Objetivos do Cristão - Colossenses 1:9-12

Veja quais são os objetivos de um cristão, de acordo com os ensinamentos do Apóstolo Paulo aos colossenses.

Fonte: Guiame, Ricardo SoaresAtualizado: quarta-feira, 9 de março de 2022 18:02
(Foto: Pixabay)
(Foto: Pixabay)

INTRODUÇÃO

Juntamente com Efésios, Filipenses e Filemom, Colossenses é uma das chamadas “cartas da prisão”, que como o próprio termo sugere, foram escritas de Roma, onde Paulo estava preso.

O apóstolo recebe a visita de seu discípulo Epafras, fundador da igreja de Colossos. E além de boas notícias sobre como estava a igreja, traz também uma preocupação.

Após algum tempo pastoreando aquela igreja, ele é surpreendido pela chegada de alguns mestres que pregavam um evangelho diferente daquele que ele recebeu de seu discipulador. Ele sente dificuldades devido à complexidade da doutrina que eles traziam, e então pede ajuda para confrontar aquela heresia.

E essa heresia de Colossos, era um verdadeiro “balaio de gato”! Se tratava de um gnosticismo místico com influência do dualismo neoplatônico. O gnosticismo ensinava que para ser salvo, você tinha que ter um conhecimento secreto.

Sobre essa falsa doutrina o pastor Luís Sayão disse o seguinte:

“Os hereges de Colossos fizeram um verdadeiro sincretismo de tendências religiosas distintas e criaram confusão e desunião na igreja cristã. Tinham influência da religião greco-romana, do judaísmo, de uma espécie de gnosticismo incipiente e das religiões de mistério que proliferavam na Ásia Menor no primeiro século”.

Voltando à carta, Paulo à inicia com a saudação de costume, e do verso 3 até o verso 8, descreve que recebeu informações de Epafras que o deixou muito feliz, e diz que orava sempre a Deus agradecendo por 3 coisas em particular: (1) pela fé da igreja, (2) pelo amor deles e (3) pela esperança que tinham, que era advinda do Evangelho.

Quando fala da esperança (v.5-7), Paulo faz questão de frisar que ela vinha do evangelho verdadeiro, evangelho esse que eles tinham recebido por intermédio de Epafras, e diz que esse evangelho estava crescendo e frutificando em todo o mundo e também, entre eles. 

Na sequência (v.9) Paulo diz que não cessava de orar pedindo à Deus que eles fossem cheios do (1) pleno conhecimento (epignosis) da vontade de Deus, de (2) sabedoria (Sofia) e de (3) entendimento espiritual.

A primeira coisa que Paulo pede aqui então, é que eles (1) conheçam, (2) entendam e tenham (3) sabedoria, ou seja, Paulo queria mostrar que a principal batalha que estava sendo travada aqui, era na mente!

Sabendo disso, fica mais fácil de entender o que ele quis dizer quando escreveu aos Romanos o seguinte:

“E não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus”. Romanos 12:2

OBJETIVOS DA ORAÇÃO DE PAULO

E tudo isso que Paulo afirmou pedir a Deus em oração; (1) pleno conhecimento da vontade de Deus, (2) sabedoria e (3) entendimento espiritual, tinham objetivos práticos muito claros, que Paulo começa a descrever a partir do verso 10.

E esses objetivos, devem ser os objetivos de vida de todo o cristão, por isso, é de suma importância nós refletirmos sobre eles:

1 - ANDAR DIGNAMENTE 

O 1º objetivo listado por Paulo é “andar dignamente”. Stan Lee, criador do Homem Aranha, certa vez disse que “com grandes poderes, vêm grandes responsabilidades”, e isso é uma grande verdade, porém, com outras palavras, a Bíblia já declarava isso muito antes; “...A quem muito foi dado, muito será exigido; e a quem muito foi confiado, muito mais será pedido" (Lucas 12:48).

