 de janeiro de 2022 18:34
(Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil)
(Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil)

Servir a Deus também significa defender a vida, custe o que custar, sempre se posicionando em favor da verdade e não de narrativas falaciosas, maliciosas e por vezes com o claro intuito de promover exploração comercial, política e midiática em benefício de grupos, partidos ou pessoas. 

Neste sentido, o meu artigo de hoje será pontual, pois visa ser um alerta aos milhões de pais e mães deste país sobre o atual contexto de pandemia em que nos encontramos. Antes de tudo, esqueça os temas políticos. Esqueça partidos, políticos e os "palpiteiros" de plantão que lotam os noticiários. 

O que está em jogo aqui é a vida das nossas crianças. Infelizmente, tenho visto alguns pais politizar a saúde dos próprios filhos no que compete à questão vacinal contra o novo coronavírus. Não estou me referindo à decisão de vacinar ou não, pois entendo que isso é um direito da família, o qual deve ser respeitado.

O problema está no que me parece a falta de critério de alguns pais em relação à tomada de decisão. Alguns, infelizmente, parecem ter transformado o tema numa espécie de torcida pró e contra à visão do governo federal. Isto é, se Bolsonaro é contra, então você é a favor. Se ele é a favor, então você é contra.

Esse é o critério que o destino da saúde dos seus filhos merece? Se não, então responda: você tem se informado através de diferentes fontes? Tem buscado, sem preconceito, obter a opinião de diferentes especialistas, não de influenciadores da TV e das redes sociais, mas de profissionais que lidam diariamente com pacientes no leito dos hospitais, e pesquisam, produzindo conhecimento científico sobre o assunto?

Você tem lido, pessoalmente, os inúmeros documentos que falam sobre a questão vacinal para o público infantil, diretamente das fontes oficiais dentro e fora do Brasil? Tem tratado com seriedade os dados comparativos, e visto puramente com racionalidade os resultados obtidos pelas estatísticas, a ponto de conseguir avaliar o custo vs benefício de cada escolha?

Um pai ou mãe que publica a foto do filho, no momento da vacinação, com uma mensagem política contra ou pró-governo, será que levou em consideração todos os critérios acima mencionados, ou tudo o que fez foi ser receptor da avalanche diária de informações midiáticas sobre o tema, não vendo a hora de politizar usando a saúde da própria criança?

São questionamentos sinceros que faço para a sua reflexão. Não quero influenciar a decisão dos pais, mas apenas alertar sobre a enorme responsabilidade que eles têm ao decidir algo que pode afetar a saúde dos filhos de forma permanente, positiva ou negativamente.

Entendo que qualquer politização nesse momento é absurdamente descabida e irresponsável, pois a vida dos nossos filhos e netos não vale o preço de birras ideológicas por "A" ou "B". Governos passam, partidos e políticos com eles também, assim como pandemias. Nossas crianças, contudo, precisam da nossa proteção, discernimento e responsabilidade para continuarem saudáveis e vivas.

Pense nisso.

Marisa Lobo é psicóloga, especialista em Direitos Humanos, presidente do movimento Pró-Mulher e autora dos livros "Por que as pessoas Mentem?", "A Ideologia de Gênero na Educação" e "Famílias em Perigo".

* O conteúdo do texto acima é de colaboração voluntária, seu teor é de total responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a opinião do Portal Guiame.

Leia o artigo anterior: Um alerta: os pais já vêm perdendo a guarda dos filhos pelo ativismo ideológico

Siga-nos

Mais do Guiame

O Guiame utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência acordo com a nossa Politica de privacidade e, ao continuar navegando você concorda com essas condições