MENU

O ministério da verdadeira adoração

O ministério da verdadeira adoração

Atualizado: Terça-feira, 13 Julho de 2010 as 5:25

''Mas vem a hora e já chegou, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque são estes que o Pai procura para seus adoradores'' - João 4:23.

Como é maravilhoso saber que o homem ao ser criado por Deus é o personagem mais importante da história da criação. Criado para o louvor da glória de Deus, para viver em santidade e justiça todos os dias de sua vida, a fim de revelar o eterno projeto do Pai, que é o de ter uma família com muitos filhos semelhantes ao Seu primogênito Jesus, refletindo Seu amor e Sua glória sobre toda a criação. Este homem é o templo do Deus vivo (I Co 6:19). Na relação que Ele desenvolve com o Pai, a prioridade diz respeito a adoração e ao louvor, fruto do amor e reconhecimento pela experiência com uma tão grande salvação (Lc 1:68-75).

A adoração envolve não somente sentimentos, emoções e palavras, mas uma atitude física que demonstra submissão e humildade. A adoração não está limitada a tempo e espaço, pois o lugar da verdadeira adoração somos nós mesmos.

O Ministério do Santuário no Tempo de Ezequiel

No texto do profeta Ezequiel 44, somos levados a descobrir alguns tipos de adoração e adoradores que devemos considerar com atenção. Deus fala com o profeta seriamente sobre as condições das pessoas que ministram na Sua Casa. Havia três grupos distintos:

1- Os estranhos/ estrangeiros. (vs 4- 9).

Incircuncisos de coração e de carne (vs 7) - Quebraram a aliança, desobedientes. Invalidavam a aliança (vs 7) - Rebeldes e sem compromisso. Cometiam abominações (vs 7) - Vida de pecado. Não guardavam as ordenanças (vs 7) - Não obedeciam a Palavra de Deus. Estavam misturados com o povo (vs 8) - Tinham comunhão com os ímpios. CIRCUNCISÃO: Operação mediante a qual se corta o prepúcio (órgão genital masculino). Esse costume era praticado por vários povos antigos do Oriente Próximo. Entre os israelitas, tinha um significado altamente religioso: era o sinal externo e visível da aliança de Deus com Israel, mediante o qual o circuncidado era formalmente reconhecido como pertencente ao povo de Deus e sinal de purificação (Gn 17: 10- 12).

Adoração Impossível

Aqui temos a descrição de um grupo de pessoas que não podiam adorar a Deus porque não eram verdadeiros adoradores. Eles eram estranhos, estrangeiros, incircuncisos de coração e carne, demonstravam a figura do homem carnal que não discerne espiritualmente nada por estar morto em seus delitos e pecados (Rm 2: 29; Cl 2: 11; I Co 2: 14; Ef 2: 1-3; Mt 22: 32; Sl 115: 17).

O objeto da adoração dessas pessoas era o pecado, a rebeldia e o egocentrismo. É impossível a adoração verdadeira para aquele que não nasceu de novo, que não é uma nova criatura e que não tem o Espírito Santo. A verdadeira adoração só é possível para os filhos de Deus, os que já ''não são mais estrangeiros, mas concidadãos dos santos, e da família de Deus'' (Ef 2: 19).

2 - Levitas desviados. (vs 10 - 14).

Haviam se transviado (vs 10) - Estavam desviados, caminhos tortuosos. Tinham ídolos (vs 10) - Coração dividido (Is 2: 17- 18). Prestavam serviços (vs 11) - Tinham serviços na Casa de Deus. Serviam de tropeço ao povo (vs 12) - Fizeram o povo pecar por causa de culto à seus ídolos. Não tinham intimidade com o Senhor (vs 13) - Não tinham acesso as coisas sagradas, não tinham comunhão com Deus. Adoração falsa

Agora estamos diante de outro tipo de pessoa. São aquelas que representam os religiosos sem uma real experiência com Deus. São os chamados ''crentes carnais'', inclinados para suas próprias paixões e concupiscências, buscando a sua própria glória, com quem Deus não tem nenhum compromisso (Rm 8: 4- 13; Gl 5: 24).

Os levitas eram aqueles que tinham a responsabilidade de servir ao povo, e suas atividades eram desenvolvidas no pátio do templo. Havia muita competição entre eles, para saber quem era o melhor, quem tinha a ''fila'' maior, etc. A motivação era o reconhecimento do homem e não a exaltação a Deus. Quantas das nossas atividades muitas vezes não visam à realização pessoal e o orgulho de ser o melhor ou o maior? (Jo 12: 43). E os cultos que exaltam a personalidade humana e o ''estrelismo'' de líderes ou de músicos? Deus não tem compromisso com esse tipo de glória, pois ela expressa a falsa adoração (Mt 23: 1- 36; Mt 6: 2, 16- 18). Lá ''fora'' no pátio se vê a glória do homem, mas é ''dentro do templo'' que está a glória de Deus.

