MENU

A Alvorada

A Alvorada

Atualizado: Terça-feira, 11 Janeiro de 2011 as 5

O que é alvorada? É o despertar de um novo dia, um tempo novo. É aquele momento em que as cortinas da vida se abrem e nos revelam paisagens novas, cenários refeitos. A alvorada é quando o sol da esperança começa a brilhar outra vez dentro de nós, aquecendo o coração com os seus raios cheios de energia, que trazem um brilho cintilante para os nossos olhos. É o novo que visita a nossa vida.

Ainda bem que a vida é um eterno movimento. A natureza se veste de novas cores constantemente. Nela, tudo se renova. Os movimentos da natureza são fantásticos. São poéticos e também pedagógicos.

Sabemos que a vida não é uma eterna aurora. Somos visitados pela escuridão. Os ritmos da vida são alternados em movimentos de luz e sombra. Todos os dias, invariavelmente, o sol se levanta e se põe. O mesmo sol que se ergue imponente no oriente, esconde-se no horizonte oposto. A questão central é: e depois do crepúsculo? A trajetória do sol tem muito a ensinar-nos. Aprendemos, por exemplo, que nada fica para sempre às escuras; haverá sempre um novo amanhecer.

Todo crepúsculo é apenas um momento da existência; e, diga-se de passagem, um momento necessário. A natureza simbólica do crepúsculo tem algo a ensinar-nos: ela aponta para os desafios de vida.

Precisamos de criatividade, para vencer as noites escuras. De paciência, para aguardar o brilho da manhã. De esperança, para vislumbrar os horizontes. De fé, para enxergar a luz no fim do túnel.

Foi  a partir desta leitura pedagógica das situações que nos deixam às escuras, que Davi, o grande poeta bíblico, escreveu: O choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã (Salmo 30.5). Ele tinha certeza plena de que nenhum sofrimento dura para sempre. Mais tarde, seu filho Salomão, o grande sábio de Israel escreveria: Tudo tem o seu tempo determinado. Há tempo de chorar, e tempo de rir...

Portanto, todo crepúsculo nada mais é do que um momento da existência. E todos nós precisamos saber lidar com a escuridão momentânea. É exatamente na escuridão que aprendemos a valorizar a luz. A doença nos faz valorizar a saúde. A solidão, a valorizar as companhias que nós desprezamos. As angústias nos fazem relembrar os dias de paz. Por isso mesmo, o crepúsculo favorece sempre o crescimento interior. Aprendemos muito com o silêncio das madrugadas frias e com a solidão das noites quase intermináveis. Estranhamente, é a dor que nos faz amadurecer.

Deus também habita em nossa escuridão. Quando tudo parece muito distante, Ele é presença certa. Quando a escuridão for mais densa, Ele será um raio de luz!

Deus habita nossas madrugadas, e faz uma ponte segura entre a noite e o dia. Ele é a passagem para a vida, para o alvorecer de um novo dia!

Pr. Estevam Fernandes de Oliveira

Estevam Fernandes ingressou no seminário de Recife (PE) ainda jovem, em 1976, influenciado pelo seu irmão, Eli Fernandes (atualmente também pastor). Em1980, ainda seminarista assumiu o cargo de pastor auxiliar temporariamente na Igreja de Ilhéus (BA). Atualmente pastoreia a Primeira Igreja Batista de João Pessoa (PB).

veja também