Juros, segundo Levítico

No caso de emprestar, não cobre juros sobre o empréstimo.

Fonte: Guiame, Paulo de TarsoAtualizado: quarta-feira, 9 de dezembro de 2020 15:33
(Foto: Getty)
(Foto: Getty)

Quando você empresta dinheiro a alguém, você cobra juros dessa pessoa? Então eu gostaria de ler para você este pequeno texto de Levítico e peço que você reflita sobre isso.

Se um israelita que mora perto de você ficar pobre e não puder sustentar-se, então você tem o dever de tomar conta dele. Aju­de-o como se ele fosse um estrangeiro que mora no meio do povo, a fim de que ele continue a morar perto de você. Não cobre juros sobre o dinheiro que você lhe emprestar. Respeite a ordem de Deus para que esse homem continue a morar perto de você. Não cobre juros sobre o que você lhe emprestar, nem tire lucro dos alimentos que você lhe vender. (Levítico 25.35-37).

Vamos analisar aqui o que está acontecendo. Por alguma razão alguém empobreceu e não está podendo se susten­tar. Você concorda que este tipo de problema pode aconte­cer comigo, com você, com qualquer pessoa?

Hoje temos o nosso trabalho, mas nada garante que amanhã não possamos estar sem emprego e sem o salário que tão fartamente garan­tia o nosso bem-estar, e tudo isso porque temos um controle apenas parcial sobre o dinheiro.

Podemos controlar ou pelo menos nos dispor a ser bons administradores de tudo o que Deus nos dá. No entanto, a perda de um emprego ou a quebra de um negócio são eventos que podem nos deixar em situa­ção financeira delicada. E não apenas delicada, mas de real necessidade de apoio financeiro vindo de outras pessoas.

É claro que não desejamos isso. Ninguém deseja. Mas é algo que pode tornar-se real. Não está longe de nós.

Então quero aqui chamar a sua atenção para que, quando isso acontecer — no caso, nem com você — que você possa ter uma orientação clara, correta, generosa, que vem da Palavra de Deus.

Então um amigo seu vem e pede dinheiro emprestado a você. O que você deve fazer? Primeiramente ouvir atentamente o que ele tem a dizer. Sim, é importante que você ouça e não apenas tire o dinheiro do bolso e tente resolver logo a situação dele.

Você deve ter sempre em mente que ele talvez esteja passando por essa situação por não estar administrando corretamente o dinheiro dele. Pode ser que a situação de necessidade não tenha sido causada por ele, mas pode ser que sim. Assim, esteja disposto a ajudá-lo da melhor forma possível.

Mas no caso de ajudar com dinheiro, você não deve cobrar juros dessa pessoa. O melhor mesmo seria dar, sem esperar receber nada de volta. Foi isso que Jesus ensinou em Lucas 6.34,35.

Conclusão: Haverá momentos em que você receberá pedidos de ajuda financeira. Ouça atentamente a pessoa que pede e não dê apenas o peixe, mas dentro do possível ensine essa pessoa a pescar. O ideal é que a pessoa volte a ter autonomia financeira o mais breve possível. Mas no caso de emprestar, não cobre juros sobre o empréstimo. Veja que essa pessoa está necessitada. E o melhor a fazer é dar liberalmente.

Por Paulo de Tarso, pastor, engenheiro e mestre em Teologia. Fundador do Ministério Finanças para a Vida, que ensina pessoas de todas as idades a administrar o dinheiro de acordo com a Bíblia. É autor dos livros “Sucesso Financeiro” e da série “Finanças em Ação”.

*O conteúdo do texto acima é uma colaboração voluntária, de total responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a opinião do Portal Guiame.

Leia o artigo anterior: O Ano do Jubileu

Siga-nos

Mais do Guiame