E o evangelho de João declara que como cristãos, recebemos um grande poder, o de sermos feitos filhos de Deus:

“Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que creem no seu nome...” João 1:12

Cristo nos deu o poder de sermos feitos filhos de Deus e isso é um tremendo privilégio. Mas esse privilégio traz consigo uma grande responsabilidade, a de andar dignamente diante do Senhor, ou seja, não podemos viver de qualquer forma, temos um padrão a seguir e esse padrão é Cristo! Por isso não existe “crente Gabriela” (eu nasci assim, eu cresci assim). Temos que dar testemunho.

Esse é o padrão do cristianismo, tanto que Paulo já tinha ensinado sobre isso em outras cartas à outras igrejas, como aos Filipenses por exemplo:

“Somente deveis portar-vos dignamente conforme o evangelho de Cristo, para que, quer vá e vos veja, quer esteja ausente, ouça acerca de vós que estais num mesmo espírito, combatendo juntamente com o mesmo ânimo pela fé do evangelho”. Filipenses 1:27

E talvez você questione, mas o que é exatamente andar dignamente diante do Senhor? Escrevendo aos Efésios, Paulo não só confirma mais uma vez esse ensino, como descreve o que é esse andar dignamente:

“Rogo-vos, pois, eu, o preso do Senhor, que andeis como é digno da vocação com que fostes chamados, Com toda a humildade e mansidão, com longanimidade, suportando-vos uns aos outros em amor, Procurando guardar a unidade do Espírito pelo vínculo da paz”. Efésios 4:1-3

Agindo assim, estaremos não só fazendo jus ao título de “cristãos”, como também imitando a Cristo e honrando seu nome!


2 – AGRADAR AO SENHOR

O segundo objetivo que temos como cristãos, é também um grande desafio, agradar ao Senhor em tudo! Isso é um grande desafio para nós seres humanos imperfeitos e afetados pelo pecado.

Temos uma grande facilidade de buscar fazer apenas aquilo que nos agrada. É um pensamento global. Aliás, nós vivemos num tempo em que a filosofia do hedonismo se torna cada vez mais predominante.

Porém, temos que nos lembrar que não fomos chamadas para agradar à nós mesmos. Fomos chamados para agradar ao nosso Pai Celestial, em amor.

Uma observação interessante, é que a palavra usada por Paulo no original para “Agradando-lhe” é a expressão grega arekeia, que literalmente, quer dizer “desejo de agradar”, ou seja, não apenas devemos viver de modo que agrade ao Senhor, mas devemos desejar isso!

Repare que isso é exatamente o oposto da filosofia do hedonismo. Enquanto o hedonismo prega o auto prazer como bem supremo, o cristianismo prega o desejo, ou seja, o prazer, em viver de forma que agrade à Deus.

3 – FRUTIFICAR EM TODA BOA OBRA

O 3º objetivo de todo cristão, é frutificar em toda boa obra. Por conta dos excessos cometidos no passado, quando se pregava que a salvação era obtida através das obras, muitos cristãos têm um certo receio de falar sobre esse tema: obras.

É fato que não somos salvos pelas obras, ou pelo menos, pelas nossas obras, somos salvos pelas obras de Cristo na cruz do calvário.

O próprio apóstolo Paulo deixou isso muito claro:

“Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus. Não vem das obras, para que ninguém se glorie...”  Efésios 2:8-9

Porém, não podemos ignorar outro fato: de a Bíblia também afirmar que fomos criados para as boas obras:

“Porque somos feitura sua, criados em Cristo Jesus para as boas obras, as quais Deus preparou para que andássemos nelas”. Efésios 2:10

A carta universal de Tiago não só confirma isso, quanto mostra que as obras são a evidência de nossa salvação:

