MENU

A encarnação do diabo

A encarnação do diabo

Atualizado: Quarta-feira, 17 Fevereiro de 2010 as 12

Gn 6.1-4: "Ora, naquele tempo havia gigantes na terra; e também depois, quando os "filhos de Deus" possuíram as filhas dos homens, as quais lhes deram filhos; estes foram valentes, varões de renome, na antiguidade".

Está em jogo aqui a possibilidade de demônios se materializarem e de se acasalarem com humanos. Temos nas mãos um grupo denominado de "Filhos de Deus" e outro rotulado como "Filhas dos homens". Segundo o texto, os dois grupos se acasalaram e geraram filhos. O rótulo de "filhos de Deus", quando mencionados no Antigo Testamento, se refere a criaturas que foram geradas diretamente por Deus. Nomenclatura aplicada a Jesus Cristo, que foi gerado pelo Espírito Santo, diferente dos anjos, que não precisaram de um ventre humano.

Para defender a possibilidade deste tipo de acasalamento, precisamos de textos que nos convençam de que ao se materializarem, os anjos possuíam todas as funções físicas de um ser humano normal. No episódio onde anjos se envolveram com os homens de Sodoma ficou claro que pareciam capacitados a ter relações sexuais. Eles pareceram suficientemente reais aos sodomitas para convencê-los de que por dentro da roupa carregavam órgãos que os capacitavam para o coito. Não sabemos até onde os sodomitas chegaram para formar esta opinião, mas obviamente, passaram dos limites.

Como resultado desta união entre os "filhos de Deus" e "filhas dos homens" nasceram pessoas excepcionais, grandes guerreiros que parecem relacionados aos gigantes, guerreiros que historicamente se tornaram inimigos de Israel.

Destaques para Golias, para os homens da cidade de Ai e para os gigantes que amedrontaram os espias, provocando uma retirada desonrosa para o deserto onde comeram areia por 40 anos e onde repetiriam a dose.

Creio que o texto é suficientemente claro para dizer que o acasalamento entre os "filhos de Deus" e as "filhas dos homens" foi a gota que faltava

para acender o cálice da ira de Deus sobre os homens. Refiro-me ao dilúvio, em decorrência do qual esta raça foi extinta. Os demônios, porém, encontraram uma porta de entrada na permissividade e na degradação. O que mais se poderia esperar de uma raça pósdiluviana tão descaída quanto seus antecedentes?

O anticristo será "o filho do diabo". Um ser, que segundo alguns, será gerado durante sua relação com uma das "filhas dos homens". Esta hipótese não deve ser descartada porque satanás procura igualar-se a Deus em Seus feitos. A encarnação de alguém que exiba espetaculares poderes sobrenaturais pode ser parte de seus planos. O motivo da rejeição de lúcifer foi justamente a intenção de assentrar-se no "Trono do Altíssimo".

A título de curiosidade, a doutrina satanista prevê esta possibilidade, e menciona demônios capazes de fazer sexo, de recolher e depositar material genético durante esta relação. Chamam estes seres de íncubos e súcubos. O primeiro recolhe e o outro transmite. Embora pareça interessante e até mesmo plausível, esta doutrina deve ser vista com cautela, visto que foi formulada por seres diabólicos e não estão descritas na Bíblia. Isto, porém, reforça a hipótese de que o anticristo será um ser humano geneticamente modificado, ou como dizem nos filmes de ficção, uma anomalia criada pela engenharia genética, um mutante.  

Ubirajara Crespo é pastor, escritor, conferencista, editor e diretor da Editora Naós.

Visite o Blog sob Nova Direção - http://sob-nova-direcao.blogspot.com/

veja também