MENU

Padrões X Paradigmas

Padrões X Paradigmas

Atualizado: Quarta-feira, 24 Novembro de 2010 as 6:01

Em cada lugar que temos ido ministrar nesse tempo, em cada cidade, país, tenho me deparado com a sede e fome que todos estão, de algo novo que venha sobre essa geração. A verdade é que tudo o que é “novo” traz uma idéia de superação de algo que se tornou ultrapassado. Algo que me impressiona é o que diz a Palavra de Deus:

“ Tudo passa, mas as Palavras do Senhor permanece para sempre ... “ (1 Pe 1:25)

Sim, o Padrão que está em Deus jamais estará ultrapassado, pois a essência do Senhor permanecerá para sempre. Hoje, o que percebemos é o quanto já se tornou ultrapassado muito do que temos vivido, pois o padrão que se tem provado necessita de mudanças, talvez até radicais em alguns pontos. Posso dar alguns exemplos de que quando olho pra Bíblia, eu vejo o padrão de uma Palavra sendo falada na vida de muitos homens e mulheres de Deus, que realmente entregaram suas vidas á um padrão verdadeiro que se inicia quando Deus é o centro de todas as coisas, e o homem é um servo, que ama ao seu Senhor. Me preocupa o quanto o homem hoje tem sido o centro de muitas coisas, se tornando um padrão que tem ferido diretamente os princípios de Deus, e isso tem causado uma nevralgia no corpo de Cristo, com sintomas e consequências das mais variadas, e minha pergunta tem sido até quando isso vai perdurar! Hoje a quantidade de crianças, adolescentes e jovens nessa geração, que necessitam ver referências com padrões bem definidos na Palavra de Deus é muito grande, pois na informação recebida nessa época da vida, é que os padrões ou “paradigmas” vão sendo colocados, formando assim a vida de uma pessoa. Mas o que temos visto, e quais são os padrões que nessa geração tem tocado as nossas vidas? Eu nesses dias estava ministrando a um jovem ministro de louvor e adoração, e vendo no seu coraçãozinho o que mais ele estava sonhando. Percebi que o sonho dele é chegar em um patamar de muitos shows, agenda cheia o ano inteiro, e com isso poder também colher tudo aquilo que semeou, ou sofreu por algum tempo. Confesso que a dificuldade de demolir esses pensamentos, que estão sólidos, por causa de padrões que hoje são reais em nosso país, é muito difícil, e pode-se tornar até uma grande frustração vinda de nossa parte, querer ensinar que os ministros do Senhor, em primeiro lugar sao chamados para servir e não serem servidos. Hoje, os ensinos que são sutilmente lançados pelos padrões existentes, são difícieis de serem destruidos, pois já há alguns anos estamos nos estabelecendo nessas coisas e necessitamos mais do que urgente, olhar para Jesus e ver que seu ministério estava totalmente ligado em dar do que receber.

O PADRÃO DO RECEBER. Em Atos 20:35 vemos Paulo expor com muita clareza, que mais bem-aventurado é aquele que dá, do que o que recebe. Os significados são claros, e não precisam de nenhuma explicação, ou revelação no contexto, pois as próprias letras já falam com exatidão, que a Igreja naqueles dias estava amplamente vivendo um padrão de Cristo, e experimentando assim, de uma essência verdadeira do reino de Deus, que os sacerdotes são chamados para dar em primeiro lugar, e como consequência, estariam experimentando da provisão de Deus. O que paira no ar, é um tempo que esta geração, que se denomina de adoradores, ficaram afeiçoados em receber algo, do que ministrar algo. Olhando para Abraão, o pai da fé, que viveu em seus dias um padrão de excelência diante de Deus, vemos que sua formação foi em primeiro lugar dar, e por consequência receberia a provisão de Deus. “E disse: Toma agora o teu filho, o teu único filho, Isaque, a quem amas, e vai-te à terra de Moriá, e oferece-o ali em holocausto sobre uma das montanhas, que eu te direi.” (Gn 22:2)

