MENU

Coração é terra que ninguém pisa, nem mesmo Deus. Mito ou verdade?

Coração é terra que ninguém pisa

Atualizado: Quarta-feira, 14 Março de 2012 as 12:49

“Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta,entrarei em sua casa e com ele cearei, e ele, comigo” (Ap 3: 20).

O homem é um ser complexo. Talvez nunca o conheçamos na sua totalidade. Em parte deve-se ao fato de que aquilo que é permitido ser visto, ou seja, o exterior, não se constitui naquilo que ele realmente é. A essência do homem, e o que representa sua identidade, é, na verdade, aquilo que ele é: espírito. O corpo, ou aquilo que é visível, constitui-se apenas na “casca” onde esse espírito habita.

Não são poucas as pessoas que creem firmemente que Deus, porser Todo-poderoso, Onisciente, Onipotente, Onipresente, Senhor daqueles que o aceitam, tem livre acesso a tudo que queira. Diferente da natureza do diabo, Ele não invade, e nem força Sua entrada na vida do homem usando as prerrogativas de ser Deus.

Realmente sua Onipresença o leva estar em todos os lugares; mas no tocante ao coração do homem, que “é a lâmpada do Senhor” (Pv 20: 27), Ele bate à porta e pede licença para entrar. E isto se dá quando o homem “crêcom o coração para sua justificação e o confessa com a boca para ser salvo” (Rm 10: 10). Esta sim é a única condição para o Senhor Jesus entrar no coração humano e transformá-lo.

Para Deus o coração do homem (não o órgão) é tão importante que Ele nos orienta a guardá-lo com cuidado, como quem cuida de algo que tem o poder de transformar as circunstâncias, seja para o bem ou para o mal:

“Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o teu coração, porque dele procedem as saídas da vida” (Pv 4: 25).

Devemos vigiar aquilo que nasce no interior de nosso coração, pois, segundo o próprio Senhor Jesus, os maus sentimentos têm o poder de contaminar e destruir, não só ao próprio indivíduo, mas a todos que estão aoseu redor. Ele nos adverte em Marcos 7: 20-23:

“E dizia: o que sai do homem, isso é o que contamina o homem. Porque do interior do coração dos homens saem os maus pensamentos, os adultérios, as prostituições, os homicídios, os furtos, a avareza, as maldades, o engano, a dissolução, a inveja, a blasfêmia, a soberba, a loucura. Todos estes males procedem de dentro e contaminam o homem”.

Antes de o homem executar qualquer atitude ruim e que contradiga as verdades da Palavra de Deus ele a forma em seu coração. Por isso, precisamos sempre nos examinar e agir como Davi fez: “Sonda-me, ó Deus,e conhece o meu coração; prova-me e conhece os meus pensamentos. E vê se há em mim algum caminho mau e guia-me pelo caminho eterno” (Sl 139: 23, 24).

Diante dos homens podemos estar sendo aplaudidos; mas só Deus conhece quem verdadeiramente somos. Aos olhos dos homens podemos ser considerados pessoas “de Deus” ou “muito espirituais”, mas o Senhor sonda o coração e as mentes, e não suporta a menor hipocrisia.

Em certa ocasião Jesus Cristo teve um embate com alguns escribas e fariseus justamente por esta razão. Estes achavam mais importante “aparentar” do que “ser” realmente. E tiveram que ouvir Dele: “Hipócritas, bem profetizou Isaías a vosso respeito, dizendo: Este povo honra-me com os lábios, mas o seu coração está longe de mim. Mas em vão me adoram, ensinando doutrinas que são preceitos dos homens”(Mt 15: 7-9).

Recentemente eu e meu marido tivemos uma experiência parecida com alguém “considerado” ser muito espiritual. Uma pessoa, membro de uma igreja Petencostal histórica, nos afrontou querendo nos fazer deixar uma preciosa orientação que havíamos recebido de Deus para acatarmos ao que ela achava que era correto para uma decisão familiar, que só interessava a nós.

Meu marido e eu não costumamos tomar nenhuma decisão em nossas vidas sem que tenha havido muita oração e busca da resposta de Deus em Sua Palavra. Até quando recebemos uma Palavra inspirada de algum servo de Deus a colocamos diante Dele em oração, e esperamos a resposta meditando na Bíblia, pois em Hebreus 1: 1 nos esclarece: “Havendo Deus, antigamente, falado, muitas vezes e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas, a nós falou-nos, nestes últimos dias, pelo Filho”.

Em João 1: 1 o Senhor nos confirma que Jesus, o Filho, é o Verbo (aPalavra). A Palavra precisa ter a primazia em nossas vidas, se é que queremos agradá-lo e termos sucesso em tudo.

A pessoa “espiritual” em questão deixou-se revelar, inclusive, pelas coisas terríveis que falava, demonstrando que seu interior, ou seja, o seu coração estava cheio de peçonha mortal. Esta estava dando direito legal ao diabo de arruinar sua própria vida, assim como afirma Provérbios 18: 21: “A morte e a vida estão no poder da língua; e aquele que a ama comerá do seu fruto”. Quem não vigia o que nasce no coração e brota dos lábios irá seprender e enredar no mal (Pv 6: 2).

O que pudemos presenciar foi algo que Tiago em sua carta afirmou:

“A língua também é um fogo; como mundo de iniqüidade, a língua está posta entre os nossos membros, e contamina todo o corpo, e inflama o curso da natureza, e é inflamada pelo inferno” (Tg 3: 6).

O Pai Celeste deseja ter sempre comunhão perfeita com seus filhos, sem que haja empecilhos. Um coração infiel a Ele, arrogante e cheio de pecados cria barreiras a uma comunhão perfeita, e permite ao diabo tomar as rédeas da nossa vida. Enganam-se aqueles que pensam estar fazendo as escolhas. Jesus afirmou que naquele grande Dia muitos dirão terem profetizado em Nome Dele, expulsado demônios, mas Ele dirá que nunca os conheceu (Mt 7: 22).

Quão terrível e triste será este Dia para aqueles que teimam em viverno engano de seus corações, achando que o louvor e o reconhecimento dos homens é o que importa e não permitem ao Espírito de Deus restaurar suas vidas! E o Senhor continua a bater...

Se quisermos ver o agir de Deus em nossas vidas sem restrições, sermos canal de bênção para o próximo e alegrar o coração Dele, Ele mesmodá a dica: “Filho meu, se o teu coração for sábio, alegrar-se-á o meu coração, sim, ó, meu próprio; e exultará o meu coração, quando os teus lábios falarem coisas retas” (Pv 23: 15, 16).

 

Por Mônica Valentim

veja também