São as obras do homem. É como o ''mal de Parkinson'': todo o corpo está descontrolado por não estar a cabeça com o controle absoluto. Lá ''fora'' no pátio se vê a glória do homem, mas é dentro do ''templo'' que está a glória de Deus.

O vinho da glória dos homens é muito embriagador e revela motivações erradas do coração corrupto do homem carnal (Jr 17: 9). Se ele não nascer de novo, ganhando um novo coração, continuará fora do Reino de Deus sem expressar a verdadeira adoração (Ez 36: 26- 27; II Co 5: 14-17).

Vejamos dois exemplos bíblicos:

Lv 10:1-2: O exemplo de Nadabe e Abiú é desafiador! Eles trouxeram fogo estranho que o Senhor não havia ordenado, porque estavam embriagados, e como resultado, morreram. At 5:1-11: O exemplo de Ananias e Safira também é interessante. Este casal resolveu mentir ao Espírito Santo. Eram crentes carnais que estavam embriagados com vinho da glória pessoal e por isso foram mortos. Eles ficaram impressionados com a oferta de Barnabé que era legítima, e movidos de inveja tentaram imitá-lo, porém, não tinham natureza regenerada para andar na verdade. Adoração é um ato contínuo de amor. É um estilo de vida. 3- Os descendentes de Zadoque. (vs 15- 30).

Zadoque - Sacerdote fiel as ordenanças de Deus (II Sm 15:24).

Guardavam a aliança (vs 15) - Eram praticantes e obedientes a Palavra de Deus. Serviam diante do Senhor a sua mesa (vs 16) - Tinham intimidade com Deus. Vestiam- se com linho fino (Ap 19:8). Asseio pessoal e vestuário adequado (vs 17-18) - Tinham vida reta e eram justos, corretos. Vida sentimental ajustada (vs 22) - Não tinham relacionamentos problemáticos. Eram casados com pessoas corretas e santas diante de Deus (Pv 19:14). Ensinavam ao povo (vs 23) - Ensinavam mediante a Palavra. Aptos para julgarem as questões entre o povo (vs 24) - Eram pacificadores, solucionavam problemas entre as pessoas. Tinham o Senhor como herança (vs 28) - Razão da vida. Tinham um verdadeiro chamado de Deus em suas vidas. Quando Deus chama, Ele capacita provendo todas as nossas necessidades (vs 30-31; I Ts 5:24). A Verdadeira Adoração

Aqui temos a figura do verdadeiro adorador o que adora ao Pai em espírito e em verdade. Não é aquele que possui todos os dons e talentos, mas é aquele que tem um coração novo, disponível, ungido, sensível, obediente e inspirado. Ele está preocupado em mostrar primeiro a vida, depois as obras. Primeiro a vida e depois a adoração aceita por Deus.

Agora ele está capacitado a ensinar o povo a ''distinguir entre o santo e o profano, entre o imundo e o limpo'' (vs 23). Somente quem foi transformado em filho de Deus pelo poder regenerador da Palavra, é que consegue adorar ao Senhor verdadeiramente.

O verdadeiro adorador é que está ligado à cabeça, como membro desse corpo que é Cristo, e como fruto dessa comunhão e relacionamento, ganhou a capacidade de expressar o amor de Deus na verdadeira adoração.

Reflexão

Observando tudo o que aprendemos, em qual dos três grupos de ministros adoradores você se encaixa?

Deus abençoe!

Ronaldo Bezerra   é pastor, músico, cantor, compositor e líder nacional do ministério de música da Comunidade da Graça. É casado com Simone Bezerra e tem dois filhos: o Ronaldinho e a Sophia. É filho do pastor presidente Carlos Alberto de Quadros Bezerra e pastora Suely Brandoles de Quadros Bezerra da igreja Comunidade da Graça no Brasil. Atuou como contra baixista em várias gravações ao lado de Adhemar de Campos e outros. Em 1997 cursou a Escola de Adoração, de Marcos Witt (C.C.D.M.A.C.). Gravou sete CDs e um DVD, sendo o mais recente, ''Ronaldo Bezerra ao vivo'', que reúne suas principais canções e participações de amigos como Adhemar de Campos, PG, Pregador Luo e outros. Escreveu um livro intitulado ''A Excelência da Adoração'', um material dedicado a pastores, líderes e músicos. Seu ministério tem como objetivo levar a Palavra de Deus a todas as nações através da música.  

veja também