MENU

Dia da Reforma, A Luta Continua.

Dia da Reforma, A Luta Continua.

Atualizado: Quarta-feira, 31 Outubro de 2012 as 6:14

 

A barganha deliberada do mercado que se instituiu em muitas Igrejas Brasileiras de vocação neopentecostal, trás para cristãos sérios muita vergonha e frustrações.

Alguns líderes se desviaram e percorrem pelo caminho mais podre e pernicioso do capitalismo.

Refiro-me ao capitalismo sem ética, capitalismo desenfreado e inescrupuloso que trafega igualmente no coração do traficante e fabricante de armas.  Sei o que é capitalismo, reconheço sua importância e sei como é possível praticá-lo com ética e princípios.

O capitalismo quando praticado com ética e honestidade, pode gerar riquezas, inclusão social e dignidade humana. Mas infelizmente o Capitalismo tem aspectos muito selvagens. 

E quando ele se conecta com interesses dos “pseudos cristãos”  conhecemos seus aspectos mais repugnantes de exploração humana. Com base nesse capitalismo, alguns hereges criaram a Teologia da Prosperidade que aprisiona, corrompe, desapropria, passa por cima de valores, aproveita das fraquezas morais, usufrui do caráter duvidoso, e de forma inescrupulosa seduz muitos corações ambiciosos. Deturpa a Fé genuína, “vende” riquezas em todos os níveis e promete um paraíso na terra decorado com casarões, carrões, roupas de grife e uma infindável lista de coisas.

Temos visto grandes e eloquentes comunicadores usando todos os recursos possíveis para convencer você de que com a entrega de alguma soma em dinheiro, mudará o cenário econômico de sua vida.

Eles vão à TV, investem milhões para se manterem no ar a fim de captar o máximo possível de dinheiro para sustentar seus verdadeiros impérios econômicos. Impérios econômicos equipados com grandes máquinas voadoras, carrões blindados, fazendas, mansões, ternos caríssimos, joias preciosas e muita mordomia.

Não se importam qual a origem do dinheiro, se veio do resultado da venda dos brinquedos de uma criança, de um aposentado, ou da renda espremida do pobre trabalhador, ou dos cofres do “Banco Central”. 

O assunto predileto de alguns é Ministração de oferta, a função de outros é pensar dia e noite qual será o texto bíblico que distorcidamente será utilizado para justificar a próxima campanha  de arrecadação financeira.

Bancos de Atacado financiam o surgimento de novos Ministérios  e as cláusulas das parcerias visam exclusivamente lucro financeiro. Líderes fazendo conluio político, usando o povo como massa de manobra a fim de defender seu vãos interesses. Imaginem o que a cúpula dos partidos pensam de nossa Liderança.

Pensem no quanto as negociatas sujam o nome da igreja, em encontros na calada da noite, muitas vezes dentro de gabinetes políticos, quando não dos próprios “Líderes”.  Eles conseguem arrebatar a plateia com seus discursos inflamados  e  cheias de apelos emocionais, e baixo conteúdo bíblico. E falam para uma plateia que conhece o cristianismo de forma superficial e foram discipuladas por líderes comprometidos com essa Teologia que tem segregado pessoas do legítimo conhecimento bíblico.

Todos nós cristãos, deveríamos estar comemorando no dia 31 de outubro os 495 anos da Reforma Protestante. Dia em que Martinho Lutero fixou as 95 teses na porta da Igreja do Castelo de Wittenberg na Alemanha. Ele fazia parte de um movimento que pretendia resgatar a igreja e tirá-la do lamaçal em que estava atolada.  A salvação estava sendo vendida de forma deliberada, pecados e transgressões estavam sendo perdoados pela força da grana.

A venda das indulgências tinha o inexorável propósito de captar recursos para Roma construir a Basílica de São Pedro.

A Bíblia, na época, não estava disponível para todos e isso facilitou a enrolação da igreja. Mas e hoje? A Bíblia está disponível fartamente no Brasil e mesmo assim o nível de discernimento de um número muito grande de pessoas ainda é muito duvidoso. Facilitando a ação dos capitalistas da Fé que fazem das tripas coração para subtrair alguma coisa dos fiéis.

Precisamos reavivar o sentimento da Reforma Protestante e lutar contra as indulgências modernas que são elaboradas todos os dias para tirar vantagens de neófitos e gerar frustração, superstição, misticismo e idolatrias no coração de pessoas imaturas biblicamente, as quais são atraídas pelas promessas de riquezas sem medidas no Paraíso terrestre. 

Que nesse dia tão importante da Igreja ressurjam Irmãos e Irmãs que assim como o Alemão Martinho Lutero, se envolvam na nova Reforma Protestante. Uma reforma que é muito mais que lutar contra a exploração da fé, e sim levantar a bandeira da ética, santidade, graça e honra.

 

Bispo Cesar Brazil

Presidente da Comunidade Cristã internacional Lugar de Vida. Missionário, escritor e palestrante,empresário do setor industrial. Diretor do CIEAB - Regional Zona Leste/Cidade Tiradentes , foi Diretor de Comunicação Social do IAAD. Em missões, já viajou diversos países do Oeste da África e também da Europa.

 

veja também