Abraão naquele momento exercia sua formação em oferecer a Deus, das coisas que mais amava, sendo resposta daquela geração, em ter padrões, segundo o coração de Deus. Seu chamado era dar, e não uma resposta em receber. Quero dizer que nem estou falando da vida de um Sacerdote, que é chamado para louvar e adorar a Deus, mas estou expondo de como temos que tomar cuidado como o nosso coração de uma maneira geral. Hoje a banalização em nosso meio, de padrões mercadológicos em meio ao padrão que nasceu em Deus, é um grande campo de batalhas, pois muitos não sabem como fundamentar suas vidas, dentro de princípios que estão em Deus, nosso Senhor. O ensino, ou padrão que estão nas bases de Deus, querem ser bombardiados, por uma mercadologia barata, e cheia de intenções, em meio a uma Palavra inerrante, que é a Palavra de Deus. Por isso afirmo que ter uma direção de formar seu chamado, ou ministério, para receber algo, esta muito longe daquilo que os principais homens de Deus fizeram no decorrer dos séculos, que era servir as cidades, bairros, famílias, comunidades, com os dons que foram dados por Deus, para assim trazer edificação aos ouvintes, e receber algo era somente uma consequência, e não uma variante. O fim para qual nosso ministério existe, e tudo que esta sendo gerado e formado, é para que seu reino cresça. Se Abraão é uma referência de um padrão de pessoas que andaram com Deus, vamos ver então que seu chamado, seu Isaac, não ofereciam para ele nenhum status, mas somente a necessiadade de que foi chamado para adorar a Deus sobre todas as coisas, oferecendo assim, em seus dias, um coração em dar, e não um padrão medíocre de receber. A verdade é que quando isso se torna o inverso, nossos Isaacs, se tornam o meio pelo qual vou me projetar, e acaba se tornando também a principal causa de meu chamado e do meu ministério existir, e isso nos tornará escravos de padrões que não estão em Deus.

O PADRÃO DO PRIMEIRO AMOR A verdade é que quando estamos vivendo o primeiro amor, estamos dispostos muito mais a dar do que receber. Quantas vezes já ouvi de que quando iniciamos algo, com toda a simplicidade, amor, fidelidade, e interessados em que o reino de Deus cresça como prioridade, pois não nos sentimos nada, e necessitados 100% da misericórida e graça, tínhamos padrões diferentes, de um tempo de crescimento, de onde nos vemos capacitados e requisitados. No auge do seu ministério, Jesus preferiu subir na cruz, e viver o padrão que estava no coração de seu Pai, do que qualquer outra situação. Embora já no início do seu ministério foi tentado pelo diabo a deixar os padrões de Deus, e viver daquilo que Adão viveu, de sua própria desobediência a uma direção, Jesus viveu totalmente integrado em um amor incondicional, vivendo em tudo para seu Pai, o Todo Poderoso. Tenho me perguntado o que nossa geração de adoradores tem feito com os padrões que estão no coração de Deus, se os temos guardado, ou temos vendido a preciosidade de vivermos debaixo de um respaldo dos princípios que estão em Deus, ou variamos em agradar a Deus, mas também inflitrar de alguma maneira em nosso dia a dia de serviço, o nosso amor a muitas coisas que não se misturam de nenhuma maneira com Deus. Necessitamos com urgência voltarmos ao primeiro amor, vendo em primeiro lugar de onde começou a nossa queda. Eu me lembro de quando senti a primeira vez a presença do Espírito Santo, como eu queria dar o melhor da minha vida para Deus, e sem querer nada em troca, somente o amor. Quero resumir dizendo o que Paulo, o apóstolo diz para seu discípulo Timóteo.

8 " ... por isso, tendo o que comer e com que vestir-nos, estejamos com isso satisfeitos ". ( 1 Tm 6:8 )

Hoje existe uma certa fome e sede no ar, de estarmos satisfeitos em algo que possamos ter em troca, quando nos movemos em nossos dons, que foram dados por Deus. A falta de satisfação, vem exatamente em não mais nos saciarmos com o que comer e vestir, mas de termos muitas vontades e sonhos, marcados por padrões que dissimularam verdades como essa que lemos acima, em queremos usar a piedade, como grande fonte de lucro. Paulo, que fez do seu trabalho secular algo para o reino, onde além de se manter, também abençoava outros missionários, e também verdadeiras Igrejas, foi um padrão que afronta a todos os paradigmas da nossa geração, em querer receber algo em troca.