“Meus irmãos, que aproveita se alguém disser que tem fé, e não tiver as obras? Porventura a fé pode salvá-lo? E, se o irmão ou a irmã estiverem nus, e tiverem falta de mantimento quotidiano, E algum de vós lhes disser: Ide em paz, aquentai-vos e fartai-vos; e não lhes derdes as coisas necessárias para o corpo, que proveito virá daí? Assim também a fé, se não tiver as obras, é morta em si mesma. Mas dirá alguém: Tu tens a fé, e eu tenho as obras; mostra-me a tua fé sem as tuas obras, e eu te mostrarei a minha fé pelas minhas obras. Tiago 2:14-18

E talvez você esteja perguntando: mas o que são as boas obras? Praticamos as boas obras quando buscamos cumprir tudo aquilo que Ele nos pede em sua Palavra. Jesus, ao responder um mestre da lei certa vez afirmou:

“Amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todas as tuas forças, e de todo o teu entendimento, e ao teu próximo como a ti mesmo. E disse-lhe: Respondeste bem; faze isso, e viverás." Lucas 10:27-28

Ao agir assim, frutificaremos em toda boa obra. E por último e não menos importante, o que é uma boa obra? Paulo também responde, é aquela que glorifica a Deus: “Portanto, quer comais, quer bebais ou façais outra coisa qualquer, fazei tudo para a glória de Deus” (1 Coríntios 10:31).

4 – CRESCER CONTINUAMENTE NO CONHECIMENTO

O 4º e último objetivo do cristão listado por Paulo em sua oração é crescer continuamente no conhecimento. Infelizmente, não é raro observar, que muitos quando começam sua caminhada cristã são plenamente empolgados e envolvidos e buscam o crescimento de todas as formas possíveis:

  • Leem bíblia com mais frequência;
  • Oram todos os dias;
  • Não faltam aos cultos e EBDs;
  • São mais dedicados na luta contra a carne etc.;

Porém, após algum tempo começam a esfriar paulatinamente, ou seja, de pouco em pouco. Paulo nos alerta aqui que o crescimento deve ser contínuo, não devemos parar até que Cristo volte para buscar sua igreja.

O profeta Oséias já tinha ensinado sobre isso quando escreveu: “...conheçamos, e prossigamos em conhecer ao Senhor...” (Oséias 6:3), nos mostrando que esse ato é um processo cíclico.

A palavra usada pelo profeta Oséias no original é a mesma empregada em Gênesis 4:1, quando diz que Adão coabitou (Yada) com Eva, e que ela deu a luz à Caim. Ou seja, o conhecer demanda prática e intimidade.

Já a expressão empregada por Paulo no grego, é a palavra epignosis, que quer dizer conhecimento preciso e correto. Jesus nos disse que o conhecimento da verdade nos liberta (João 8:32).

Ou seja, o que a Palavra de Deus nos ensina, é que o conhecer a Deus na prática vem da intimidade, gera o conhecimento preciso e correto e nos liberta e através desse processo. Isso gera em nós um crescimento contínuo espiritual e devemos buscar isso há cada dia.

CONCLUSÃO

E para finalizar, no verso 11, Paulo diz que esses 4 objetivos listados por ele; (1) Andar dignamente, (2) Agradar ao Senhor, (3) Frutificar em toda boa obra e (4) Crescer continuamente no conhecimento, resultarão em um fortalecimento da parte de Deus, que consequentemente gerará:

  • Perseverança
  • Paciência (longanimidade)
  • Alegria

E por último, no verso 12, gratidão. Ou seja, quando buscamos de coração esses objetivos, seremos fortalecidos no Senhor nos tornando mais perseverantes, pacientes, alegres e gratos.

Ricardo Soares é pastor, professor de teologia, filosofia e autor de "Introdução à Filosofia Cristã: o encontro da fé com a razão". É casado com Sarah e pai de duas filhas: Pâmela e Polyana. Para saber mais, acesse contrapontoteologico.com.br

* O conteúdo do texto acima é de total responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a opinião do Portal Guiame.

Leia o artigo anterior: Lições na tempestade – Marcos 4:35-41

Siga-nos

Mais do Guiame

O Guiame utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência acordo com a nossa Politica de privacidade e, ao continuar navegando você concorda com essas condições