Mais de 2.400 representantes da Igreja vão definir rumos da Igreja Adventista no mundo

Mais de 2.400 representantes da Igreja vão definir rumos da Igreja Adventista no mundo

Atualizado: Quinta-feira, 27 Maio de 2010 as 3:49

Os chamados delegados vão votar itens da agenda durante a 59ª Assembleia Mundial da Igreja Adventista do Sétimo Dia em junho na cidade de Atlanta, nos Estados Unidos. Mas quem são eles e como são escolhidos? A Igreja Adventista define o processo, que começou no verão passado. Os delegados se enquadram em uma de duas categorias: regulares, que representam os vários níveis da administração da Igreja e gerais, que representam entidades e instituições da Igreja a nível mundial, como as universidades.

Os regulares são provenientes da administração nas associações, missões, uniões e escolhidos seja pela sede de sua divisão eclesiástica, ou por sua respectiva união, o próximo nível da administração da Igreja.

A Constituição da Igreja define orientações específicas sobre quantos delegados cada órgão administrativo conterá. Independentemente do tamanho da congregação, a cada união são atribuídos dois delegados, além de seu presidente, que entra na categoria de delegado geral. Cada União-missão tem direito a um delegado. Cada presidente de União-missão é igualmente considerado um delegado geral.

Para órgãos administrativos da Igreja até ao nível local, o padrão continua. Tanto às associações locais quanto às missões locais são atribuídos dois delegados cada, independentemente, do número de membros. As uniões de igrejas também podem escolher dois delegados, independentemente do tamanho da membresia.

Se uma união deixa de preencher sua quota de delegados, sua respectiva Divisão fica na liberdade de realocar as posições de delegados restantes. Às 13 divisões administrativas da Igreja são coletivamente distribuídos mais 400 delegados regulares a serem designados com base na proporção de membros em relação ao número de membros da Igreja a nível mundial.

Quando as quotas de delegados se baseiam em número de membros da igreja, o fator de cálculo quanto ao número de membros toma por base as estatísticas de número de membros em 31 de dezembro do segundo ano antes da Assembleia. As entidades aptas a enviarem representantes para a assembleia também devem existir em 31 de dezembro do mesmo ano, conforme estabelece a Constituição da Igreja.

A Constituição da Igreja refere-se ao restante dos delegados como "delegados gerais". Os 20 delegados que cada divisão envia à Assembleia entram nessa categoria, bem como os 20 delegados escolhidos pela Comissão Executiva da Igreja, entre as pessoas designadas pela Associação Geral.

A Comissão Executiva, de 300 membros, que inclui representantes de cada uma das 13 divisões da Igreja, reúne-se semestralmente para conduzir os negócios denominacionais e é automaticamente incluída na contagem de delegados da Assembleia.

Também incluído na categoria de delegados gerais estão os diretores e diretores-associados de cada departamento e associação da sede denominacional mundial em Silver Spring, Maryland.

Assim como os delegados regulares são designados com base na membresia da Igreja, os delegados gerais adicionais são designados com base no número de instituições de divisão em cada região eclesiástica.

O restante dos delegados gerais é compreendido por 300 representantes da Associação Geral, inclusive funcionários, secretários de campo, leigos e pastores selecionados pela Comissão Executiva.

A Igreja Adventista tem cinco níveis de administração. A sede mundial da Igreja, chamada de Associação Geral, supervisiona 13 regiões administrativas mundiais da Igreja, ou divisões. As divisões são compostas de uniões, formadas de associações, que supervisionam um grupo de igrejas locais. Existem dois tipos de uniões e associações: as que são financeiramente autossuficientes e elegem seus próprios dirigentes e as que dependem da sua respectiva divisão para lidar com essas funções.

Em algumas regiões, um grupo de igrejas, sem uma associação ou missão administradora, organizarão o que é chamado de união de igrejas, pela qual congregações individuais se reportam diretamente a sua respectiva união.

veja também