MENU

Métodos errados: resultados inesperados

Métodos errados: resultados inesperados

Atualizado: Segunda-feira, 10 Maio de 2010 as 6:07

''E levantou-se Davi e partiu com todo o povo que tinha consigo de Baalá de Judá, para levarem dali para cima a arca de Deus [...]. E puseram a arca de Deus em um carro novo e a levaram da casa de Abinadabe, que está em Geba; e Uzá e Aiô, filhos de Abinadabe, guiavam o carro novo.[...]E, chegando à eira de Nacom, estendeu Uzá a mão à arca de Deus, e segurou-a, pois os bois a deixavam pender. Então a ira do Senhor se acendeu contra Uzá, e Deus o feriu ali por esta imprudência; e morreu ali junto à arca de Deus''. (2 Sm 6: 2, 3, 6 e 7)   

Em algum momento das nossas vidas poderemos nos deparar com escolhas ou decisões a serem tomadas. Nem sempre será fácil optarmos pelo melhor; até porque, como saberemos se aquilo que abrimos mão, ou o caminho que tomamos não seria o ideal?

Escolhas são sempre difíceis, pois sempre implicará em abrirmos mão de alguma coisa em favor de outra.

Certo dia ouvi uma pessoa experiente dizer: ''Se eu seguir a rodovia Dutra em direção a São Paulo, jamais chegarei a Vitória. Métodos errados: resultados inesperados''.

A princípio, pode nos parecer uma conclusão óbvia; mas há pessoas que investem suas energias em coisas que já estão fadadas ao fracasso, mas ainda insistem, crendo que com elas será diferente.

Quando Davi decidiu trazer a arca de volta para Jerusalém, teve conselho com os capitães e príncipes do povo. Havia sido uma decisão tomada em conjunto. Creio que Deus também não teria se oposto por tal decisão, como alguns crêem. Mas será que Deus estaria aprovando o método usado para que isto fosse feito?

Davi agiu como se não conhecesse a lei que determinava sobre o método, e quem Deus havia determinado para transportar a arca, e, obteve um resultado inesperado.

Quando o Senhor deu as diretrizes para a construção do Tabernáculo, bem como, todos os utensílios, determinou que a arca fosse construída com suportes , a fim de serem  encaixadas duas varas, para que apenas os levitas a transportassem em seus ombros (1 Cr 15: 15); nunca poderia ser carregada sobre um carro de bois.

Davi sendo rei, tinha a responsabilidade de conhecer a lei de Deus, mas ignorou instruções pré-determinadas, culminando com a morte de um inocente.

Quando Uzá foi morto por ter posto a mão na arca, Davi temeu a Deus; mas agiu como se o erro estivesse na arca, isso demonstrado quando decidiu levá-la para a casa de Obede-Edom, o geteu (2 Sm 6: 10).

O erro não estava na arca, tanto que Obede- Edom e sua família foram muito abençoados, enquanto a arca do Senhor esteve em sua casa.

Muitas  vezes a tendência humana é culpar a Deus por algo não ter dado certo. Esquece-se de que o erro está em ignorar as orientações pré- estabelecidas, e, conseqüentemente, ter-se-á colhido um fruto não desejado.

Passado algum tempo após o ocorrido com Uzá, Davi construiu sua casa e preparou um lugar para a arca do Senhor. Então entendeu o porquê da necessidade de obedecer aos princípios de Deus:

''Então disse Davi: Ninguém pode  levar a arca do Senhor, senão os levitas; porque o Senhor os elegeu, para levarem a arca do Senhor e para o servirem eternamente. [...]Pois porquanto assim não o fizeste, o Senhor fez rotura em nós, porque não o buscamos segundo a ordenança''. (1 Cr 15: 2, 13)

Precisamos, como filhos de Deus nascidos de novo, viver em dependência constante e obediência ao nosso Pai Celeste, que tem em sua Palavra o manual para obtermos sucesso em todas as circunstâncias.

Muitas vezes agimos como crianças mimadas que teimam em seguir suas decisões impulsivas,  mas que, acabam por colher um fruto amargo ao final.

Sentimo-nos suficientemente capazes de decidir sobre nossas vidas, e nos esquecemos Daquele que nos criou e conhece todas as nossas fragilidades.

Queremos a todo custo que nossos planos dêem certo, mas o Senhor nos diz: ''Muitos são os planos no coração do homem, mas o designo do Senhor, esse prevalecerá'' (Pv 19: 21).

Não podemos trilhar caminhos que nos levem a lugares opostos de onde a presença de Deus está: ''Há caminho que ao homem parece direito, mas o fim dele são caminhos da morte'' (Pv 14: 12). Muitas das vezes as coisas se apresentam de forma legítima aos olhos humanos; mas o Senhor conhece bem o resultado final: dor, decepção, vergonha, derrota e morte.

Se insistirmos em usar métodos dos quais Deus não aprova, obteremos sempre resultados indesejados.

''Confia no Senhor de todo o teu coração e não te estribes no teu próprio entendimento. Reconhece-o em todos os teus caminhos, e ele endireitará as tuas veredas''.

(Pv 3: 5, 6).

Mônica Valentim   é pedagoga, com expecialização em Orientação Educacional e Profissional; pós- graduada em Psicomotricidade. Possui especialização em Modificabilidade Cognitiva PEI- Nível I, Jerusalém, Israel. Bacharelanda em Teologia.

veja também