6 De fato, a piedade com contentamento é grande fonte de lucro,

7 pois nada trouxemos para este mundo e dele nada podemos levar;

8 por isso, tendo o que comer e com que vestir-nos, estejamos com isso satisfeitos.

9 Os que querem ficar ricos caem em tentação, em armadilhas e em muitos desejos descontrolados e nocivos, que levam os homens a mergulharem na ruína e na destruição,

10 pois o amor ao dinheiro é raiz de todos os males. Algumas pessoas, por cobiçarem o dinheiro, desviaram-se da fé e se atormentaram a si mesmas com muitos sofrimentos.

11 Você porém homem de Deus, fuja de tudo isso e busque a justiça, a piedade, a fé, o amor, a perseverança e a mansidão. ( 1 Tm 6:6-11 )

O PADRÃO DE DEUS X PARADIGMAS. Tenho orado para que a minha maior fome e sede, seja do Senhor, e que a essência DEle não se corrompa. Meu chamado Ministerial necessita em tudo estar ligado ao que tenho como chamado em minha história com Deus, de que eu realmente me entreguei a serví-lo, e servir ao próximo. Olhando para Paulo, que foi um padrão de Deus sobre a Igreja Primitiva, quero que meu trabalho, tudo que temos produzido, sirva muito mais a Deus, do que a mim, pois sei que vivendo dessa maneira, estarei vivendo em minha geração, aquilo que mais importa em tudo, amar a Deus sobre todas as coisas, e ao próximo. Os paradigmas dessa geração, ou os padrões que estão estabelecidos, podem ser hoje, o contrário, onde os nossos ministérios serão o centro, e deixamos assim de sermos sensíveis a voz do Senhor, e ainda mais, não viveremos o padrão que esta em Deus para serví-lo e adorá-lo, e também servir ao próximo. A falta de sensibilidade hoje ao Espírito Santo, que sempre vai nos levar a vivermos dentro de uma direção do Senhor, se dá muito ao fato de que paradigmas me são tão relevantes em meu dia a dia, que posso me tornar, como um coração endurecido em algumas questões, como deixar de servir, e começar a ser servido. Nós gravamos o novo CD do Adora, na Europa, na cidade de Lisboa em Portugal e me lembro de que antes de sairmos do Brasil fizemos uma reunião, eu, que sou o líder, mais minha esposa que pastoreia juntamente comigo, e todas as pessoas que estávam envolvidas em toda a estrutura e logística. A Palavra central era que estávamos indo para Europa, para servir aquele continente tão carente de amor. Nossas palavras giravam em torno de que em tudo, estaríamos prontos a servir, não deixando que a dureza de nossos corações, nos tornasse insensíveis quando estivéssemos lá. Meus olhos queimavam de choro, quando via nossa equipe, com o coração em todo o tempo, pronta para servir aos amados irmãos europeus, pois se perdermos isso, tenho em lágrimas visto que meu chamado deixou de ser necessário, e sei que outros serão ungidos e separados para desempenharem da melhor maneira, em sua geração, seu serviço diante de Deus e dos homens. Assim também temos buscado, e tentado com todas as forças, servir nossa nação, onde sou ciente que necessitamos aprender, e viver ainda muito mais, quebrando assim, a grande barreira que existe, chamada de “Paradigmas”.

* Esse estudo faz parte de um dos livros que esta sendo finalizado pelo Pr. Amilcar Sampaio. Amilcar Sampaio é pastor, líder do Ministério Castelo Forte e do Adora, projeto que tem percorrido todo o Brasil e as nações, profetizando que é "tempo do tabernáculo de Davi ser restaurado e levantado para que o amor de Deus seja vivido em sua essência, conquistando cidades e nações". Conferencista Internacional, tem dedicado sua vida ao discipulado de muitos líderes, reiterando que é hora de a Igreja estar unida em um mesmo propósito. Sampaio é casado com Fernanda Sampaio - médica veterinária e pastora, e pai de 4 filhos: Matheus, Hannah, Davi e Nathan.

veja também