Você se preocupa com as pessoas financeiramente necessitadas?

Não podemos ter verdadeiro sucesso financeiro se só pensarmos em nós mesmos.

Fonte: Guiame, Paulo de TarsoAtualizado: quarta-feira, 8 de julho de 2020 15:55
(Foto: Crosswalk)
(Foto: Crosswalk)

Quero voltar aqui a tratar de generosidade, um assunto que sempre esteve na agenda de Deus.

Deixe-me fazer uma pergunta a você: Você realmente se preocupa com as pessoas financeiramente necessitadas?

Por que pergunto isso? Porque não podemos ter verdadeiro sucesso financeiro se só pensarmos em nós mesmos. É impossível ter sucesso dessa maneira. Não há como.

Por isso vou contar a você o que Deus falou por meio de Moisés. Ele disse assim: Não maltratem nem persigam um estrangeiro que estiver morando na terra de vocês. Lembrem que vocês foram estrangeiros no Egito (Êxodo 22.21).

Não sei se você já percebeu, mas quando estamos em casa, sentimo-nos muito mais seguros do que quando estamos fora. Você se sente assim?

Agora imagine não apenas estar fora de casa, mas ter de morar em outro país. As dificuldades começam pela língua, que normalmente é diferente da nossa. Outra coisa, dependendo do país e das leis, o processo de legalização para se ter todos os direitos pode demorar muito.

Muitos estrangeiros são financeiramente explorados fora de seus países, e os israelitas sofreram isso em sua própria pele. Eles foram escravos no Egito. Quer pior discriminação financeira do que trabalhar apenas pela sobrevivência? Pois foi exatamente o que aconteceu com o povo de Israel no Egito. O fato certo é que o estrangeiro é uma pessoa que necessita de proteção financeira.

Depois disso, Deus continuou falando por meio de Moisés, dizendo o seguinte: Não maltratem as viúvas nem os órfãos. Se vocês os maltratarem, eu, o Senhor, os atenderei quando eles pedirem socorro (Êxodo 22.22,23).

Eis aí um outro grupo de pessoas que também necessitam de proteção financeira. Imagine uma mulher ser viúva naquela época. Ela era quase completamente dependente do seu marido. Sem a presença dele, a vida se desequilibrava. A dependência financeira era extrema.

E o órfão, então? Não tinha nenhum tipo de apoio familiar, simplesmente porque não tinha família.

Como assegurar então o apoio financeiro a essas pessoas?

Hoje, em nossas sociedades modernas, é muito mais difícil termos contato com estrangeiros e com os órfãos. Mas eles estão aí. E como podemos ajudá-los?

As viúvas estão mais presentes, porque mais cedo ou mais tarde vamos ter viúvas ou viúvos em nossas famílias. Mas será que estamos dando o apoio financeiro necessário a eles? Saiba que é obrigação da família apoiar essas pessoas. Mas na perspectiva de Deus, mais do que uma obrigação, deve ser um privilégio fazer isso.

Conclusão: Deus deseja que você tenha uma genuína preocupação com o bem-estar financeiro das pessoas desfavorecidas. Comece listando pessoas de sua família que você poderia ajudar. Seus pais, seus filhos, seus avós. Depois os outros familiares. Agora liste também pessoas que você conhece e que estão financeiramente desprotegidas. Comece a agir.

Por Paulo de Tarso, pastor, engenheiro e mestre em Teologia. Fundador do Ministério Finanças para a Vida, que ensina pessoas de todas as idades a administrar o dinheiro de acordo com a Bíblia. É autor dos livros “Sucesso Financeiro” e da série “Finanças em Ação”.

* O conteúdo do texto acima é uma colaboração voluntária, de total responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a opinião do Portal Guiame.

Leia o artigo anterior: O poder da restituição

Siga-nos

Mais do Guiame

O Guiame utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência acordo com a nossa Politica de privacidade e, ao continuar navegando você concorda com essas condições